21 julho 2017

Você é Educado nas Redes Sociais?

Ter boas maneiras é mais do que seguir algumas convenções, é principalmente demonstrar consideração e respeito pelos outros.

E boas maneiras se demonstram não só na presença das pessoas, como também na sua ausência. Ou seja, não se fala mal de ausentes.

A pessoa educada evita emitir "pareceres" sobre tudo, julgar e criticar os outros como se fosse juíza ou melhor do que todos. 

Por boas maneiras, jamais provocamos essas situações de zombaria e competição entre as pessoas como forma de entretenimento. Isto é falta de assunto e de interesses nobres. E tudo isso no mundo presencial e também no virtual. 

No mundo virtual devemos ter as mesmas boas maneiras que no mundo presencial


Se alguém lhe convidou para ser amigo numa Rede Social e por qualquer motivo você não deseja essa amizade, não lhe diga “ – Ei, cara, você não está perdido? Não viu o meu perfil?” Você não é da minha “turma”! Quem não toma em conta os sentimentos dos outros, mas só sua própria jactância, é muito mal educado.  Mesmo que você não tivesse a intenção de ser rude, receber quem quer que seja com um deboche, gozada não é educado. 

É possível negar uma amizade virtual sem ser agressivo. Na vida é muito importante saber dizer não. Isto é sinal de maturidade e caráter. Mas é muito produtivo saber dizer não de modo educado. 

Muitos são os moderadores de comunidades que visando, mais a si mesmos, colocam suas regras acima do respeito às pessoas. E as comunidades são para as pessoas e não as pessoas para as comunidades. É possível solicitar que o próximo comentário seja feito em outra parte da comunidade, sem fazer o novo candidato à comunidade, se sentir mal recebido, errado ou destratado.

As boas maneiras exigem que um moderador saiba respeitar em primeiro lugar a pessoa, e não as regrinhas, afinal as regras são para estimular o bom convívio de pessoas e portanto devem servir às pessoas. Informar, solicitar, mesmo corrigir, mas sempre com boas maneiras. 

Tenha sempre em consideração os sentimentos e os direitos dos outros antes de “brincar”, “gozar”, “zoar” e principalmente antes de simplesmente responder. Agir como se quer, do jeito que se tem vontade, considerando apenas o “próprio modo de ser” sem ter em conta os sentimentos dos outros é grosseria.

Sempre que possível responda a um contato mais pessoal com a mesma atenção que gostaria de receber ao consultar alguém ou algum serviço.

No local de trabalho, use mídias sociais como o Facebook apenas no momento de pausa, seja discreto no que você publica e prefira usar seu celular em vez do seu PC de mesa do trabalho. Use apenas o site de mídia profissional, como LinkedIn, para postagens relacionadas ao trabalho. 
"Boa parte da nossa vida está composta de pequenos encontros com pessoas que vemos no elevador, na fila do ônibus, na sala de espera do médico, no meio do trânsito da cidade grande ou na única farmácia da cidadezinha onde vivemos... e ainda que sejam momentos esporádicos e fugazes, são muitos por dia e incontáveis ao longo de uma vida. Para um cristão, são importantes, porque são ocasiões que Deus lhe dá para rezar por essas pessoas e mostrar-lhes o seu apreço, tal como deve suceder entre os que são filhos de um mesmo Pai. Fazemos isso normalmente através desses pormenores de educação e de cortesia que temos habitualmente com qualquer pessoa, e que se transformam facilmente em veículos da virtude sobrenatural da caridade." Fernández-Carvajal, Coleção Falar com Deus" volume 3,Tempo Comum(1) Semanas I a XII, pag. 33. "