27 julho 2017

Boas Maneiras: 25 ideias sobre a Amizade

  1. O maior inimigo da Amizade é o egoísmo porque este se opõe radicalmente à amizade. Um egoísta não tem amigos. 
  2. Onde encontrar um bom Amigo? "As afinidades, um curso, um interesse comum, um gosto compartilhado como um esporte ou ação beneficente nos dá oportunidade de fazer amigos.
  3. Devemos incentivar e ajudar os filhos a fazer amigos e a CONSERVÁ-LOS desde a infância.
  4. Não se deve permitir que irmãos desenvolvam inimizades, debochem constantemente uns dos outros, se agridam, se ignorem. É preciso incentivar a amizade, o respeito e a devoção entre os irmãos. 
  5. À virtude da amizade estão relacionadas diversas virtudes humanas como a virtude da generosidade. O amigo verdadeiro é generoso e dá aos amigos das suas qualidades, do seu tempo, das suas posses, das suas energias, dos seus saberes e faz estas coisas para ajudar eficazmente seus amigos.
  6. O egoísta só vê o que lhe interessa para subir na vida, para desfrutar ou lucrar alguma coisa. Quem já não viu homens julgarem irmãs ou pais pela pouca ou muita ajuda financeira que poderiam lhes dar? Amizade não é comércio de benefícios.
  7. Um ato de generosidade muito importante na amizade é o de perdoar. Devemos procurar compreender e saber os motivos de uma ação que nos fez mal. Perdoar aos amigos desenvolve a amizade e a grandeza de nossa alma. 
  8. Ser leal é também falar claro, ser franco e corrigir, com carinho um amigo que está cometendo um erro.
  9. Outra virtude humana muito relacionada à amizade é a veracidade. Devemos ser sempre verdadeiros, sinceros. Quando começamos a mentir, a esconder o que antes partilhávamos vamos destruindo a amizade.
  10. Não se criticam os amigos, não se murmura contra eles nem se revelam os seus segredos.
  11. Um amigo deve ser uma pessoa de palavra, que responde com fidelidade ao compromisso que a amizade pressupõe. Por isso se você diz que vai fazer alguma coisa para o seu amigo, faz. E faz no tempo que deveria fazer e não depois.
  12. Temos que ser agradecidos pela amizade que nos dão. É preciso agradecer as delicadezas dos amigos, o tempo dedicado à nós, em atenções, em preocupações, em solidariedade, etc.
  13. É preciso não confundir o que é o o que não é Amizade. Às vezes um parente próximo, um irmão, não é um amigo. Não podemos oferecer a intimidade do nosso coração em amizade a quem nos trata mal mesmo sendo um parente. Não podemos nos submeter aos falsos amigos.
  14. Não devemos procurar ter amigos só para ter quantidade de amigos. Em amizade é melhor qualidade que quantidade. 
  15. Não teremos sempre o mesmo "tipo" de amizade com todos os nossos amigos. Alguns compreenderão nossos sentimentos e angústias mais profundas e com outros compartilharemos momentos bons sem sabermos bem porque são assim. É preciso saber apreciar as amizades como elas são sem exigir que sejam assim ou assado.
  16. Más pessoas não podem ser bons amigos. Mesmo que pareça que seja possível não confunda as más companhias, as pessoas que cometem contravenções, crimes ou que abusam ou maltratam outras pessoas com amigos, por mais que o adulem.
  17. Não seja deslumbrado. Uma pessoa aduladora ou tiete demais jamais receberá amizade verdadeira porque esvai-se na fruição que é maior do que a qualidade que tem para oferecer. Não se endeusam amigos, chefes, colegas de trabalho, artistas, intelectuais fingindo que são amigos. 
  18. E muito menos se superestima o relacionamento com cães e animais de estimação como se fossem relações de amizade. 
  19. Até a famosa "amizade colorida" é um falsete porque não é nem amizade nem amor. A amizade como uma forma de amor exige sempre compromisso e verdade de sentimentos. 
  20. É mais fácil fazer amigos do que mantê-los porque a vida testa a generosidade, a lealdade e todas as demais virtudes da amizade. Por isso é preciso insistir. A amizade se cultiva, não nasce pronta.
  21. Amigos não caem do céu ou estão disponíveis quando precisamos sem custo ou trabalho é preciso investir nas amizades. Vale a pena. Não devemos aceitar que não tenhamos amigos. Para fazer novos amigos pode-se por exemplo frequentar cursos ou interesses comuns pelos quais possamos encontrar pessoas com as mesmas afinidades que nós. 
  22. Fazer novos amigos é abrir horizontes, não devemos nos fechar em nós mesmos.A amizade é uma forma de amor e como tal alimenta nossa vida. Mas como todo amor precisa ser cultivado. 
  23. A pessoa educada busca os meios de ser um bom amigo. É preciso não obstante não confundir parentes, colegas, vizinhos e conhecidos com amigos. Os amigos são pessoas em que nós confiamos e com as quais trocamos num nível mais profundo nossas confidências e interesses e com as quais temos uma afinidade maior. Antes de uma pessoa ser considerada amiga, talvez ela também seja um parente, ou tenha sido primeiro um colega, mas é preciso dar a cada um conforme o grau de relacionamento real.  Escrachar intimidades para estranhos na Internet é uma ótima maneira de não ter amigo algum. 
  24. O que não quer dizer que aos colegas e vizinhos não se possa ser muito cordial e quem sabe dali também não possa  surgir um grande amigo. Mas a pessoa educada reconhece a realidade à sua volta e não insiste nem confunde os níveis de relacionamento que existem. 
  25. E antes de buscar saber se os outros são seus amigos examine-se para saber se você é um bom amigo. 
icon
icon
"Boa parte da nossa vida está composta de pequenos encontros com pessoas que vemos no elevador, na fila do ônibus, na sala de espera do médico, no meio do trânsito da cidade grande ou na única farmácia da cidadezinha onde vivemos... e ainda que sejam momentos esporádicos e fugazes, são muitos por dia e incontáveis ao longo de uma vida. Para um cristão, são importantes, porque são ocasiões que Deus lhe dá para rezar por essas pessoas e mostrar-lhes o seu apreço, tal como deve suceder entre os que são filhos de um mesmo Pai. Fazemos isso normalmente através desses pormenores de educação e de cortesia que temos habitualmente com qualquer pessoa, e que se transformam facilmente em veículos da virtude sobrenatural da caridade." Fernández-Carvajal, Coleção Falar com Deus" volume 3,Tempo Comum(1) Semanas I a XII, pag. 33. "