Pesquisar este blog

05 julho 2017

Boas Maneiras: Alguns Colegas do Sr. Ricardo Boechat


É falta de boas maneiras destratar pessoas mais velhas. Zombar é destratar. Apontar erros em público é sempre falta de educação. Apontar limitações de pessoas mais velhas, em especial em público é destratar por baixeza de caráter. Fazer isso disfarçando de "brincadeirinha" é dissimulação, hipocrisia e falta de caráter.

Inveja e soberba estão envolvidas nesse comportamento. Querer se destacar a custa, não dos próprios méritos, mas de apontar a limitação dos mais velhos é sempre falta de educação. E também burrice já que envelhecer implica perdas, e todos vamos envelhecer, portanto todos teremos as mesmas limitações. Querer se destacar sobre o óbvio ululante, como perdas naturais dos mais velhos é sempre burrice. Fazer isso contra uma pessoa de idade, no ar, na rádio, no seu trabalho,  é o supra sumo da falta de educação.

Ontem, ouvi alguns colegas do Sr. Ricardo Boechat o acusaram de ser "desligado" para resumir cortesmente o que disseram. Essa atitude, infelizmente, é bastante comum entre esses repórteres dessa rádio, em especial em volta do Sr. Boechat. A competição e a puxação de tapete é tão grande que isso é infelizmente, para nós ouvintes, é um ponto de desagrado, na transmissão dessa estação porque suja a vida do nosso espírito. Mas fazer isso em relação ao âncora que já tem idade é o cúmulo da falta de respeito, a cereja exemplar da falta de bom senso, de boa educação que deveria primar entre quem dá notícia. Claro, se quisessem transmitir uma ideia de seriedade profissional que convém muito à credibilidade de quem informa essa atitude de desrespeito não é apropriada.

Se houvesse aí um diretor atento, espécie em extinção no Brasil, certamente reuniria seus repórteres e explicaria que:
  1. A "informalidade" que finge ser graça e mascara provocações mútuas são de muito mal gosto e são sempre prova de falta de educação.
  2. Para fazer graça é preciso talento específico e "molestações" de crianças acostumadas à serem mal educadas, sempre provocando umas à outras não é piada, não é engraçado, é, na verdade, falta de conteúdo e educação. 
  3. É preciso muita educação para se ser especial a ponto de se ser um profissional destacado. Sem uma educação melhor você não é nem um bom profissional, que dirá mais. 
  4. Essa "necessidade" de informalidade em excesso é sempre falta de conteúdo, ilustração, cultura e do verdadeiro savoir faire. Se você não tem nem conteúdo, nem cultura nem savoir faire para dar um tom de informalidade inteligente aos seus comentários, restrinja-se ao básico. 
  5. A necessidade de diminuir mais velhos, pessoas em destaque e mulheres é sempre vulgaridade. 
  6. Todo trabalho é importante, faça o seu bem. Desenvolva os seus talentos e deixe os outros em paz. 
  7. Mesmo o sr. Ricardo Boechat não sendo um primor de exemplo de educação, porque se fosse não faria o nome do seu partido ser esse qual é, não pode ser alvo de tantos ataques dissimulados.
  8. E, finalmente, nenhum de vocês críticos dissimulados é capaz de fazer a audiência segui-los. Se o Sr. Boechat sair desse canal a audiência vai com ele para onde ele for. O mesmo não aconteceria com nenhum de vocês. Provavelmente haveria demissões na empresa com a saída dele. Tratem-no bem, senão por educação, ao menos por velhacaria. 
Para ser alguém importante é preciso ter qualidades reais. A começar boa educação. E ninguém que tenha boa educação destrata pessoas mais velhas, em hipótese alguma. Muito menos no ar, numa transmissão radiofônica.

Dever de casa: Tentem falar sobre coisas boas durante todo o próximo mês entre vocês. Não deem pasto a "brincadeirinhas". Isso os forçará a encontrar algo de que gostem realmente e quem sabe ao desenvolver mais a fundo assuntos melhores que a mútua provocação, consigam crescer na cultura e savoir faire necessários para se ser realmente inteligente e informal nas gracinhas. 



Postagens mais visitadas