08 fevereiro 2015

20 Dicas de Boas Maneiras para Rapazes

  1. Um rapaz, e o homem educado em geral, sente e manifesta sempre respeito pelas moças e senhoras. O mesmo respeito que ele mesmo exige dos outros para com a própria mãe ou irmã.
  2. Em geral, falando com pessoas de posição elevada não se deve fazer perguntas.
  3. Se uma pessoa de posição elevada lhe fizer uma pergunta não responda com um simples sim ou não, mas com uma resposta seguida do título: " - Sim, papai.", " - Não. senhor Ministro."
  4. Não interrompa o interlocutor, espere que ele termine de falar.
  5. Caso comece a falar junto com outra pessoa, pare de falar e diga algo devolvendo a vez ao outro." - Desculpe, você primeiro."
  6. Nunca fale de si em primeiro lugar, sempre os outros primeiro: " - Fomos ao jogo ontem: Paulo, João e eu."
  7. Não cochiche com dois ou três num canto, porque parece que está falando mal dos outros.
  8. É prova de boa maneiras não falar em linguagem que os outros não entendam.
  9. Não fique "ruminando" chicletes.
  10. Não fale gírias nem palavrões. E não fale palavras chulas. Assuntos vulgares e torpes não são para o rapaz de boas maneiras, bem educado. 
  11. Ao ver duas pessoas conversando em voz baixa afaste-se e não procure ouvir o que dizem.
  12. Evite corrigir os outros: seja a pronúncia, sua forma de expressar-se, ou os trejeitos dos outros. Chame em particular e fale com caridade se precisa corrigir outras pessoas. 
  13. À mesa nunca beba antes de ter engolido o que está na boca. 
  14. Evite cochilar em público.
  15. Evite escutar furtivamente as conversas dos outros.
  16. Evite balançar-se na cadeira.
  17. Não roa unhas.
  18. Não bata portas, nem tenha entradas e saídas "barulhentas", modos de pessoa descontrolada.
  19. Quando alguém está falando conosco, ou numa aula evite a cara de "aborrecimento".
  20. Mesmo que nos repitam uma história, como um idoso que nos conta uma história que já ouvimos, devemos escutá-la até o fim, sem interromper e muito menos reclamar ou fazer a pessoa sentir-se mal  zoando dela. É preciso respeitar as dificuldades dos outros, como queremos que respeitem as nossas. 



"Boa parte da nossa vida está composta de pequenos encontros com pessoas que vemos no elevador, na fila do ônibus, na sala de espera do médico, no meio do trânsito da cidade grande ou na única farmácia da cidadezinha onde vivemos... e ainda que sejam momentos esporádicos e fugazes, são muitos por dia e incontáveis ao longo de uma vida. Para um cristão, são importantes, porque são ocasiões que Deus lhe dá para rezar por essas pessoas e mostrar-lhes o seu apreço, tal como deve suceder entre os que são filhos de um mesmo Pai. Fazemos isso normalmente através desses pormenores de educação e de cortesia que temos habitualmente com qualquer pessoa, e que se transformam facilmente em veículos da virtude sobrenatural da caridade." Fernández-Carvajal, Coleção Falar com Deus" volume 3,Tempo Comum(1) Semanas I a XII, pag. 33. "