05 agosto 2017

Boas Maneiras:10 Detalhes de Etiqueta à Mesa

    Etiqueta à Mesa
  1. Como se sabe, cabe à anfitriã servir o chá para os convidados, deixando os acompanhamentos para que os convidados se sirvam.
  2. O garçom ou a anfitrião devem cortar a primeira fatia de qualquer bolo ou pudim para facilitar o corte do doce que de outro modo poderia se quebrar inapropriadamente.
  3. Os queijos devem ser apresentados com pelo menos uma fatia cortada e nunca inteiros e muito menos embalados.
  4. Após o café seguem-se licores, conhaque e água mineral. Deve-se deixar passar pelo menos uma hora antes de se começar a servir bebidas.
  5. Cabe sempre ao anfitrião preparar e servir as bebidas, jamais a anfitriã. 
  6. A mesa não deve ficar cheia de garrafas. A garrafa de vinho deve ser servida pelo anfitrião ou pelo garçom dando-se a volta em torno da mesa servindo-se cada copo com cuidado. Depois a garrafa deve ser depositada numa mesa ao lado, até que volte a ser servida.  Só por alguns momentos a garrafa pode ficar em cima da mesa da refeição.
  7. Café e chás são servidos individualmente, correndo-se a bandeja com as xícaras em uma sala contígua à da refeição. Se a refeição não é solene se pode servir o cafezinho à mesa da refeição.
  8. É possível repetir pratos e bebidas, mas nas mesas formais não se repete a sobremesa. Só se pode repetir se a anfitriã o fizer ou sugerir que a repitam.
  9. Antes de se servir a sobremesa se retira da mesa tudo que não será mais necessário e que foi utilizado para a parte salgada da refeição: talheres de servir não utilizados, pratos de pão e salada, saleiros, molheiras, travessas, copos não utilizados e pratos da comida de sal. Permanecem os copos para o vinho que acompanhará a sobremesa. 
  10. Não se coloca o prato de sobremesa sobre o suplait. Ele também sai antes de ser servida a sobremesa. 

"Boa parte da nossa vida está composta de pequenos encontros com pessoas que vemos no elevador, na fila do ônibus, na sala de espera do médico, no meio do trânsito da cidade grande ou na única farmácia da cidadezinha onde vivemos... e ainda que sejam momentos esporádicos e fugazes, são muitos por dia e incontáveis ao longo de uma vida. Para um cristão, são importantes, porque são ocasiões que Deus lhe dá para rezar por essas pessoas e mostrar-lhes o seu apreço, tal como deve suceder entre os que são filhos de um mesmo Pai. Fazemos isso normalmente através desses pormenores de educação e de cortesia que temos habitualmente com qualquer pessoa, e que se transformam facilmente em veículos da virtude sobrenatural da caridade." Fernández-Carvajal, Coleção Falar com Deus" volume 3,Tempo Comum(1) Semanas I a XII, pag. 33. "