07 outubro 2014

Boas Maneiras à Mesa: Tenha Certeza de Que Você não Faz Isto

Frequentemente quando falamos de boas maneiras à mesa, pensamos nos clássicos conceitos de " - Não coloque os cotovelos na mesa." e dicas semelhantes.

Nesta seção de boas maneiras, do blog Vida em Sociedade, estão todas essas dicas. Além delas, nosso leitor também encontra algumas postagens sobre como colocar a mesa, como deve ser a conversa à mesa e a atitude pessoal de uma pessoa de boas maneiras à mesa. (Clique na label "À Mesa").

Mas outro dia, numa casa, vi, numa única pessoa, nos cinco minutos iniciais de uma refeição, um comportamento tão desagradável, que pensei ser útil deixar aqui o que vi para que ninguém faça parecido.

Boas Maneiras à Mesa: Tenha Certeza de Que Você não Faz Isto

  1. Talvez para ser fazer de importante ou para diminuir a dona da casa a tal pessoa chegou à mesa sem cumprimentar nem ver ninguém, já fazendo cara de desagrado e dizendo que isto comia, aquilo não gostava.
  2. Por favor, que ninguém anuncie o desagrado em relação ao que está sendo servido e muito menos espere fazer disso assunto da conversa à mesa. É um falar de si dissimulado e na forma de uma grande grosseria. E jamais, jamais ignore as pessoas, cumprimente a todos. 
  3. Não faça barulhos para sentar-se, levantar-se, usar os talheres, colocar a xícara sobre o prato.
  4. Não faça as pessoas almoçaram com alarmismos, tragédias, ódios ou zombarias, é no mínimo indigesto e certamente muito desagradável.
  5. Não anuncie para todos - interrompendo a conversa que tenta se estabelecer - que a comida não tem sal como se isto fosse um crime de lesa majestade. Nunca faça como essa senhora que anunciou a falta de sal - com as suas desagradáveis caretas -  com o claro intento de estragar o apetite dos outros, de tirar o gosto de todos pela refeição. E ainda por cima, usar essa falta de sal, que se revelou somente no paladar dela, para os outros estava bom, algo que lhe dava o direito de "elitizar-se" em relação à dona da casa, ou à empregada. Aliás o esnobe, o "nojento", só tem nojentezas mesmo para se "elitizar" em relação aos outros. E mesmo assim não se enxerga!
  6. Nada disso funcionando continuou o ataque de um ego totalmente descontrolado: agora através de lançar mão de outros achaques para impedir as outras pessoas de conversarem, afinal, imagina ela, ninguém tem direito à nada a não ser atendê-la. Foram dores, tragédias, desdéns, intrigas cheias de ódio e ressentimento, etc. Nada prestava, tudo estava errado, todos não entendem, só ela é que sabe, etc. E cada bobagem! Mas todas ditas com ares de sabedoria erudita! Nunca faça isso, seja humilde, goste de todos, assim tudo será bom. E mesmo que algo esteja mal, você será bom. 
  7. Não se anuncia desagrado e também não se anunciam aprovações. Como a técnica inicial não estava dando certo - todo mundo foi saindo de fininho, essa senhora começa então a emitir pareceres favoráveis sobre tudo. Com a mesma atitude de um rei concedendo o beneplácito da sua importantíssima aprovação. Que coisa tão desagradável!
  8. Como isso também não funcionou, a artilharia do despeito e da inveja dirigiu-se às pessoas e não mais era sobre as comidas. Nunca mostre o desagrado em relação a alguém ou alguma coisa só para desmerecer o capricho, a qualidade evidente da comida servida. É a inveja que corrói tudo que é bom.
  9. Não fazer os outros de "empregadinha", só porque paga as contas, ou trouxe o pão, sei lá mais porque motivos o despeito faz alguém alardear sua colaboração para querer humilhar outras pessoas ou destacar-se.
  10. Quando sentados à mesa, não se alardeia uma doença crônica, um sintoma qualquer como uma tosse, para falar de morte, doença. Passar a tossir e começar a falar de doenças azeda a comida de todos.
  11. A dona da casa em determinado momento elogiou o capricho e a beleza de um determinado alimento ali servido. Foi achincalhada pelo despeito dessa pessoa tão desagradável à mesa. O capricho, a delicadeza dessa verdadeira flor que era a anfitriã certamente funciona como uma espécie de permanente humilhação para a despeitada, afinal o mal detesta o bem por princípio, ele o ofende por que o mal sabe que não pode tanto quanto o bem. Não são assim as pessoas invejosas?  Mas depois de tanto trabalho e capricho, a dona da casa, ao receber esse tratamento sente como que uma espécie de humilhação, uma sensação de inutilidade já que nada é bom.  Que ser humano tão estúpido é capaz de pisar numa flor só para querer brilhar?  Não vê que assim a vida fica mais feia? Que mal fez a flor para ser tão pisoteada assim? Ser flor num pântano certamente. Ai! Pais! vocês que matam com tanta reclamação inútil a pureza dos filhos, tenham compaixão e melhorem a sua qualidade humana. O bem se faz é na vida diária. Não subestime o poder negativo dessas recalcadas reclamações na construção da sua família. 
  12. Ao ser afinal deixada só por todos, essa pessoa não compreendeu porque a estavam deixando só e começou a falar alto toda uma ladainha em que era vítima e todos maus. Falando alto e tão azeda era sua lamúria que não bastou sair da cozinha, logo foram todos embora e certamente até hoje ela não compreende porque é só. Coitada da única flor desse jardim que permanece lá. 
E ainda tem gente que não acredita em pecado. O pecado é o erro que fica na alma. Não é uma questão de trauma, é o mal acumulado, nunca assumido. Esse estado de tibieza em que a pessoa se permite seus erros sob as mais variadas e deslavadas desculpas e quando vai ver já não é senão seus erros, seu ego expandido, seu egoísmo, já não é mais nada de bom porque há muito tempo não faz o que é bom, pratica constantemente o que é mau. E na verdade, é isso que é o inferno, porque quando morrermos seremos o que tivermos chegado a ser nesta vida, pela eternidade. No caso dessa senhora amarga e horrível seu inferno será ser, até o final dos tempos, só, amarga e infeliz. Quer inferno pior? Nem o diabo a terá por perto. 

Cuidado jovem para não acumular erros a ponto de na velhice ser apenas isso, ranços de erros acumulados como única forma de caráter. E se você é idoso, era uma idosa essa personagem, tome cuidado para não deixar de continuar crescendo como pessoa. Mesmo com erros passados é possível converter o coração. Tanto para jovem como para idoso o primeiro passo é sempre uma boa Confissão. Leia este livro para se conhecer mais e evitar erros semelhantes. 
"Boa parte da nossa vida está composta de pequenos encontros com pessoas que vemos no elevador, na fila do ônibus, na sala de espera do médico, no meio do trânsito da cidade grande ou na única farmácia da cidadezinha onde vivemos... e ainda que sejam momentos esporádicos e fugazes, são muitos por dia e incontáveis ao longo de uma vida. Para um cristão, são importantes, porque são ocasiões que Deus lhe dá para rezar por essas pessoas e mostrar-lhes o seu apreço, tal como deve suceder entre os que são filhos de um mesmo Pai. Fazemos isso normalmente através desses pormenores de educação e de cortesia que temos habitualmente com qualquer pessoa, e que se transformam facilmente em veículos da virtude sobrenatural da caridade." Fernández-Carvajal, Coleção Falar com Deus" volume 3,Tempo Comum(1) Semanas I a XII, pag. 33. "