21 julho 2017

Boas Maneiras: Televisão

Televisão

Assista também ao programa que agrada aos outros. Não faça críticas desnecessárias se o programa não lhe é especialmente interessante, muito menos deboche do gosto ou preferências alheias.

Evite manter a televisão com som muito alto e monopolizá-la a ponto de ninguém mais poder ver nada a não senão a sua programação. O melhor é escolher um programa de comum acordo, assisti-lo juntos e depois DESLIGAR a televisão. Nada de passar horas e mais horas em frente à TV.

Desligue sempre a televisão durante as refeições ou quando atender uma visita.

O uso excessivo de televisão favorece a preguiça mental, a falta de imaginação e o empobrecimento cerebral e espiritual. O mesmo para vídeos game e demais atividades compulsivas. São atividades que em excesso parecem compensar uma vida sem profundidade. 

O que nos faz feliz é servir. Procure alguma atividade beneficente para preencher parte do tempo que veria televisão. Ou utilize o seu tempo de Internet para prestar algum serviço a partir do conhecimento que tem. Pode ser muito útil às outras pessoas e é você que, ao se esforçar por prestar um serviço via Internet, acaba se desenvolvendo. 

Fica aqui então esta sugestão: ao invés de ficar horas e mais horas procurando que a TV ou o computador o preencham procure servir de alguma maneira através deles. O Brasil é um país muito pobre e qualquer serviço disponibilizado gratuitamente pode ajudar muita gente.

Obrigado por compartilhar esta postagem. Siga-nos no Twitter
"Boa parte da nossa vida está composta de pequenos encontros com pessoas que vemos no elevador, na fila do ônibus, na sala de espera do médico, no meio do trânsito da cidade grande ou na única farmácia da cidadezinha onde vivemos... e ainda que sejam momentos esporádicos e fugazes, são muitos por dia e incontáveis ao longo de uma vida. Para um cristão, são importantes, porque são ocasiões que Deus lhe dá para rezar por essas pessoas e mostrar-lhes o seu apreço, tal como deve suceder entre os que são filhos de um mesmo Pai. Fazemos isso normalmente através desses pormenores de educação e de cortesia que temos habitualmente com qualquer pessoa, e que se transformam facilmente em veículos da virtude sobrenatural da caridade." Fernández-Carvajal, Coleção Falar com Deus" volume 3,Tempo Comum(1) Semanas I a XII, pag. 33. "