Pesquisar este blog

11 julho 2016

Boas Maneiras e os Universitários 2 - As Amizades



Uma das boas características do tempo da Universidade é que nesta época fazemos importantes amizades que podem durar a vida inteira. Nem todas as amizades surgidas nessa época serão próximas, mas é comum mantermos laços com antigos colegas de escola por toda a vida.


Nesse sentido o tempo da Universidade é um tempo para fomentar amizades. Mas não qualquer amizade, só as boas amizades. E boas amizades se escolhem por bons critérios e não por comodidades, deslumbres e muito menos porque nos escolheram, nos arrastaram para um determinado grupo.

Alguns aspectos habitualmente favorecem a formação das amizades como: 
  1. Ter os mesmos propósitos de estudo, de trabalho, etc.
  2. Ter semelhantes disposições de temperamento e caráter.
  3. Ter os mesmos valores, a mesma moral e a mesma religião.
  4. Ter as mesmas inclinações nos gostos, nos interesses.
Mas não podemos nos confundir. Simplismente ter afinidades comuns não é um critério suficiente, já duas pessoas podem ter inclinação para a mesma profissão, mas uma só quer dinheiro e a outra quer prestar um bem à humanidade, prestar um serviço ou servir a ciência. Uma vai fazer o que na profissão dá dinheiro quem sabe chegando até o que é ilícito e a outra irá nas férias fazer um mutirão numa cidade pobre com o seu grupo religioso.  Afinidades sim, mas com critério.

O importante é não se unir como amigo a ninguém desonesto ou cuja palavra, modos e intenções não são boas, não são retas. Lembrem-se da primeira aula de catecismo: uma ação para ser boa precisa ser boa (ou indiferente) e a intenção que a move deve ser reta. Se uma pessoa com a mesma inclinação para a medicina só quer ganhar dinheiro e para isso aceitar reduzir o seu futuro, estudos e atendimento ao que é comercial, não será uma boa amizade para se frequentar. 

É posssível que nos enganemos quanto ao valor de algumas pessoas. Se as descobrimos boas devemos desculpar-nos e reatar ou se são más cortar de vez com a amizade. Jamais devemos ter amigos desonestos, vulgares, violêntos, corrompidos ou qualquer forma de má pessoa.

Alguns indícios podem indicar se uma pessoa é digna de frequentar sua casa, ter sua amizade.

  1. Se uma pessoa vive conforme o que Deus exige pode ser um bom amigo. 
  2. A amizade com pessoas muita afastadas de Deus vai invariavelmente revelar suas limitações. E isto porque sem Deus a pessoa vai parando pelo caminho em mediocridades mil das quais não está consciente e, portanto, arrasta para baixo quem está com elas. Respeitar, ajudar, mas evitar o convívio intenso e íntimo com pessoas muito afastadas de Deus.
  3. A maneira como esse amigo trata os pais e a família é uma ótima referência que aquela deve ser uma boa pessoa. Uma boa pessoa sempre trata muito bem seus pais e familiares. 
  4. Se o candidato a seu amigo é muito maledicente, está sempre vendo defeitos, criticando as pessoas não será nunca um bom amigo.
  5. É verdade que não se pode realmente saber quem é falso exatamente porque o falso sabe ser dissimulado. Mas tome cuidado com as pessoas muito egoístas que estão sempre pendentes apenas de si mesmas, que realizam favores pequenos que geralmente só incluem a doação de objetos, jamais de tempo, de atenção e de si mesmas. 
  6. Muitas vezes pensamos que as pessoas simpáticas são boas amigas. Mas muitos simpáticos são na verdade descontrolados, inseguros que buscam projeção pessoal pelas gracinhas e costumam não ter conteúdo. 
  7. Não se pode ser injusto criticando com muita dureza os demais ou sendo muito exigentes. Ninguém é perfeito e é prova de amizades acolher os demais mesmo lhes enxergando os defeitos. Na verdade a amizade deve ajudar a superar defeitos. O ponto aqui é o grau de proximidade e o tipo e quantidade de erro do amigo. A um drogado, a alguém que incita o ódio, a um relaxado contumaz, um brigão e um egoísta que se busca em tudo não há porque procurar como amigo. A intimidade com um homem de maus princípios e de caráter imoral pode acabar em graves malefícios. 
  8. É preciso ser aberto para conhecer muitas pessoas porque só assim se pode construir um bom grupo de amizades. Ficar restrito aquele grupo da sala de aula pode não ser suficiente para contruir uma boa rede de amizades que dura a vida toda. Faça cursos extras e circule para conhecer mais pessoas. Mas lembre-se não há necessidade de frequentar o mal ou experimentá-lo para saber que existe. Assim a aventura de sua vida não necessita concessões ao erro ou a frequência a "inferninhos" e outros modismos que já se sabe que são negativos pelo uso de drogas ou promiscuidade para se ser "o cara".
  9. Não se exponha a quem não entende seus valores. Você não precisa da licença dos outros para ser quem é. Alguns pais muito opressores acabam diminuindo a auto estima dos jovens ao exigir-lhes demais e assim eles entram na universidade como pedintes com chapéu na mão solicitando aprovação de qualquer um. Evite as pessoas sem conteúdo, preocupadas só com farras, futilidades e gracinhas, mesmo que o idealizam ou adulam. Também não serão bons amigos. 
  10. Quando alguém não quer ser seu amigo, não insista. 
  11. Não torne amigos aqueles que debocham e desdenham da sua religião. Nem chegue perto.

Ir para a Universidade é também entrar no mundo profissional e uma introdução à vida em sociedade. E para aproveitar bem esse tempo universitário é importante ter boas maneiras e um comportamento cordial, cooperativo e fraterno. 

  1. O primeiro passo para ser agradável em sociedade é esquecer-se de si mesmo. Colocar qualquer impeto de auto exaltação bem trancado no armário de casa. Pessoas que usam as amizades para se projetar, para falar de si, para obter vantagens serão sempre mal vistas.
  2. Estude um pouco de boas maneiras neste blog. Algumas coisas básicas como não falar palavrão em nenhuma ocasião, ser limpo e respeitar as mulheres não deixaram nunca de ser corretas. Não acredite em modismos vulgarizantes mesmo que se apresentem como "libertadores", você é que estará perdendo.
  3. Desenvolva suas virtudes de modo real:  pontualidade é sempre e não para as ocasiões em que o compromisso é importante. Fazer o dever agora e não amanhá, é pontualidade também. A palavra dada tem que ser cumprida, seja ao prometer dar um simples telefonema seja num compromisso mais sério, há que cumprir com a palavra dada sem excessão. Nunca seja esse "prometedor" de tudo, super amável, mas que não faz nada. E lembre-se "não tenha nada no seu currículo da vida que o desabone".
  4. Pessoas que criticam tudo porque pensam que são mais inteligentes que os outros nunca serão bem vindas em sociedade e suas amizades serão sempre parciais, só por alguma "utilidade" que nos oferecem. Esse hábito do menosprezo é ofensivo à senbilidade das pessoas. 
  5. Uma pessoa de bom critério faz as coisas bem feitas e tem prazer em satisfazer os amigos prestando-lhes serviços e atenções como as que gostaria de receber. Saber o que é bom é parte importante do que devemos saber.
  6. É preciso ser bem lido, bem conversado ou bem viajado. Não queira ser amado na sua sujidade, mediocridade e ignorancia. É preciso amar-se para amar. ( A amizade é uma forma de amor.).
  7. Para ser bem vindo em sociedade é preciso estar muito atento para não ferir os sentimentos e mesmo as sensibilidades dos outros. Se uma pessoa tem uma determinada crença devemos evitar tudo que possa ferir sua sensibildade. Os homens que sabem ser gentis com as mulheres porque sua senbilidade é por valores delicados ou nobres. Homens infantilizados, ignorante ou vulgares facilmente ofendem as sensibilidades femininas ou mais elevadas e por isto deve-se evitar o convívio que se oferece a um verdadeiro amigo. 
  8. Nunca seja motivo de mortificação, desgosto, escândalo ou prejuízo para os demais. Se não tem dinheiro não vá à festa, mas não se encoste nos demais. Se surgir uma polêmica por um assunto que não é importante não insista. Se o tema é importante, não se omita, mas apresente a sua ideia como sendo a sua opinião, só falando, não como quem tem que "vencer a disputa".
  9. Não seja nem competitivo nem invejoso. Cada um tem uma missão e talentos dados por Deus. Concentre-se no desenvolvimento dos seus dons e pare de olhar para os outros como se fossem espelhos nos quais avalia sua própria capacidade ou dotes.

Postagens mais visitadas