27 julho 2017

Boas Maneiras e a Maneira de nos Arrumarmos

Devemos estar sempre bem arrumadas. Como? De que modo muito simples, como pessoas da nossa idade, de nossa classe social. 

Sem vergonha do que somos ou imaginando razões fantasiosas pelas quais deveríamos ser diferentes ou que devemos seguir a artista da novela, o que diz a moda, etc, enfim evitar ser movidas por razões externas e procurar desenvolver um estilo pessoal que reflita quem você realmente é e valoriza. Logo o objetivo ao arrumar-se  não é parecer rica ou ficar na moda. 

Muito menos devemos desenvolver uma preocupação excessiva com a aparência, mas sim desenvolver nosso estilo, a nossa maneira de SER -  VOCÊ MESMA!  E isto porque a   beleza é algo interior que sai para o exterior com as eleições que fazemos. Arturo Toscanini, um grande maestro que regia orquestras onde só tocavam músicos muito bons, costumava dizer: “- Já conheço a música. Não quero ouvir a música, quero ouvir a alma de vocês!” Queria assim ver a participação, o estilo de cada um, a alma de cada um a partir das “regras” da música.



O que está em jogo na nossa maneira de vestir é portanto muito mais do que uma simples escolha de uma blusa ou saia, mas como em tudo que elegemos, o que está em jogo é o que somos. 
"Boa parte da nossa vida está composta de pequenos encontros com pessoas que vemos no elevador, na fila do ônibus, na sala de espera do médico, no meio do trânsito da cidade grande ou na única farmácia da cidadezinha onde vivemos... e ainda que sejam momentos esporádicos e fugazes, são muitos por dia e incontáveis ao longo de uma vida. Para um cristão, são importantes, porque são ocasiões que Deus lhe dá para rezar por essas pessoas e mostrar-lhes o seu apreço, tal como deve suceder entre os que são filhos de um mesmo Pai. Fazemos isso normalmente através desses pormenores de educação e de cortesia que temos habitualmente com qualquer pessoa, e que se transformam facilmente em veículos da virtude sobrenatural da caridade." Fernández-Carvajal, Coleção Falar com Deus" volume 3,Tempo Comum(1) Semanas I a XII, pag. 33. "