09 janeiro 2015

Boas Maneiras ao Dirigir-se aos Demais: Os Acusadores

Boas Maneiras ao Dirigir-se aos Demais: Os Acusadores

Todos nós conhecemos pessoas que se dirigem aos outros sempre na forma de uma acusação: " - Você já jogou fora aquela embalagem?" Com o senho franzido, crendo-se sabedor de tudo que vai no coração dos outros, tudo acusa e nada presta. " Já está vendo televisão de novo?" 

Não, a pessoa estava desligando a televisão. Não importa se é verdade, próprio ou oportuno os acusadores dirigem-se aos outros sempre apontando erros, adivinhando falhas, acusando fracassos e fazendo-se de vítimas. 

Infelizmente muitas mães e pais são assim. Isto não tem nada que ver com educar embora esse comportamento de acusação esteja na ponta da língua para repreender a criança ou jovem. Quem pode ter esse tipo de atitude em relação ao próprio filho? Só uma pessoa sem educação e sem respeito pelos sentimentos das outras pessoas.

" - Já vai beber e encontrar-se com aqueles vagabundos?" E não é assim que tantos casais acabam por se separar? Porque há muito perdeu-se o respeito mútuo e para isso muito colaborou essa forma de tratarem-se na forma de acusação. " - Vou para não aturar suas reclamações." 

E quando vai se ver já nem se lembram mais do amor, perderam-no no meio de tantas acusações diárias.

Diga claramente o que está errado, corrija-se a intenção que nos está a mover, veja-se com mais gratição tudo de bom que se tem e reze-se pelo que não se pode mudar. As acusações na ponta da língua, essa forma de se tratar as pessoas só por acusações, é reflexo de egoísmo, de abuso de poder, de desrespeito à outra pessoa.

" - D. Fulana, já colocou o refil na máquina?" pergunta o chefe com risinho de desdém. Acuada pelo constante desrespeito não é impossível que a secretária se intimide e até erre. E ele faz isso porque está convencido de sua "superioridade" em relação à secretária. Porque ele não vai se comparar com um ganhador do Prêmio Nobel da Paz por exemplo? 

Esses são os acusadores de plantão. Existem por toda parte e estão sempre por aí metralhando as pessoas com o que lhes coloca na boca a pressunção, os ressentimentos, o egoísmo e o orgulho. Pensam que são os maiorais, mas matam a vida em torno de si. Quando nos foi dito " Não matarás." não estava Deus se referindo somente à morte física. Entenda melhor aqui. 

Não conhecer e não vencer os defeitos pessoais nos torna pessoas sem nenhuma educação, mesmo que aprendamos regrinhas de boas maneiras. Dê uma repassada neste exame
"Boa parte da nossa vida está composta de pequenos encontros com pessoas que vemos no elevador, na fila do ônibus, na sala de espera do médico, no meio do trânsito da cidade grande ou na única farmácia da cidadezinha onde vivemos... e ainda que sejam momentos esporádicos e fugazes, são muitos por dia e incontáveis ao longo de uma vida. Para um cristão, são importantes, porque são ocasiões que Deus lhe dá para rezar por essas pessoas e mostrar-lhes o seu apreço, tal como deve suceder entre os que são filhos de um mesmo Pai. Fazemos isso normalmente através desses pormenores de educação e de cortesia que temos habitualmente com qualquer pessoa, e que se transformam facilmente em veículos da virtude sobrenatural da caridade." Fernández-Carvajal, Coleção Falar com Deus" volume 3,Tempo Comum(1) Semanas I a XII, pag. 33. "