Pesquisar este blog

06 maio 2017

Boas Maneiras em Família

A família é um núcleo de amor. Sem amor os vínculos entre as pesssoas aí reunidas não passam de relações de interesse e comodidade. O convívio amoroso em família nos dá alegrias únicas e inigualávéis que ficam para sempre na memória. Para que o convívio familiar não se deteriore é precisso expressar amor e respeito cotidianamente através desses pequenos gestos da vida diária em família como:

Pontos Práticos de Boas Maneiras em Família

  1. As boas maneiras cotidianas são fundamentais para o convívio familiar. Não subestime a importancia da cordialidade, asseio, apresentação, e qualidades humanas no convívio familiar: quanto mais qualidades pessoais os pais tem e deles dão exemplo e os ensinam aos filhos, melhor o convívio familiar. 
  2. Evitar o espírito de competição entre os irmãos. Pais ausentes e que discriminam ou favorecem uns em detrimento de outros alimentam o mal das comparações familiares que alimentam vaidades, rixas e complexos. 
  3. Evitar toda forma de depreciação e desfazimento do modo de ser dos demais. Homens que desfazem de suas esposas na frente das filhas estão ensinando a estas que seus futuros maridos poderão destratá-las, ou que é normal ser desfigurada emocionalmente por quem nos ama. Toda forma de deboche é expressão de incapacidade emocional e maturidade.
  4. Em família, não incomodamos os demais com barulhos nem fazendo aquilo que sabemos que desagrada o outro, como pegar o que não é nosso sem autorização, abrir correspondência alheia, etc. 
  5. Não defraudar os familiares por gastar demais, por fazer chantagens emocionais para manipular pessoas e obter vantagens, não abusar do amor que nos devotam com exigências de gastos fúteis.
  6. Em família evitamos toda forma de provocação, grosseria e maus modos. Não conte piadas grosseiras, não estimule o consumo de fanatismos, raivas, hábitos negativos de críticas, preconceitos e ou complexos de inferioridade em família.
  7. Muitos males do convívio familiar não estão nos outros, mas na nossa insensibilidade para perceber e amar os demais como são e ajudá-los como precisam. Como você vê e pode ajudar seu pai, mãe, irmão, avô?
  8. Pessoas de boas maneiras valorizam a sua família evitando comparações com as circuntâncias de colegas ou vizinhos. 
  9. É preciso agradecer o que fazem por nós. E fazemos isso não só quando dizemos "obrigado", mas também com deferências habituais como apreciar o almoço, um bolo especial no lanche da tarde, ou por cumprimentar no aniversário, acompanhar com carinho na doença, participar das alegrias de passar numa prova, torcer quando alguém da nossa família compete num esporte, etc.
  10. Uma ótima maneira de sermos amáveis em família é colaborando com as tarefas. E começamos por colaborar fazendo o que é referente à nós mesmos sem atrasos e sem que tenham que nos insistir muitas vezes. Nada é mais cansativo que insistir para que alguém tome banho, acorde, arrume o quarto etc. Portanto em família, não adianta tirar o lixo e manter o quanto uma bagunça ou termos que insisitir muitas vezes para que desligue o aparelho eletrônico da vez para dormir. O que é sua obrigação faça-o já, sem que o mandem.
  11. Em família não nos encostamos nos demais porque isso é sempre um abuso. Assim, evitamos toda forma de "deixar para os outros", ignorar ou adiar o que deveríamos ter feito. Por exemplo, jamais deixamos para a faixineira que vem amanhã o serviço que deveríamos ter feito durante toda a semana que passou. 
  12. Não seja o único que sabe, mas aprenda a todo instante e com todos. (Feja mais sobre liderança aqui.)
  13. Não comemos sozinhos se há uma mesa posta para todos. 
  14. Não falamos se os outros estão falando. 
  15. Não saímos nem entramos em casa sem nos despedir de todos inclusive dos empregados. 
  16. Não impomos horário ou trabalho extra aos demais se podemos evitar isso. Por exemplo, se chegamos tarde da escola, nós mesmos esquentamos nossa comida, que pode ter sido deixada para nós de modo especial, e lavamos o nosso prato, deixando tudo limpo e sem fazer barulho porque esta é uma maneira de acompanhar o ritmo da casa sem impor trabalhos extras por razões indiduais.
  17. E quando recebemos atenções especiais devemos agradece-las sempre e não tomá-las como devidas. 
  18. Além dos eventos sociais da família, também acompanhamos os sentimentos dos outros. Cada membro da família deve ser um amigo em que se pode contar, nas alegrias e nas tristezas considerando-se sempre a idade e a capacidade de cada um. 
  19. Aos pequenos não é lícito detalhar problemas financeiros ou emocionais do casal. 
  20. Não fazemos caras feias e de tédio quando nos repreendem. 
  21. Não fazemos nossos entes queridos esperar por motivos fúteis como ficar no telefone ou em frente à TV.
  22. Cuide muito de sua aparência e modos em família. Descansar e descontrair em casa não requer sujidade ou relaxamento. Enfrente os problemas que o estão deprimindo e mantenha a classe também em casa.  Muitos casamentos já se desfizeram pelo relaxamento da esposa ou do esposo. 
  23. É preciso não estar sempre com cara de preocupação, reclamação, tédio, pessimismos, histerias, etc. O seu lar é uma nau de amor, como quer que ela seja? E em que mares quer que singre?
  24. Trate bem os empregados, seja cordial com os entregadores que devem sempre receber gorjeta e prestadores de serviços em geral, Alguns brasileiros, mal conseguem um trocadinho para comprar bugigangas em shopping e já começam a se sentir melhor do que os outros. E o primeiro que fazem é esnobar os mais pobres que lhes batem à porta. Curioso como nunca competem com um novo rico igual a eles.  É preciso lembrar que em país atrasado, a elite tem fortes chances de ser também muito atrasada, haja visto os ministros de estado, governadores, deputados e empresários presos recentemente por corrupção. Por isso não se engane: é falta de boa educação abusar do empregado com esnobismos e abusos de qualquer tipo como exigências egoístas pretensamente importantes. Categoria humana é o que nos dá a verdadeira classe, não o comprimento da televisão na sala de estar. Aliás opção de gosto bastante duvidoso considerando o baixo nível intelectual e moral de grande parte da programação moderna e que a assistência à essa programação prevaleça sobre o "estar" em família. 
  25. O respeito se aprende em família. Mas lembre-se respeito não é intimidade. Saiba reconhecer as circunstâncias: 
  26. Perceba cansaços, tristezas, isolamentos, necessidades práticas e visite, telefone, escute, presenteie, preste um serviço, etc. E lembre-se nada constrói melhor o convívio familiar que seguir os ensinamentos de Cristo. 
  27. Temos que ter termos uma palavra confiável. Ajuda muito o convívio familiar que o que você diga seja confiável. Fale a verdade, viva na verdade. "Dizei somente: Sim, se é sim não, se é não. Tudo o que passa além disto vem do Maligno.(Mateus 5,37).

Postagens mais visitadas