13 agosto 2017

Boas Maneiras: Muita Educação em Mínimos Gestos

Assim como os perfumes nos quais os melhores podem ser encontrados em pequenos frascos, também grandes gestos de cortesia e boas maneiras podem estar incluídos em gestos mínimos, muito pequenos e despercebidos.

Pequenos Gestos de Boas Maneiras que Revelam uma Educação Primorosa.


  1. Manter o tom da conversa sempre positiva, mesmo com pessoas incovenientes ou situações adversas. Veja aqui um exemplo.
  2. Colocar uma folha de jornal no fundo do saco de lixo para evitar que o saco fique pingando líquidos e assim quando esse lixo cair na lixeira 10 andares abaixo, não suje ainda mais o que os porteiros tem que recolher. Claro que lixo bem embalado e bem separado já faz parte das boas maneiras básicas.
  3. Limpar cada um dos vasilhames plásticos para que os catadores possam reaproveitar melhor as embalagens recicláveis descartadas é um detalhe pequeno mais de grande repercussão.
  4. Quando se é uma autoridade, um bispo, um chefe, um professor, um delegado existe muita grandeza em falar com as pessoas mais humildes dando-lhes atenção com muita educação. Isto é já boas maneiras, mas interromper uma conversa com um par para dar atenção a uma pessoa simples é grandeza. Para nos amar, para estar próximo de nós o próprio Deus se fez homem como nós. Por isso há grandeza em se sendo uma "estrela", baixar do céu onde se imagina e tratar com atenção os pequeninos deste mundo. Nada pode ser mais grosseiro que numa fila de cumprimentos, por exemplo, após uma cerimônia, e onde o povo vai cumprimentar a autoridade, esta se manter em conversa com os seus assessores ignorando o pequenino e anunciado com seu anunciado desprezo a inconveniência daquele pequenino. Todas as faltas de cortesia bradam ao céu e são um tiro no pé.  
  5. Ser uma pessoa agradecida é certamente uma das melhores características da pessoa de boas maneiras. Um bom filho faz pelos seus pais idosos muitos gestos de amor através de cortesias e atenções de diversos modos. Mas demonstrar essa gratidão até o nível do sacrifício pessoal, como provavelmente os pais fizeram por seus filhos, e sem reclamar ou reinvindicar crédito é suprema cortesia. Ou seja, o cuidado com os idosos não se limita a eventos pontuais, mas em fazer tudo o que é preciso pelos idosos, mesmo que impliquem algum sacrifício, e fazer isso sem se anunciar ou reclamar compensações. 
  6. Existe muita educação em ser pessoa ordenada, limpa e cuidadosa. Mas num fechar de porta com cuidado, ou caprichar num prato do dia a dia, sem ser data especial e manter-se alinhado mesmo em idade avançada, esconde muita educação. 


Obrigado por compartilhar esta postagem. Siga-nos no Twitter

09 agosto 2017

Boas Maneiras e a Docilidade

Docilidade e boas maneiras tem a ver, em termos bem práticos, com essa capacidade de aceitar, considerar e aproveitar a experiência e os conhecimentos que os demais nos oferecem. 

A docilidade nos faz mais simples para ouvir com calma e atenção o que os outros dizem e tomar decisões mais serenas e prudentes tomando em consideração o que nos explicaram. 

Geralmente tentamos executar tudo conforme nosso critério, nosso julgamento. A pessoa dócil não é submissa ou anulada, mas sabe receber conselhos e reconhece quem sabe mais e se coloca como uma “estagiária” para aprender mais rápido. 

Pedir ajuda e deixar-se ajudar só é difícil para aquela pessoa que crê que sua opinião é melhor, ou é muito autosuficiente.

É preciso estar atento para as sugestões que podem vir de uma vizinha, de um amigo ou um chefe. Na verdade deveríamos considerar uma grande honra que se preocupem conosco, que nos ponham atenção, afinal todo mundo vive envolvido consigo mesmo e com seus afazeres. 

Pessoas que não tem essas boas maneiras da docilidade podem também ter por certa a má vontade dos outros e qualquer sugestão que lhe é dada logo entendem como motivada por inveja, por crítica ou maldade. 


Pontos Práticos sobre a Virtude da Docilidade


Por docilidade, considere a possibilidade de que as exigências que lhe estão fazendo sejam para o seu bem e não uma simples crítica. 

Algumas pessoas podem pensar que docilidade é uma certa fragilidade e que portanto é incompatível com energia, fortaleza ou trabalho duro. Um engano. O pai dócil está mais próximo de seus filhos exatamente porque é dócil, escuta, explica, e isto não tem nada de omisso ou bobo. Ao contrário, custa mais se controlar e ter paciência com os filhos que sair reclamando.

Evite criticar as pessoas que lhe estão advertindo de algo e procure ver nelas sua boa intenção ou o progresso pessoal que fará a partir daquela indicação. 

O ser dócil nos torna pessoas mais agradáveis de conviver e acelera a obtenção de progressos pessoais e coletivos. Melhora nossa capacidade de adaptação às novas exigências e circunstâncias de trabalho, de aprendizado e no convivio humano.A pessoa dócil transmite ao ambiente a segurança de quem sabe apreciar as boas sugestões dos outros.

Na verdade, a docilidade funciona como uma força operativa e cooperadora no convívio diário. É preciso docilidade também na direção espiritual. 

Na vida em sociedade, docilidade é também estar disponível, para os amigos, para as ações caritativas, para o bem comum, para um estudo, para um parente solitário, etc.

Boas Maneiras e a Honestidade: Pontos Práticos

  1. A honestidade se vive primeiro a nível pessoal.  Ser honesto é mais do que não roubar: é viver de acordo com os bons valores. A pessoa honesta o é em todas as coisas e sempre.  Ou seja, no seu comportamento, nas suas palavras e nos seus interesses. E em casa, como no trabalho, na Igreja e inclusive quando se está só. A pessoa honesta tem palavras, sentimentos e comporta-se de forma sincera.  
  2. A pessoa honesta cumpre com seus horários, tarefas, obrigações sociais, pessoais, morais etc.  sem adiamentos.  De forma cabal, completa e da melhor maneira porque de outro modo seria fraudar a justiça.  
  3. Sempre cumpre com suas obrigações. É uma falta grave contra a justiça deixar de trabalhar como se deve. E mentir sobre as razões de adiamentos e simplificações para tirar por menos indevidamente é corrupção de caráter.
  4. A palavra dada tem que ser cumprida sempre. Se disse que ia fazer,faça.  Seja dar um telefonema, seja enviar um e-mail, pagar uma conta, fazer um favor, faça. 
  5. A pessoa honesta não se utiliza de mentiras, joguinhos ou enganos para manipular as pessoas à seu favor.
  6. A honestidade exiger que respeitemos o bom nome das pessoas e instituições e por isso a pessoa honesta não é maledicente.
  7. A pessoa honesta sempre guarda os segredos, os problemas e as dificuldades profissionais sobre uma discrição prudente.  Se nem a caridade nem a obrigação exigir, não se divulgam como assunto corrente de conversas, defeitos, pecados, problemas familiares, do trabalho, de dificuldades financeiras pessoais nem alheias.
  8. A honestidade também nos faz ter cuidado com os endividamentos, as compras excessivas, os relacionamentos e situações que parecem não ser honestos ou que podem levar a um deslize moral.  A pessoa honesta nunca pactua com o desonesto mesmo que todos à sua volta o façam.  Ela nunca relativiza a importância de um mal menor para justificar-se.  Isso já é corromper-se.  Nunca se mente para si mesmo sobre a real capacidade de compra, de comprometer-se, de chegar a tempo, de envolver-se ou sobre o mal que se está colocando num programa vulgar, numa má companhia, numa má escolha, etc.
  9. A pessoa honesta também não falseia a intenção intenção que o move. Todo ato para ser bom é precisa ser bom em si mesmo, ( ou indiferente, como comer) E QUE A INTENÇÃO QUE O MOVA SEJA RETA.  Dizer que tem que trabalhar até tarde e fazer-se de vítima para não chegar cedo em casa e evitar ajudar na educação dos filhos é ser desohonesto na intenção que o move. 
  10. A falta de honestidade faz a pessoa viver num mundo falso, irreal o que traz graves consequências para o tipo de vida que ela e sua família levam.  Uma pessoa que comece dizendo que está “cansado” e por isso não lava a louça do almoço, quando na verdade tem preguiça, não é honesta sobre o que está realmente acontecendo e com a “prática” de desonestidades como esta, irá falseando e deturpando a sua realidade.  Rapidamente essa pessoa caminhará para estados de depressão e desleixo, para queixas, para exploração dos filhos, para vitimização, etc.  que afetarão toda a família.  
  11. A pessoa honesta não explora empregados. Todos somos irmãos e filhos do mesmo pai e merecemos a mesma consideração e respeito que queremos para nós. E uma das primeiras maneiras de respeitar os demais é pelo estabelecimento de relações honestas.  
  12. A pessoa honesta não rouba, não apoia corrupções, não lesa os demais, não falsifica produtos, não apoia atos de desrespeito ou preconceito nem é omissa na denúncia oportuna do erro.  
  13. A pessoa honesta não se omite em relação a um erro próprio e pede desculpas e tenta corrigir o mal causado.  
Exame sobre a nossa Honestidade
No Exame para Confissão você poderá incluir perguntas sobre a honestidade para crescer nesta qualidade humana como:
  1. Aproveito o tempo intensamente ou entrego-me ao ócio com facilidade deixando de cumprir minhas obrigações?  
  2. Recebo um salário por um serviço que devo prestar.  Correspondo trabalhando com intensidade e utilizando de todos os meus dons para realizá-lo de forma bem feita?  
  3. Utilizo de material ou tempo do escritório para fins pessoais?  
  4. Fiquei com algum objeto de alguém?  Pedi emprestado e não devolvi?  
  5. Menti?  
  6. Evito fazer gênero para chamar atenção sobre mim mesmo sobrecarregando os demais sem motivos?  
  7. Cumpro todas as minhas promessas?  Todas, inclusive aquela “ – Vou telefonar para você semana que vem? ” “ - Vou lhe dar este presente amanhã. ” Etc.  Compreendo que a confiança que as pessoas depositam em mim depende da correspondência à verdade de minhas palavras e atitudes?  
  8. Assisto a programas desonestos e depois faço gênero puritano?  
  9. Menti ou engano pessoas, por exemplo, mais jovens, valendo-se do meu cargo, posição na empresa, social ou dinheiro para obter vantagem sexual?  
  10. Mudo de valores conforme o ambiente?  Em ambientes onde usam drogas considero isso uma “modernidade” e em outros uma imoralidade?  
  11. Quando atendo o público no meu trabalho evito aproveitar-me da ignorância deles sobre algum produto, serviço ou trâmite burocrático para “curtir com a cara dele”, tirar vantagem, evitar trabalhar, tirar dinheiro, etc.  ?  
  12. Devolvo em bom estado tudo que peguei emprestado?  
  13. Evito ser pesado aos demais com falsos problemas, pedidos de atenção, lamúrias.  Evito abusar das empregadas domésticas, da secretária, dos entregadores, etc?  
  14. Compreendo que o meu descuido na vida em sociedade por falta de honestidade causa muitos males na vida cotidiana e que é desonesto trabalhar mal, agir com preguiça, má fé, má intenção?  
  15. Compreendo que é desonesto agir com intenção pouco reta?  Devo amor e respeito aos demais gratuitamente e não para “ganhar carona”, prestígio, oportunidade de promoção etc.  
  16. Compreendo que ser desonesto me rouba energia, sentido do real, valor e qualidade no meu trabalho e que isto é o mesmo que perder em vida é desconstruir o sentido da própria vida?  
  17. Falo sempre a verdade?  Ou exagero e mitigo atenção com lamúrias que não tem a ver com a verdade?  
  18. Copio e colo e atribuo à minha autoria o que encontrei na Internet?  Dou crédito ás fotos e fontes?  Uso de cola na escola?  Digo que participei de um trabalho de grupo quando só assinei?  
  19. Roubo no peso, na validade, no exame médico que solicito e que não é necessário visando apenas lucro?  Interno meus pacientes sem necessidade?  
  20. Trabalho no meu emprego público de verdade ou chego atrasado, pago para outro ir no meu lugar, não me interesso e acabo deixando sobrecarregados outros setores?  
  21. Aceito meus erros sem ficar me justificando?  Corrijo as minhas faltas?  Cumpro com meus deveres para com Deus?  Menti na Confissão para não ficar mal?  
  22. Sou desses distribuidores de críticas que tudo julgam, avaliam, criticam como se de seus veredictos dependesse a paz mundial?  Meu testemunho como cristão é o de um moralista empedernido e antipático ou testemunho a caridade de Cristo com pensamentos compreensivos e amor aos demais?  A honestidade aqui é o estar motivado por valores retos, nobres e não por vaidades ainda que disfarçadas de virtudes.  
  23. Traio a minha fé para pecar com mais facilidade?  Compactuo com ideologias contrárias ao bem humano por oportunismo de emprego, aceitação social, ou sou fiel ao que penso?  
  24. Pego objetos dos meus irmãos sem pedir autorização?  Tenho sempre uma desculpa pela qual justifico os meus abusos em relação aos meus familiares?  Compreendo que me impor aos demais, fazer exigências com chantagens emocionais, abusar financeiramente ou do amor que nos tem os pais e parentes é desonesto?  
  25. Digo que os outros são chatos para não ter que lhes dar atenção ou obedecê-los no que sei que deveria?  
  26. Sou fiel aos meus ideais e valores e leal aos meus compromissos e ao meu cônjuge?  
  27. Há pessoas que só se motivam por estímulos extras: aplausos, glutoneria, alcoolismo, “presentes”.  Compreendo que o honesto é trabalhar intensamente, acrescentando ao que faço as qualidades que tenho sem medi-las conforme interesses oportunistas.  Compreendo que o honesto é ajudar desinteressadamente, que o sentido da vida é servir e não servir-se dos demais?
  28. Porque trabalho?  Para me engrandecer, para procurar a mim mesmo em tudo ou para servir?  Do mesmo modo porque falo, me relaciono, etc.

A Honestidade na Vida em Sociedade

A verdade é que a honestidade vivida cotidianamente é responsável pela qualidade de vida em muitos aspectos. E a honestidade, quando efetivamente modela as relações sociais não só combate a corrupção como melhora as condições de vida de um modo geral, ao melhorar a prestação dos serviços, ao direcionar energia, recursos e talentos para o que realmente é preciso, etc.

05 agosto 2017

Características Pessoa Boas Maneiras

  1. Ser diligente. Fazer prontamente o que importa fazer sem reduzir tudo à questão de “estar a fim ou não estar a fim”. O que devemos fazer nós devemos fazer prontamente, sem adiamentos. Adiamentos e enrolações enfraquecem aquilo que REALMENTE podemos ser e fazer. 
  2. Em coisas simples, cotidianas não podemos ser medíocres. Nas coisas grandes só conseguiremos ser corretos, pontuais e ordenados na medida em que o tivermos sido nas pequenas coisas. E isto porque só a força do hábito assegura uma qualidade real. Quem só estuda na véspera da prova dificilmente será diferente na universidade ou na forma de trabalhar na vida adulta. 
  3. Não ser deslumbrados, dissipados, levados pelo consumismo. O que acontece quando a fruição é maior que a qualidade humana que se possui. 
  4. Não ser tão auto suficiente que não precise dos outros. Amar é também receber amor. 
  5. Procurar não luzir mais que os outros. 
  6. Evitar o desejo de ser o centro das atenções. Não ser íntimo demais, confiado demais, falante demais. Ou engraçado, ou espaçoso ou tímido demais. Seja apenas você. Não tente preencher nenhuma expectativa criada por outros, pela tv, pelos colegas.
  7. Não minta nem tenha vergonha de suas condições pessoais. Como dizia o santo da vida cotidiana, São Josemaría Escrivá, vergonha só para pecar. 

Boas Maneiras e Virtudes No Trabalho

Boas Maneiras e Virtudes No Trabalho


A convivência é mais agradável quando existe cortesia e ajuda mútua e devemos sempre realizar estes pequenos serviços do dia a dia. Por isso lembre-se de prestar pequenas ajudas ou oferecimentos de cortesia como servir um café, colaborar com o trabalho dos outros, ceder a vez num elevador, ou no estacionamento, etc.

Devemos tratar os outros como gostaríamos de ser tratados, cumprimentando a todos, utilizando um vocabulário adequado e pedindo as coisas amavelmente, evitar envolver-se com a vida privada dos demais, com críticas e as murmurações, (se não houver nada positivo para dizer é melhor não dizer nada).

Boas Maneiras no Trabalho

Na verdade existe uma série de hábitos que são chaves para desenvolver nossa capacidade de nos relacionarmos com quem trabalhamos:
  1. Saber trabalhar em equipe.
  2. Contar mais com o que os outros podem contribuir ou nos trazer.
  3. Aprender a discordar construtivamente sem aborrecer-se e sem enfrentamentos ou humilhações desnecessárias.
  4. Saber conjugar exigência com cordialidade, saber mandar sem humilhar e obedecer sem se sentir humilhado.

Virtude Humana refletida na Postura Profissional de Trabalho

  1. Evitar a resistência gratuita às pessoas em comando ou que tenham diferentes níveis cultural ou social. Evita a necessidade de elitizar-se em relação aos outros, a excessiva influência dos outros sobre um mesmo, a adulação, o desinteresse por tudo e todos fazendo apenas o que lhe convém, etc.
  2. Saber compartilhar momentos informais sem exceder-se em bebidas, confissões de intimidade, maledicências, etc.
  3. Evitar, nos ambientes de trabalho, os namoricos, os exibicionismos o flerte com pessoas do sexo oposto principalmente se são casadas, as roupas e os modos provocativos, bem como as "brincadeiras" de gosto duvidoso como aqueles que expõem defeitos e problemas dos outros, ou usam idéias e termos vulgares ou que falam mal de temas caros, aos outros, como religião, família, etc.
  4. Não tenha tanta certeza que suas piadas, modos alegres são sempre convenientes.
  5. Controle os temperamentos muito explosivos, o estar reclamando de tudo ou criticando tudo.
  6. No trabalho deve imperar a relação profissional e a atenção que damos aos outros não deve ser confundida com carícias ou familiaridades que são muitas vezes indício claro de uma predisposição menos ou mais consciente para a vulgaridade.
  7. Não aceite e não faça " conquista de escritório". Se tiver um amigo ou mesmo o chefe, fale quem a está incomodando e peça para ele não fazer mais esse tipo de abordagem. As pessoas mais velhas e de maior cargo ou experiência devem ser as mais prudentes e agir pela parte mais fraca, desestimulando fantasias de relacionamentos ou admiração fora da "real" e, em hipótese alguma compactuar com as "ilusões" não seja ela no final envolvida em assuntos não condizentes com sua posição. É preciso entender, falar francamente e não incentivar ou tirar vantagem de "deslumbres" de pessoas mais fracas. Evitar sempre o desenvolvimento da ilusão não aceitando "almoços" para conversar, etc.

Boas Maneiras: Oração antes Ceia de Natal

A ceia do Natal deve ser precedida de uma prece que deverá ser feita preferencialmente de pé, em volta da mesa e talvez as pessoas queiram se dar às mãos. 


Se for feita uma pequena "cerimônia" antes da ceia, com várias pessoas fazendo os agradecimentos a Deus e os votos, a oração de mãos dadas pode ser seguida do cumprimento fraterno e feita um agradecimento especial pelas refeições que estão para receber, a ceia pode seguir-se sem a natural oração às refeições.

Devida a data especial talvez esta seja a melhor forma uma vez que depois as pessoas podem lavar as mãos para a refeição. 


Devemos ser muito próprios nessas orações sem nos excedermos em qualquer aspecto afinal a qualidade da oração vem do amor ou da sinceridade com que é feita e não pelo sentimentalismo ou excesso de sisudez na oração. 


Dar chance também às crianças e aos mais velhos de se manifestar. Quando há um sacerdote presente devemos pedir que ele faça as orações. Não devemos convidar para fazer as preces alguém a quem antes não tenhamos perguntado se pode fazê-las.

Boas Maneiras:10 Detalhes de Etiqueta à Mesa

    Etiqueta à Mesa
  1. Como se sabe, cabe à anfitriã servir o chá para os convidados, deixando os acompanhamentos para que os convidados se sirvam.
  2. O garçom ou a anfitrião devem cortar a primeira fatia de qualquer bolo ou pudim para facilitar o corte do doce que de outro modo poderia se quebrar inapropriadamente.
  3. Os queijos devem ser apresentados com pelo menos uma fatia cortada e nunca inteiros e muito menos embalados.
  4. Após o café seguem-se licores, conhaque e água mineral. Deve-se deixar passar pelo menos uma hora antes de se começar a servir bebidas.
  5. Cabe sempre ao anfitrião preparar e servir as bebidas, jamais a anfitriã. 
  6. A mesa não deve ficar cheia de garrafas. A garrafa de vinho deve ser servida pelo anfitrião ou pelo garçom dando-se a volta em torno da mesa servindo-se cada copo com cuidado. Depois a garrafa deve ser depositada numa mesa ao lado, até que volte a ser servida.  Só por alguns momentos a garrafa pode ficar em cima da mesa da refeição.
  7. Café e chás são servidos individualmente, correndo-se a bandeja com as xícaras em uma sala contígua à da refeição. Se a refeição não é solene se pode servir o cafezinho à mesa da refeição.
  8. É possível repetir pratos e bebidas, mas nas mesas formais não se repete a sobremesa. Só se pode repetir se a anfitriã o fizer ou sugerir que a repitam.
  9. Antes de se servir a sobremesa se retira da mesa tudo que não será mais necessário e que foi utilizado para a parte salgada da refeição: talheres de servir não utilizados, pratos de pão e salada, saleiros, molheiras, travessas, copos não utilizados e pratos da comida de sal. Permanecem os copos para o vinho que acompanhará a sobremesa. 
  10. Não se coloca o prato de sobremesa sobre o suplait. Ele também sai antes de ser servida a sobremesa. 

Boas Maneiras e o Natal

Cartões de Natal

  1. Jamais deixe de enviar seus votos de Feliz Natal. Este é um meio certo de fazer as pessoas felizes.
  2. Prepare com antecedência uma lista de pessoas a quem você vai enviar seus votos para não esquecer ninguém.
  3. Para familiares e amigos próximos e queridos prefira os cartões em papel enviados pelo correio. Aos colegas você pode enviar cartões virtuais mas jamais envie um cartão virtual ou um "animated gift" sem uma palavra pessoal. Um bom meio de fazer isto é criando você mesmo o seu cartão visual ou utilizando cartões de Natal de site colocar umas palavras bem escolhidas. Evite também os e-mails só de texto, o Natal é a festa maior e a sua alegria e os seus votos pedem um mínimo de elaboração. Jamais agradeça de volta um e-mail ou cartão sem mencionar o recebimento dos votos que você enviou. 
  4. Não envie cartões ou envelopes rasurados. Enderece o envelope como solicita os correios: de forma centralizada sendo o cep a última informação, a última linha. 
  5. Para assinar os cartões de Natal de famílias para famílias é habitual que o nome do marido venha antes da esposa, mas esta é uma questão de escolha pessoal. Jamais Sr. e Sra. Luiz da Silva mas sim Luiz e Josefina da Silva.
  6. Para assinar os cartões de Natal de famílias para famílias é habitual que o nome do marido venha antes da esposa, mas esta é uma questão de escolha pessoal. Jamais Sr. e Sra. Luiz da Silva mas sim Luiz e Josefina da Silva.
  7. Algumas pessoas fazem uma grande confusão: Sugerem que a pessoas de outras religiões não se enviem cartões de Natal ou com "motivos" como Presépios, mas que prefiram cartões de "Happy Holidays". Ora, não se ganham presentes de férias, nem se faz uma ceia a meia-noite porque se saiu de férias nem se arma e decora um pinheiro no meio da sala porque vai mudar a folhinha do calendário para um novo ano em breve. No Natal é comemorado o nascimento de Cristo. O que se comemora no Natal é o amor. O que se compartilha são os votos de uma renovação da vida pelo amor. Ora isto pode ser desejado a todas as pessoas de todos os credos, se não fosse assim não poderíamos ir a um aniversário de alguém que não é da nossa família. Podemos sim da alegria alheia e colher bons frutos mesmo não estando diretamente ligados a eles. Na verdade este pensamento está ligado a uma tentativa de desmonte da importância da Igreja Católica por razões de pensamento único à esquerda que dominou as universidades, pelas novas religiões e ideologias New Age e pagãs que querem assumir o lugar de "ópio do povo" na atual corrente relativista. Como se você precisasse abdicar de comemorar o seu aniversário para que o outro pudesse comemorar o seu. 
  8. Envie com pelo menos três semanas de antecedência os seus cartões de Natal que vão pelo correio. Aos parentes e amigos distantes você pode acrescentar uma pequena cartinha contendo novidades, de preferência mencione apenas coisas boas. Não é de bom tom junto com os cartões de Natal o envio de muitas reclamações e longas descrições de tudo que aconteceu.
  9. O envio de cartões deve ser ser por espírito de Natal e não como um meio de auto-promoção.

Em Meios Virtuais 

Não deixe de colocar seus votos de Feliz Natal no seu blog, Facebook, Hi5, Orkut, etc. Não apenas mandar os votos, mas enfeitar as suas homes.

Presentes e Cerimônias


  1. O espírito de Natal não pede necessariamente presentes caros. O aniversariante no Natal é Cristo e por isso participar da Missa do Galo é fundamental. Se você for à casa de Deus no seu aniversário, mais certamente Ele estará na sua ceia em sua casa. Não deixe que providências sobre comida e organização da ceia impeçam alguém de participar da Missa do Galo.
  2. O espírito de Natal também pede uma oração antes da ceia. ( Veja aqui no Vida em Sociedade uma sugestão de oração em outras postagens sobre o Natal e sobre orações).
  3. A melhor preparação para o Natal é uma boa Confissão. 
  4. Evite reaproveitar presentes oferecendo-os a outras pessoas. Isso é muito feio.
  5. Sempre demonstre com um belo sorriso de surpresa, com um agradecimento e um abraço talvez um presente que acabou de receber. Lembre-se que a pessoa teve trabalho procurando, embrulhando, gastando com ele. Jamais, jamais reclame ou faça caras de desapontamento ou comentários depreciativos. Muito comum em crianças e adolescentes mimados. Mas tudo isso se ensina em casa. Ninguém nasce educado, é preciso aprender em família.
  6. Não se faça de mártir comprando presentes para todos e não tendo debaixo da árvore nada para você esperando que todos lhe digam "coitada". Se o seu marido não tem esse detalhe, ajude-o e tenha um belo presente para você mesmo na árvore. Todos vão gostar de participar da sua alegria.
  7. Não deixe ninguém de fora: enteados principalmente. Não faça diferença entre famílias, entre filhos, entre irmãos entre pais na hora de presentear. Este não é o espírito de Natal. 
  8. O espírito de Natal exige que você cumprimente a todos amavelmente: na paróquia, nas reuniões em família. Seja especialmente cooperativo. Perdoe ou releve. Ensine seus filhos a participar e não a apenas esperar serem servidos de presentes e atenções.
  9. Combine com os familiares com antecedência os presentes, os cardápios, os horários, o modo de apanhar ou levar os idosos ou os isolados. Tudo de tal forma que ninguém fique sobrecarregado. Prefira reuniões onde estão todos mais relaxados do que festivais de glutoneria com empregados ou donas da casa estafados e estressados.
  10. Não imponha seu estilo sobre os demais. Por exemplo, não exija que os presentes sejam abertos antes da ceia se a família de sua nora que vem pela primeira vez na sua casa tem outro costume. Em geral brigamos muito por nossas manias e muitas vezes trocamos o essencial pelo secundário e deixamos de ir à Missa do Galo de Natal, mas exigimos tal ou qual comida.
  11. Não imponha a bagunça e a energia das crianças aos idosos. Tenha um espaço reservado na casa mais calmo e exija respeito das crianças para com os mais velhos. 
  12. Não se esqueça dos parentes isolados e sozinhos. Convide-os para suas comemorações.
  13. Não se pode esquecer o pároco nas suas comemorações. Envie-lhe um cartão, um óbulo de Natal para seus trabalhos assistenciais, um presente, conforme a sua proximidade com os padres da sua paróquia.
  14. Dê gorjetas equivalentes a no mínimo uma semana de trabalho dos prestadores de serviço que lhe serviram durante todo o ano: babás, acompanhantes, empregadas domésticas, faxineiras. Aos professores só os professores primários se lhes pode enviar um presente.
  15. Escolher bem um presente é muito bom. Mas o espírito de Natal seria melhor atendido com uma lembrancinha porque a alegria maior é o nascimento de Cristo no nosso coração. Se todos nos dermos perdão, sorrisos, companhia, carinho, reafirmação, apoio, elogios, alegria, beijos, abraços, nestes festejos o presente é apenas mais um destes itens que querem expressar o bem maior que é viver verdadeiramente o espírito de Natal. Mas presente simples não é presente mal escolhido, daqueles feitos pela pessoa mesma, mas que são horríveis de tão amadores. Enfim, coloque a sua categoria humana no seu presente: pela escolha, pela propriedade, pela bonita embalagem, pelo detalhe de carinho, pelo cartão que o acompanha, e ele será maior do que o mais caro dos presentes.
  16. Não permita que opções como viagens não urgentes dividam a família no Natal. Exija a presença de todos.
  17. Muitas pessoas se sentem tristes no Natal porque estão sós, porque já estiveram em famílias maiores, porque estão longe ou porque compraram a ideologia errada e pensam que tem razão em simplesmente ficar mal humorado se todos estão tentando promover o espírito de Natal. Nada disso é motivo para enfurnar-se, isolar-se e muito menos para participar da festa dos outros de má vontade. A vida é maravilhosa e enquanto estivermos aqui devemos aproveitar a vida da melhor maneira e reinventá-la a cada dia é a melhor delas. Nunca encontrei uma pessoa mal humorada com o espírito de Natal que não fosse uma pessoa que pensa demais em si mesma.
  18. A caridade é espírito do Natal. Não deixe de fazer um gesto bonito no Natal: se você vê uma coleta na paróquia, no shopping dê um pouco. Se você tem coisas não usa mais às ofereça para alguma ação caritativa. Doe sangue. Avise seus parentes que é doador. Doe alimentos para pessoas carentes, seja madrinha de uma criança no Natal, distribua brinquedos ou presentes em áreas carentes ou orfanatos, faça uma visita a um asilo ou a um doente ou idoso que não sai de casa, gratuitamente, com tempo, com um presente de Natal. Leve seus filhos para entregar na véspera ou no dia do Natal um prato de rabanadas a quem está, nessa data, de plantão nos hospitais, na delegacia, no posto de bombeiros. 
  19. Não deixe de montar sua árvore de Natal e o seu presépio em casa. Ensine seus filhos sobre os símbolos e o significado do Natal enquanto os faz participar da decoração e de todos os preparativos, como por exemplo ajudar a escolher o presente do irmão ou da avó de modo que ele entre verdadeiramente no espírito de Natal. Veja significado dos símbolos do Natal no datashow Símbolos do Natal do Vida em Sociedade. Quanto mais sua família compreender o verdadeiro significado do Natal, mais intensa será a renovação de amor destas comemorações e melhor o resultado sobre todos. Expectativas sobre presentes em geral só preparam para mais presentes e mais gastos.

Boas Maneiras e Categoria Humana: 21 Dicas

  1. Dar-se é mais importante que dar. Por isso que dar atenção, dar tempo, ceder para atender o gosto dos outros em coisas que é possível ceder, não se encostar nos pais, filhos, empregados, etc. é prova de grande categoria humana.
  2. A abertura para aprender é sinal da grandeza de coração. Aprender não só com cursos e não só para alcançar metas de interesse profissionais ou utilitários. Mas aprender com as pessoas cotidianamente e a amar, a servir, a fazer rir. Aprender cotidiaamente, com a observação, os livros, as conversas, as viagens, com a oração. Para isso é preciso controlar o egoísmo que só busca os próprios interesses. É por isso que uma pessoa "culta", cultivada é tão agradável. Como diz Gadamer, cultura tem a mesma raiz que cultivar e para isto é preciso "inclinar-se para recolher". Um coração reto aprende para servir e não para projetar-se na vida em sociedade. 
  3. Ouvir. Aqui isto quer dizer considerar efetivamente o que está sendo dito sem colocar uma barreira prévia para nem saber a respeito. Preferir considerar o que é dito para só depois comentar com caridade é prova de boas maneiras e qualidade humana. 
  4. Uma pessoa de grande qualidade humana não se inventar tarefas desnecessárias preferindo sempre ter conteúdo e profundidade ao excesso de atividades.
  5. Pessoa de grande qualidade humana prefere ser pessoa que escolhe bem os rumos da vida e os alcança, não ficando só nas tentativas, nem nas superficialidades e muito menos na insistência do erro. 
  6. Uma pessoa de grande qualidade humana não ficar remoendo problemas do caminho para acabar esquecendo as metas maiores, a própria felicidade.
  7. A falta de engajamento social ou de interesses além do estritamente pessoal pode demonstrar egoísmo excessivo o que limita muito tudo o que se poderia ser como pessoa. Por isso devemos receber, dar, retribuir, agradecer, participar. Tem gente que só faz uma gentileza, ou o que deveria fazer quando tem algum “motivo”: estudar só para a prova e só de véspera, enviar um cartão ou dar telefonema porque depois vai pedir o carro emprestado, etc. Faça uma boa ação sem esperar retribuição. Participe com assiduidade de ações beneficentes de forma eficiente e desinteresadamente. Isto alarga o coração e a nossa capacidade de ser. 
  8. Para uma pessoa de grande qualidade humana importa mais a intensidade da amizade ou a qualidade do contato entre os amigos do que a extensão e variedade com que ocorrem. A extensão pode – em alguns casos – ser prova de superficialidade. 
  9. Uma pessoa de grande qualidade humana é prudente no trato com os outros. Sempre considera também as intenções para desculpar ou precaver-se quando for o caso. 
  10. Uma pessoa de grande qualidade humana é sempre educada com todos. Devemos criar o hábito do trato cordial e atencioso mesmo quando as situações não são especialmente fáceis ou agradáveis. Não esqueça de oferecer um sorriso, mesmo quando for preciso se negar a um pedido inoportuno. 
  11. Aprenda a divertir-se sem tomar álcool, fazer brincadeiras de mau gosto, dizer grosserias e piadas vulgares, desenvolver interesses mórbidos ou de vulgaridade sexual, palavras trejeitos e modas agressivos porque são expressão da falta de segurança, autodomínio e mau gosto. 
  12. Acostume-se a recolher você mesmo tudo que é subproduto do que você faz: Tomou banho? Seque o que tiver molhado, recolha roupa suja, etc. Recolha seu prato após comer, leve seu lixo para fora, recolha suas roupas do quarto, guarde os livros e os jornais que leu no lugar apropriado, etc. Seja um bom companheiro: apague as luzes caso sua esposa ou esposo já tenham ido dormir. Não acredite que a luz não está incomodando. 
  13. Cumprir suas obrigações é evitar a mediocridade. Mas pode-se ir além. Colabore com o serviço doméstico sem que lhe tenham que pedir. Lave seu próprio copo de água e a louça que encontrou quando foi fazê-lo sem “anunciar” seu “feito” para obter parabéns dos pais.
  14. Não dependa de seus estados de ânimo para fazer o que deve. Faça suas lições e obrigações de casa sem que lhe tenham que pedir, vigiar, mandar ou chantagear.
  15. Procure interessar-se também pelas necessidades pessoais dos seus familiares ao invés de esperar ser sempre servido.
  16. Guarde a crítica gratuita numa gaveta trancada à chave.
  17. Não faça o que sabe que desagrada aos outros, como barulhos, pegar objetos de estimação sem permissão, usar roupas, abrir gavetas, etc.
  18. Jamais pegue o que não é seu. Devolva sempre o troco. Não abra a bolsa dos outros, nem a correspondência em hipótese alguma. Ao encontrar uma porta fechada, bata antes de entrar e espere a resposta para entrar. Quando em casa dos pais não se sirva da geladeira, nem imponha suas necessidades aos idosos. Carregue você a sua cruz.
  19. Respeite os segredos que lhe foram confiados.
  20. Não minta. Faça com que a sua palavra dada seja conhecida como confiável: se disse que ia chegar às 9 horas, chegue, não importa quanto lhe custe, se disse que ia estudar agora, ou lavar a louça, faça isso e no horário prometido. O que fizer de bom faça-o discretamente sem anunciar-se.
  21. Arrume sua cama antes de tomar café.

13 Virtudes de uma Pessoa Educada e Fina

  1. Uma pessoa educada e fina procura o bem: quer ter qualidades pessoais, família, saúde, um trabalho nobre, etc. 
  2. Uma pessoa educada e fina tem qualidades reais e não apenas parecer tê-las, ou presume tê-las.
  3. Uma pessoa educada e fina é diligente. Faz prontamente o que importa fazer sem reduzir tudo a questão de “estar a fim ou não estar a fim”. O que devemos fazer devemos fazer prontamente, sem adiamentos que enfraquecem no final das contas o quanto REALMENTE podemos fazer.
  4. Uma pessoa educada e fina, em coisas simples, cotidianas, como acordar, tomar banho, cumprir tarefas simples, não é medíocre. Sua cama, tarefas, etc. são sempre feitas da melhor maneiras possível.
  5. Uma pessoa educada e fina procura fazer sempre bem feito tudo que faz porque está 100% naquilo que faz. Não é superficial nem faz as coisas para se livrar delas, mas ao contrário imprime no que faz o seu caráter, as suas qualidades.
  6. Uma pessoa educada e fina é dirigida por seus valores e não pela opinião alheia. 
  7. Uma pessoa educada e fina é pontual, correto e ordenado em todas as circunstâncias. Nas coisas grandes só conseguiremos ser corretos, pontuais e ordenados na mesma medida em que tivermos sido nas pequenas coisas. E isto porque só a força do hábito pode nos manter – ao nos depararmos com dificuldades – com a mesma pontualidade, correção e ordem. Quem só estuda na véspera da prova dificilmente será diferente na universidade ou na forma de trabalhar na vida adulta.
  8. Uma pessoa educada e fina não é deslumbrada. O que acontece quando a fruição é maior que a qualidade que se possui.
  9. Uma pessoa educada e fina não é tão auto - suficiente que não precise dos outros. Amar é também receber amor. 
  10. Uma pessoa educada e fina procura não luzir mais que os outros e evita o desejo de ser o centro das atenções.
  11. Uma pessoa educada e fina não é íntima demais, confiada demais, falante demais. Ou engraçada, ou espaçosa ou tímida demais.
  12. Uma pessoa educada e fina não se move por má intenção, como querer parecer rico, espirituoso, etc
  13. Dizem que a vida é conhecer e conhecer-se:  a vida é exatamente esse desenvolver o próprio ser para uma atuação na vida em sociedade digna de um filho de Deus. E se de um filho de Deus necessariamente uma vida digna de ser chamada de santa. Não há conhecimento válido, portanto, para dignificar uma vida, fora da santidade. Esta deve ser a baliza de todo conhecimento. Um conhecimento que afaste de Deus, necessariamente afasta do bem. do que vale a pena viver. 

Básico Sobre Democracia

Democracia 

  1. Do grego demos, "povo" e kratos "autoridade”. 
  2. Portanto, o poder de governar emana do mandato popular e não das armas, por exemplo. 
  3. Democracia é o governo no qual o poder e a responsabilidade cívica são exercidos por todos os cidadãos, diretamente ou através dos seus representantes livremente eleitos. 
  4. Governo da maioria, direitos da minoria 
  5. Governo da maioria é um meio para organizar o governo e decidir sobre assuntos públicos; não é via para a opressão. 
  6. Assim como um grupo não tem o direito de oprimir os outros, também nenhuma maioria, mesmo numa democracia, deve tirar os direitos e as liberdades fundamentais de um grupo minoritário ou de um indivíduo. 

Direitos Humanos 

  1. Todos os seres humanos nascem com direitos inalienáveis. Estes direitos capacitam as pessoas a buscarem uma vida digna — sendo assim, nenhum governo pode conferi-los mas todos os governos devem protegê-los. 
  2. Os direitos humanos são interdependentes e indivisíveis; englobam inúmeras facetas da existência humana incluindo questões sociais, políticas e econômicas. 
  3. Os governos devem criar leis que protejam os direitos humanos. 
  4. Estar livre da prisão arbitrária, detenção e tortura — quer a pessoa seja um opositor ao partido no poder, pertença a uma minoria étnica ou seja um criminoso comum — é um direito humano fundamental. Uma força policial profissional respeita todos os cidadãos enquanto faz com que sejam cumpridas as leis do país. 

Estado de Direito 

  1. Estado de Direito significa que nenhum indivíduo, presidente ou cidadão comum, está acima da lei. 
  2. Os governos democráticos exercem a autoridade por meio da lei e estão eles próprios sujeitos aos limites impostos pela lei. 
  3. As leis devem expressar a vontade do povo, não os caprichos de reis, ditadores, militares, líderes religiosos ou partidos políticos auto-nomeados. 
  4. Os cidadãos nas democracias estão dispostos a obedecer às leis da sua sociedade porque estas são as suas próprias regras e regulamentos. 

Responsabilidade do Cidadão 

  1. Os cidadãos democráticos reconhecem que não têm apenas direitos, têm também deveres. 
  2. Para que a democracia seja bem sucedida os cidadãos têm que ser ativos: o sucesso ou o fracasso do governo é responsabilidade sua e de mais ninguém. 
  3. O cidadão democrático adere a sindicatos, grupo comunitários, associações empresariais, faz parte de organizações voluntárias privadas — que se dedicam à religião, cultura étnica, estudos, desportos, artes, literatura, melhoramento do bairro, intercâmbio internacional de estudantes, etc. porque todos estes grupos — independentemente da sua proximidade com o governo — contribuem para a riqueza e a saúde da democracia. 

Imprensa Livre e Liberdade de Expressão 

  1. Uma imprensa livre informa o público, responsabiliza os dirigentes e proporciona um fórum para o debate das questões locais e nacionais. 
  2. A Imprensa não deve estar sujeita à censura prévia ou corrompida por interesses de classe ou mercadológicos . 
  3. A liberdade de expressão, sobretudo sobre política e questões públicas é o suporte vital de qualquer democracia. 
  4. A democracia depende de uma sociedade civil educada e bem informada cujo acesso à informação lhe permite participar tão plenamente quanto possível na vida pública e criticar políticas insensatas e tirânicas. 
  5. O princípio da liberdade de expressão deve ser protegido pela Constituição. 

Constitucionalismo e Federalismo 

  1. Uma constituição escrita contém as leis mais importantes segundo as quais os cidadãos de um país concordam viver e descreve a estrutura básica do governo, os mecanismos de exercício da autoridade e as regras para a aprovação de leis futuras. 
  2. Todas as leis devem ser escritas de acordo com a Constituição. 
  3. Um sistema federal de governo é o poder compartilhado em nível local, regional e nacional. 
  4. O federalismo promove a responsabilidade do governo para com as pessoas, incentiva a participação dos cidadãos ao permitir que os governos locais elaborem e administrem leis locais. 

Relações Civis-Militares 

  1. Apenas os que são eleitos pelo povo têm a autoridade e a responsabilidade de decidir o destino de uma nação. (guerra, segurança nacional,etc.) 
  2. Os chefes militares executam as decisões dos representantes eleitos pelo povo. 
  3. As forças armadas democráticas servem o seu país e aos ideais democráticos em vez de dirigi-lo. 

Partidos Políticos 

  1. Para preservar e proteger os direitos e as liberdades individuais, um povo democrático deve trabalhar em conjunto para modelar o governo que escolher. E a maneira principal de fazer isso é através dos partidos políticos. 
  2. O partido da maioria procura decretar leis sobre muitas políticas e programas diferentes. Os partidos de oposição são livres para criticar as idéias políticas do partido da maioria e apresentam as suas próprias propostas. 

Poderes

Executivo 

  1. Os líderes democráticos não são nem ditadores eleitos nem "presidentes vitalícios". Cumprem mandatos por um período fixo e aceitam os resultados de eleições livres. O Poder Executivo é geralmente limitado de três formas: 
  2. por um sistema de controle que separa os Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário no governo nacional; 
  3. pelo federalismo, que divide o poder entre o governo federal e os governos estaduais/locais; 
  4. e por garantias constitucionais dos direitos fundamentais. 

Legislativo 

  1. Os representantes eleitos em uma democracia estão lá para servir ao povo. 
  2. Os órgãos legislativos eleitos são o principal fórum para deliberar e aprovar leis em uma democracia representativa. Os parlamentares não se limitam a aprovar as decisões de um líder autoritário. 

Judiciário 

No Estado de Direito, um sistema de tribunais fortes e independentes deve ter o poder e a autoridade, os recursos e o prestígio para responsabilizar membros do governo e altos funcionários perante as leis e os regulamentos da nação. 

Isso não significa que os juízes podem tomar decisões com base em preferências pessoais, mas sim que são livres para tomarem decisões legais — mesmo que tais decisões contradigam o governo ou grupos poderosos envolvidos em um caso. 

Cidadania e Cia

Básico sobre Democracia

Boas Maneiras para Melhorar a Convivência

Às vezes a convivência é difícil em família ou no trabalho. Que tal dar uma olhada numa destas dicas e ver se há algo se se possa fazer para melhorar a convivência? 

Muitas vezes as boas maneiras, essa educação de berço que nos torna tão humanos e agradáveis,  não pode ser transformada em simples regrinhas de comportamento porque exigem mais refinamento de espírito. Veja abaixo algumas atitudes pessoais mais refinadas que efetivamente promovem a boa convivência.

1 - Não se dê desculpas para não melhorar como ser humano, seja em maneiras ou virtudes ou em questões intelectuais e materiais. A convivência é possível quando todos tratam de corrigir as próprias deficiências, sem se dar desculpas para não melhorar ou mudar um comportamento negativo ou omisso. 

2 - A boa convivência também é promovida quando - por caridade - procuramos não fazer grande coisa dos defeitos dos outros, compreendendo e desculpando rapidamente uma pequena omissão, um tratamento mais ríspido. 

3 - Também devemos corrigir fraternalmente, por caridade aqueles que erram. Mas pelo bem deles e não para a nossa satisfação pessoal com quem quer se engrandecer a custa de apontar o defeito alheio.

etiqueta convivência
4 - A convivência também melhora quando não remoemos ressentimentos. "Re-sentir" é sentir de novo as mágoas passadas. Isso envenena o espírito e passa ser a lente por onde vemos o mundo de modo distorcido pelo nosso egocentrismo ofendido. 

5 - A convivência melhoraria muito se com mais freqüência compreendêssemos a pluralidade de pontos de vistas e gostos e os respeitássemos como naturais. Muitas queremos rebaixar ou paralisar o mundo na nossa medida e aí desprezamos, criamos preconceitos, isolamos, falamos mal e dificultamos a convivência e nem temos razão.

6 -  "Onde há fumaça há fogo", diz o provérbio. Pois é, se sua esposa sempre reclama que você é um bagunceiro ou que é omisso na educação dos filhos, não espere por uma interminável sequência de crises para acreditar e veja o que pode fazer para melhorar, é você quem vai crescer e ser menos pesado aos demais. 

7 - Algumas pessoas tem o defeito de ser como "bebês chorões": consideram "natural" ser o centro de interesse das outras pessoas e se ofendem se não o mimam como sua mãe o mimava quando era pequeno. E essas pessoas são muito pesadas na convivência cotidiana.

8 - O supra-sumo da elegância na convivência se pode ver neste ensinamento de São Josemaría Escrivá, o santo da vida cotidiana: ele costumava ensinar que teríamos realizado uma grande coisa naquele dia se pudéssemos, no exame de consciência da noite dizer: "Hoje não falei de mim." Estamos nesta vida para fazer como Cristo, inundar o mundo de amor e para isso precisamos prestar atenção na vida em sociedade e não só nos nossos interesses. Faça um exame de consciência


9 - As queixas são disparado o pior veneno para a convivência. E devemos pensar se NÓS somos pesados aos demais: reclamando de tudo, falando mal de tudo, exigindo sempre demais, distribuindo críticas, julgamentos e "gracinhas" desagradáveis, sendo vítimas o tempo todo para chamar atenção, sendo preguiçosos, desrespeitando os outros ou abusando do poder ou posição que se tenha ou da boa vontade alheia,etc.


10 - É preciso ser agradável: sorrir, ter boas maneiras, ordem, qualidades humanas como ordem, limpeza, etc. Tudo isso contribui para a boa convivência diária. 

11 - Procurar conscientemente compreender é uma forma de promover a boa convivência: Por exemplo, podemos desculpar o mau humor dos outros pela generosidade no raciocínio: " - Ele deve estar cansado.", " - Ele tem trabalhado muito.", "- Ele não tem condições de compreender ou fazer isso agora.", etc. 

12 - A boa convivência deve também ser conscientemente promovida:  se você sabe que seu colega adora determinada bala bombom ou bolacha apareça de vez em quando com ela. Se sua avó gosta de receber notícia dos netos ligue para ela sem nenhum outro interesse que não dar-lhe essa alegria, etc. Do mesmo modo devemos evitar fazer tudo que sabemos que desagrada os demais: pegar o que não é nosso, música alta, deixar jornais fora do lugar, o que quer que tenham lhe pedido. 

13 - Uma das causas de muitos conflitos na convivência é essa incapacidade de se apreciar o que se é e o que se tem. Procure apreciar o que tem e melhorar o que é preciso sem transformar a sua vida e a dos outros num inferno só porque não tem uma roupa de marca ou um carro, etc. 


Para superar coisas desagradáveis, às vezes tão repetidas na vida em sociedade, como os incômodos da convivência, não devemos nos isolar, mas amar compreendendo e perdoando sempre. E para isso  é preciso um amor maior. Por isso se diz que é preciso "amar a Deus sobre todas as coisas.". Ou seja, só cheios do amor de Deus conseguimos distribuí-lo na forma de caridade cotidiana quando esses inconvenientes acontecem. E ainda sobra. 

Quanto maior é o amor a Deus, maior é a caridade e maior é a estima que temos para com o próximo. É pela caridade que cresce a solicitude de aliviar a pena dos outros. E isso é caráter. Ou seja, pela caridade tratamos melhor aos demais no no esforço por fazer isso construímos nosso caráter.

Obrigado por compartilhar esta postagem. Siga-nos no Twitter

Boas Maneiras em Família

Família

  1. Boas Maneiras em Família
  2. Boas Maneiras em Família
  3. 15 Dicas de Educação e Boas Maneiras Viver em Casa
  4. Boas Maneiras: Relacionamentos Familiares
  5. Boas Maneiras em Família para um Bom Ambiente Familiar
  6. Boas Maneiras dos Pais em Família
  7. Boas Maneiras com os Pais
  8. 5 Dicas de Boas Maneiras para o Pais
  9. 5 Dicas Para Ensinar Boas Maneiras
  10. Boas Maneiras e o Exemplo dos Pais
  11. Boas Maneiras em Casa: 6 Dicas
Obrigado por compartilhar esta postagem. Siga-nos no Twitter

Boas Maneiras: Relacionamentos Familiares

Família

Os bons relacionamentos familiares dependem muito de vivermos, na vida cotidiana, as boas maneiras e as virtudes humanas de forma bastante concreta. Por exemplo:
  1. A generosidade que nos faz sublimar o cansaço e ouvir os problemas das crianças (ou jovens).
  2. Ou a gastar tempo para jogar, conversar caminhar com os filhos. 
  3. Ou quem sabe sair para jantar ou para um filme a cada mês com o cônjuge. 
  4. Também  ouvir e respeitar o modo de ser dos irmãos, interessar-se por eles ao invés de ter uma postura de exigir a atenção só para si. 
  5. Fazer as tarefas que nos cabem sem procurar aplausos e sem sermos medíocres na sua realização, etc.
  6. Ajudar os demais sem sermos notados.
  7. Todos esses pequenos esforços cotidianos contribuem para a unidade familiar que não pode ser construída de outra forma,  nem com presentes, nem gritos, impaciências de toda sorte, dinheiro, etc.
  8. Quando vemos uma família unida, se divertindo em férias, ou uma festa familiar rica de detalhes pessoais e bem cuidados, reparamos que as alegrias profundas são fruto de uma longa caminhada comum vivida com pessoas DE QUALIDADE HUMANA, DE VIRTUDES HUMANAS REAIS.
  9. Para a unidade familiar também contribuem o contínuo exercício de boas maneiras e a vivência profunda de uma fé viva, não esteriotipada. Motivos para deixar de lavar a louça, para entregar-se à tristeza e à preguiça vão sempre se sugerir aos montes para todos os membros da família. Mas todos eles são descaminhos e levam a grandes tristezas. Manter-se firme no amor e ganhar esta batalha diária, anônima, discreta, por amor, para fazer da vida um contínuo exercício do bem é construir a unidade e a paz familiar. 
  10. Outra idéia fundamental  para a unidade familiar é a de que no lar todos são  importantes e que não existem pequenas realizações, ninguém é melhor ou superior. Pode existir hierarquia do filho ter que respeitar o pai, mas não pode haver desrespeito, diminuição e abuso humanos contra quem quer que seja na família. O lar deveria ser o locar de recuperação das nossas forças e por isso é inadmissível o ambiente de permanente crítica, reclamação, abusos ora contra os pais, ou idosos ou enteados, etc.
  11. É preciso que todos reconheçam a importância do torneio da escola do irmão menor, da necessidade de descanso para aos pais no final de semana, das dificuldades pessoais de cada um e ajudem a superá-las.
  12. Nada em família não é importante: visite os idosos, as tias solteironas, convide os amigos com menos oportunidade, se o pai do amiguinho leva seu filho sempre ao cinema ou alguém lhe dá carona para o trabalho retribua. Se alguém está só visite, ofereça-se para fazer compras. Respeite o espaço de cada um e na casa de um parente não dê ordens, não se autorize criticar as circunstâncias ou o modo de ser dos demais parentes só porque é parente. A maior parte dessas críticas ou é um envaidecer-se ou um querer livrar-se de pensar ou envolver-se com o que está criticando no outro.
  13. Que sua família seja uma benção internamente e para os demais também: visite asilos, orfanatos, ajude na Igreja, valorize os demais os profissionais, mesmo os mais modestos, que servem sua família, como entregadores, serventes, etc.
  14. Esse bom relacionamento inter-familiar e da família com os demais favorece a unidade família e a auto-estima dos mais jovens, alegra os jovens há mais tempo sempre refresca de bons ventos aqueles de estão liderando as famílias. 
  15. A fé se aprende em família. Quando a família tem valores cristãos fundados numa piedade sincera aprendida em família, muito mais fácil se superam as diferenças, se potencializam as capacidades individuais, se vive a alegria e o amor. As boas maneiras em família também passam pela vivência da fé.

Obrigado por compartilhar esta postagem. Siga-nos no Twitter

04 agosto 2017

Guardar para linguagem corporal

Para linguagem corporal


Acontece que a IMPRESSÃO que damos é amplamente determinada pela nossa EXPRESSÃO emocional. Parecendo aborrecido e irritado depois de uma viagem estressante, os outros podem pensar que geralmente somos mal-humorados e hostis.

Por outro lado, sorrir e fazer contato com os olhos pode ajudar a mascarar ansiedade ou desconforto interno e comunicar calor, confiança e confiabilidade.




Impressions aren't always straightforward, however. Smiling at strangers indiscriminately in London might cause suspicion and mistrust, while elsewhere in the UK it would be perfectly normal. In other countries such as Singapore, making direct eye contact with new acquaintances is deemed aggressive.



Obrigado por compartilhar esta postagem. Siga-nos no Twitter
"Boa parte da nossa vida está composta de pequenos encontros com pessoas que vemos no elevador, na fila do ônibus, na sala de espera do médico, no meio do trânsito da cidade grande ou na única farmácia da cidadezinha onde vivemos... e ainda que sejam momentos esporádicos e fugazes, são muitos por dia e incontáveis ao longo de uma vida. Para um cristão, são importantes, porque são ocasiões que Deus lhe dá para rezar por essas pessoas e mostrar-lhes o seu apreço, tal como deve suceder entre os que são filhos de um mesmo Pai. Fazemos isso normalmente através desses pormenores de educação e de cortesia que temos habitualmente com qualquer pessoa, e que se transformam facilmente em veículos da virtude sobrenatural da caridade." Fernández-Carvajal, Coleção Falar com Deus" volume 3,Tempo Comum(1) Semanas I a XII, pag. 33. "