15 junho 2015

Boas Maneiras para Homens: 3a. de 100 Dicas

As pessoas com limitações materiais, de oportunidade, educação, etc. podem facilmente se tornar interessantes por uma alma humilde, virtuosa ou amorosa. 

Mas uma pessoa grosseira, desagradável ou corrompida não poderá esconder esses defeitos nem com essas afetações esnobes e superficiais das pessoas deslumbradas, nem com carros e artigos de luxo. 
Por isso, a pessoa de boas maneiras cultiva os bons valores e procura se desenvolver como pessoa e vê os bens materiais apenas os meios para chegar a um fim maior e não o bem em si mesmo. 

É falta de boas maneiras, portanto,  tomar por mais importante as aparências do que ser de fato uma pessoa de valor. Assim é o corrupto que mesmo tendo título, dinheiro, prestígio não tem valor algum. E não importa quanto seja chamado de excelência ele seguirá uma pessoa sem valor.

"Boa parte da nossa vida está composta de pequenos encontros com pessoas que vemos no elevador, na fila do ônibus, na sala de espera do médico, no meio do trânsito da cidade grande ou na única farmácia da cidadezinha onde vivemos... e ainda que sejam momentos esporádicos e fugazes, são muitos por dia e incontáveis ao longo de uma vida. Para um cristão, são importantes, porque são ocasiões que Deus lhe dá para rezar por essas pessoas e mostrar-lhes o seu apreço, tal como deve suceder entre os que são filhos de um mesmo Pai. Fazemos isso normalmente através desses pormenores de educação e de cortesia que temos habitualmente com qualquer pessoa, e que se transformam facilmente em veículos da virtude sobrenatural da caridade." Fernández-Carvajal, Coleção Falar com Deus" volume 3,Tempo Comum(1) Semanas I a XII, pag. 33. "