30 agosto 2015

Boas Maneiras para Homens: 14a. de 100 Dicas

Todo homem de boas maneiras, é o verdadeiro homem com H maiúsculo porque dominar-se é mais difícil do que dominar outros com o uso da força física. Portanto, ser homem de boas maneiras significa agir conseguindo subordinar o secundário ao principal, o mais nobre sobre o mais animalesco. E isto custa.

Por isso o homem de boas maneiras é humilde, amável e afável. Ou seja, ele é 

  1. De trato fácil e amável. 
  2. Esquece as ofensas e as desconsiderações tirando-as por menos, principalmente dos subordinados e jamais abusa ou desdenha deles ou de quem quer que seja principalmente dos que estão em desgraça ou tiveram má sorte. 
  3. O homem de boas maneiras não se omite de defender quem está sendo injustiçado, seja no trabalho ou cuidando atentamente dos filhos e de todos que estão sob sua orientação. 
  4. O homem de boas maneiras não é desrespeitoso com os chefes, mas também não se encolhe, nem adula os poderosos. 
  5. O homem de boas maneiras respeita a própria família não fazendo nada que a desonre a começar por não reclamar dos filhos, da mulher e de suas circunstâncias em convesas sociais. 
  6. O homem de boas maneiras não abusa dos recursos e da ajuda financeira de sua família nem trata mal os objetos alheios seja um assento num ônibus, seja um parque. 
  7. O homem de boas maneiras presta atenção ao seu comportamento e procura agir sempre com gentileza, discrição, civilidade e engenho. Só as pessoas muito brutas tem o pensamento de uma nota só, em geral, monossílabo do próprio comodismo. E a barbárie começa quando ele subordina família, educação de filhos e trabalho ao mundinho limitado em que o colocou a sua própria mediocridade.
Esta é a 14a. dica de boas maneiras para os homens: Ser amável e de boas maneiras pressupõe um comportamento elaborado por nobres valores e por várias qualidades pessoais evitando, na vida cotidiana diária toda escolha que o brutalize.
"Boa parte da nossa vida está composta de pequenos encontros com pessoas que vemos no elevador, na fila do ônibus, na sala de espera do médico, no meio do trânsito da cidade grande ou na única farmácia da cidadezinha onde vivemos... e ainda que sejam momentos esporádicos e fugazes, são muitos por dia e incontáveis ao longo de uma vida. Para um cristão, são importantes, porque são ocasiões que Deus lhe dá para rezar por essas pessoas e mostrar-lhes o seu apreço, tal como deve suceder entre os que são filhos de um mesmo Pai. Fazemos isso normalmente através desses pormenores de educação e de cortesia que temos habitualmente com qualquer pessoa, e que se transformam facilmente em veículos da virtude sobrenatural da caridade." Fernández-Carvajal, Coleção Falar com Deus" volume 3,Tempo Comum(1) Semanas I a XII, pag. 33. "