18 julho 2015

Boas Maneiras para Homens: 9a. de 100 Dicas

O homem de boas maneiras procura polir-se. Mas isso não quer dizer que deve ser como outra pessoa. Ao contrário, deve descobrir quem é e qual é a sua missão na vida e como deve realizá-la. O seu polimento é isso, não só em termos de boas maneiras, mas da construção dos seus valores, do que é como pessoa.

Só o homem consciente de si mesmo e de seus valores chega a ser o que deveria ser plenamente. Ou seja, as boas maneiras, como toda boa formação humana e religiosa, não visam criar um esteriótipo que deveria ser vestido por todos, tornando todo mundo igualzinho. Isso é mediocridade.

Como o ser humano é único e sendo a sua formação humana para desenvolver a sua humanidade no seu sentido único, é natural que muitos homens tenham estas qualidades de não aquelas. E não deveria ser de outro modo. Por isso não é natural exigir que todos desenvolvam as mesmas qualidades como, por exemplo, ter o gosto refinado e caro de um milionário como única expressão e de elegância, ou a erudição de um intelectual muito especializado.

Boas Maneiras para Homens: 9a. de 100 Dicas 

A maior parte de nós vai desenvolver qualidades normais à nossa condição social e econômica. Mas , na vida cotidiana, o que nos vai desqualificar não é não ter esta ou aquela qualidade excepcional vista num filme ou promovida pela mídia de consumo, mas são os nossos erros. Esses erros que repetimos, que ignoramos, que vem de nosso descuido. Muitos de nós estamos suficientemente qualificados, mas alguns pequenos erros se destacam e acabam nos desqualificando como se não tivéssemos qualidade alguma. Esta é a dica Boas Maneiras para Homens: 9a. de 100 Dicas: corrija seus erros. 

É muito fácil compreender isso quando vemos um rapaz jovem e bonito falando palavrão, ou um juiz de direito falando com grosseria e abuso de autoridade, ou um pai de família falando vulgaridades, ou um jovem funcionário inseguro adulando o poder de modo servil.

Desenvolver nossa qualidade pessoas, nossas boas maneiras passa inevitavelmente por corrigir esses erros pelos quais somos tristemente reconhecidos: grosso, falso, fofoqueiro, violento, sujo, ladrão, corrupto, tarado, vulgar, etc. Não sabe quais são os seus erros? Leia este livro e faça um exame completo. 

Uma pista útil: Do que as pessoas reclamam de mim?

  1. De que sou relaxado e espalho minhas coisas por toda casa?
  2. De que sou sempre autoritário?
  3. De que sou desconsiderado, falo palavrão, vivo gozando os demais.
  4. De que estou sempre mal apresentado, sujo?
Esta é a dica de Boas Maneiras para Homens: 9a. de 100 Dicas: Enquanto procura alcançar níveis mais elevados das qualidades que admira e já tem, não deixe de corrigir esses erros que destoam e estragam tudo! Não se trata de construir um esteriótipo de homem educado, mas de construir você mesmo e a casa nunca ficará pronta se não se retirar o entulho da sua obra.



"Boa parte da nossa vida está composta de pequenos encontros com pessoas que vemos no elevador, na fila do ônibus, na sala de espera do médico, no meio do trânsito da cidade grande ou na única farmácia da cidadezinha onde vivemos... e ainda que sejam momentos esporádicos e fugazes, são muitos por dia e incontáveis ao longo de uma vida. Para um cristão, são importantes, porque são ocasiões que Deus lhe dá para rezar por essas pessoas e mostrar-lhes o seu apreço, tal como deve suceder entre os que são filhos de um mesmo Pai. Fazemos isso normalmente através desses pormenores de educação e de cortesia que temos habitualmente com qualquer pessoa, e que se transformam facilmente em veículos da virtude sobrenatural da caridade." Fernández-Carvajal, Coleção Falar com Deus" volume 3,Tempo Comum(1) Semanas I a XII, pag. 33. "