"Boa parte da nossa vida está composta de pequenos encontros com pessoas que vemos no elevador, na fila do ônibus, na sala de espera do médico, no meio do trânsito da cidade grande ou na única farmácia da cidadezinha onde vivemos... e ainda que sejam momentos esporádicos e fugazes, são muitos por dia e incontáveis ao longo de uma vida. Para um cristão, são importantes, porque são ocasiões que Deus lhe dá para rezar por essas pessoas e mostrar-lhes o seu apreço, tal como deve suceder entre os que são filhos de um mesmo Pai. Fazemos isso normalmente através desses pormenores de educação e de cortesia que temos habitualmente com qualquer pessoa, e que se transformam facilmente em veículos da virtude sobrenatural da caridade." Fernández-Carvajal, Coleção Falar com Deus" volume 3,Tempo Comum(1) Semanas I a XII, pag. 33. "

Boas Maneiras para melhorar a Convivência em Família

  1. Em família todas as atitudes e gestos serão sempre uma ato, uma expressão de amor e de respeito de uns pelos outros. 
  2. Em família não procuramos nos singularizar nem incomodar os demais: 
  3. Fazendo barulhos, provocações, interessando-se e exigindo que os outros se interessem pelo que é nosso. Nem temos atitudes que sabemos que desagradam aos demais como ouvir música alta, pegar o que não é nosso sem permissão, etc. Nem damos mau exemplo como ficar horas para acordar, tomar banho, deixar de fazer o dever de casa, ou a tarefa que nos cabe, viver reclamando, etc. 
  4. Falar sem arrogância, sem querer desafiar. 
  5. Não falamos com arrogância, nem gritando, nem impondo nossos modos e opiniões. Também não desenvolvemos conversas maliciosas nem cheias de inveja. Em família a primeira forma de respeito é reconhecer o espaço e o direito dos outros, não só em coisas objetivas e práticas, mas um respeito que deixa os demais serem como são, que acolhe as diferentes personalidades e que se alegre com o sucesso e os talentos mútuos. 
  6. Atenção especial se deve dar às meninas que tendem a ser mais delicadas e por isso a se "encolher" em ambientes hostis, ou afeitos a muita disputa ou onde predomina um "ditador" ou "competidor" mimado e descontrolado. 
  7. "Não ensine o padre a rezar Missa." E não seja o único que sabe, mas aprenda a todo instante e com todos. Não se utilize de maldições, nem faça revelações de defeitos ou segredos durante desavenças nem se utilize de vulgaridades sejam palavrões ou piadas indecentes em família. 
  8. Em Família Acompanhamos os demais. 
  9. Não comemos sozinhos se há uma mesa posta para todos, não falamos se os outros estão falando, não saímos sem nos despedir, não impomos nosso horário ou trabalho extra aos demais. Por exemplo, se chegamos tarde da escola, nós mesmos esquentamos nossa comida, que pode ter sido deixada para nós de modo especial, e lavamos o nosso prato, deixando tudo limpo e sem fazer barulho porque esta é uma maneira de acompanhar o ritmo da casa sem impor trabalhos extras por razões individuais. E quando recebemos atenções especiais devemos agradece-las sempre e não tomá-las como devidas. 
  10. Acompanhamos os eventos relativos à família como casamentos, Missas, aniversários, competições esportivas, etc. Em família também acompanhamos os sentimentos dos outros: jamais nos alegramos quando os outros estão tristes mesmo que estejamos com raiva deles, não nos comparamos para estar sempre tentando diminuir o valor dos outros, etc. Ao contrário cada membro da família deve ser um amigo em que se pode contar. 
  11. Acompanhar é sempre uma expressão de amor e respeito uns pelos outros. Ter domínio de si é o grande presente que recebemos por saber acompanhar aos demais. Seja o primeiro a cumprimentar, a sorrir, a ceder a vez, a agradecer e durante as conversas não esteja distraído, taciturno e muito menos crítico. 
  12. Em família não ignoramos as pessoas e suas necessidades: 
  13. Não damos as costas se estão falando, não lhes fazemos caras feias e de tédio, não as fazemos esperar para atender um celular ou ver a TV. E muito menos ignoramos quem precisa de nós. Mesmo que não exista uma situação de emergência, em família, nos interessamos pelos demais e os procuramos regularmente. 
  14. Se precisamos atender o celular ou fazer qualquer outra coisa é preferível pedir para sair do que impor aos demais o telefone, a leitura. Ou seja, com quem temos deferência, e a devemos ter com todos os membros da nossa família, preferimos estar com elas do que com brinquedos, celular, computador. Saia para fazer o que tem que fazer, ou diga que agora tem que estudar. 
  15. Cuide de sua Aparência e Gestos 
  16. Que a sua expressão seja amável normalmente. Que esteja bem vestido e senhor de si: não se deve ter em família esse relaxamento pessoal que leva a todos desânimos e ainda que venham muito justificados por explicações como "cansaço", "falta de tempo", " idade", são na verdade falta de virtudes e controle sobre os defeitos. É preciso procurar ser gentil e amável com todos em casa. Esta deve ser a tônica. É preciso não estar sempre com cara de preocupação, reclamação, tédio, pessimismos, histerias, etc. 
  17. Respeite a Hierarquia e as Circunstâncias 
  18. Respeite os mais velhos, as sogras que bem ou mal lhe deram aquele genro ou nora, professores, trate bem os empregados, seja cordial com prestadores de serviços em geral, etc. O respeito se aprende em família. 
  19. Saiba reconhecer as circunstâncias: Se é um jantar festivo, contribua com sua alegria, pequenos serviços, com sua atenção e não espere ser apenas entretido ou servido. Do mesmo modo perceba cansaços, tristezas, isolamentos, necessidades práticas e visite, telefone, escute, presenteie, preste um serviço, etc.