02 setembro 2014

Você tem Boas Maneiras no Restaurante?


Boas Maneiras nos Restaurantes

Um convite para reunir-se em volta da mesa pressupõe sempre uma "partilha". E portanto, mais do que uma ocasião de ingestão de alimentos - é uma ocasião de compartilhar a amizade, o respeito, a estima e isto pressupõe cortesia.

Pessoas educadas tem mais chance de fazer mais amizades, negócios, e ter momentos agradáveis do que pessoas com posturas grosseiras, egoístas ou vulgares.

Para ter naturalidade nos modos à mesa é preciso praticar em casa habitualmente as boas maneiras. Se comemos sempre em frente à TV, ou em pé na geladeira ou cada um sentado num lugar, comendo com colher e em horários diversos em que não há convívio familiar provavelmente não nos sentiremos à vontade em situações formais. 

A falsa informalidade, que mascara a preguiça, e o relaxamento ao naturalizar formas egoístas de comer em casa acaba por dificultar o convívio diário à mesa e o treino em cortesia e modos e assim contribui para deformar o caráter ao promover um convívio egoísta e grosseiro.

Sempre considere um convite para comer fora, independente de que seja um convite para um jantar elegante ou mesmo um simples sorvete, uma deferência. Por isso responda sempre amável e prontamente e agradeça sempre, mesmo que não possa comparecer.

Nos dias de hoje, há uma tendência a banalizar a importância dos convites recebidos. E pelos motivos mais fúteis se desdenha ou não se dá o devido valor a um convite. Isso é sempre descortesia. 

Não cometa estas indelicadezas: não se responder, desdenhar, dá-se por merecedor da atenção implícita numa atitude arrogante, não agradecer quer se vá ou não, faltar sem o devido aviso, chegar atrasado, chegar muito atrasado, criticar tudo que ver, não considerar a presença dos outros e precipitar-se em servir-se primeiro, dizer que vai e depois porque apareceu outra festa melhor não ir onde já tinha dito que ia, agir com desrespeito levando comida para casa, sujando, e abusando do serviço ou criando despesas exageradas, etc.

Mesmo que alguém esteja lhe convidando só para tentar lhe vender alguma coisa sempre considere os convites que recebe como uma deferência, porque mesmo numa relação comercial existe outra pessoa do outro lado que merece nossa consideração. Recuse sempre que for o caso, mas com educação.

ATENÇÃO: Dizer para ter em mente que todo convite é uma deferência, não quer dizer que devemos levar em consideração convites para coisas ilegais, festas com drogas, convites de homens mal intencionados, como "deferência". Rejeite clara e imediatamente tudo o que não presta. Não caia no relativismo atual de que tudo é permitido porque quem diz isso nega, tem interesses escusos, mascara ou desconhece as consequências do mal que propõe. Deferência é para com aqueles que nos convidam para coisas boas. Falta de critério, irresponsabilidade ou curiosidade insana para meter-se em coisas erradas, nem uma vez. Jamais se deixe intimidar, diga não. Com educação sempre, mas firmemente. 

Boas Maneiras para Jantar Fora 


Num restaurante, devemos respeitar o momento dos outros evitando incomodá-los com conversas em tom de voz alta, brincadeiras e gargalhadas de nossa mesa de modo que nossa comemoração chame atenção das outras mesas. Reclamações, ainda que necessárias, também não devem incomodar os outros, devendo ser conduzidas de forma discreta.

Nunca leve a mão aos dentes ou à boca durante a refeição.

Não se deixa a mesa com comida na boca. 

Num restaurante o ideal é que não se tire o paletó para colocá-lo no encosto da cadeira, nem se afrouxe a gravata, ou se desabotoe o colarinho ou se abra a fivela do cinto.

O homem sempre entra e sai na frente da mulher para preservá-la dos olhares e conversar com o maître. É o homem quem puxa a cadeira em bares e restaurantes para a mulher sentar. Se o garçom fizer isso, fique em pé até ela se acomodar.

Quando a mulher se levanta, o homem faz menção de se levantar - uma "meia levantada". É um gesto de atenção que certamente não passa despercebido.

Finalmente, acompanhado ou não à mesa, quando uma mulher chega, o homem se levanta, sempre!

Não se leva nada da mesa quando se levanta, como mais uma banana ou sobremesa. Muito menos o vidro da pimenta. Isto é roubo e não "brincadeira" entre amigos.

Não abuse pegando muitas dessas balinhas, biscoitos oferecidos ao final das refeições em alguns restaurantes. É sempre abuso. Pegue uma ou no máximo duas balinhas. Nada de "levar para casa" sachês de açúcar, sal, etc. Não abuse das gotinhas, não desperdice só porque é "de graça" ou dos outros. Trate os outros e as pertences dos outros como gostaria que tratassem suas próprias coisas.

Não se pede desculpas ao garçom por "dar trabalho", mas sempre se trata com cortesia - o que não quer dizer com muito assunto e intimidade - sempre se dirigindo com um "por favor" quando solicita alguma coisa.

Quando se deseja comer fora, num restaurante, deve-se primeiro decidir o que se quer comer e depois escolher o restaurante. De outro modo se poderia correr o risco de pedir peixe em churrascaria ou, ao ver as muitas opções oferecidas no restaurante a quilo, acabar se servido de uma mistura indigesta de opções.

Quando você está cheia de sacolas de compras e entra num restaurante lotado onde haverá lugar contado, não coloque suas bolsas sobre as mesas, mas pergunte onde pode colocá-las caso a cadeira ao seu lado esteja ocupada. Se o restaurante não puder lhe acomodar devidamente, procure outro.

Quando for convidado de um dono de restaurante e não tiver que pagar, calcule o valor da refeição para tirar o valor da gorjeta (10% do valor da conta) e acrescente mais 50% do valor da gorjeta ao total a ser deixado para o garçom.

No caso da mulher estar jantando sozinha num restaurante ela não deve se levantar e cumprimentar um amigo, preferindo deixar que ele venha até ela. Em restaurantes basta acenar de longe. Não dá para levantar para cumprimentar conhecidos, sentar em várias mesas para papear e agir como se estivesse em sua casa. É muito deselegante.

Não se dá a mão para cumprimentar alguém que está comendo. Basta uma vênia ou aceno. 

Como fugir para fugir das cantadas indesejáveis em restaurantes mantenha a tranquilidade e peça gentilmente para a pessoa deixá-la sozinha. Se não resolver, chame o maître. 



Conhecendo as funções dos diversos atendentes dos Restaurantes 

Maître d´hotel

É o chefe do salão vestido de smoking: atende o cliente, sugere a mesa, leva o cliente até a mesa, recomenda o prato e até o vinho se não tiver sommellier. Após anotar a escolhe feito pelo cliente passa o pedido ao garçom que providenciará o prato. É uma figura importante e deve ser tratado como tal. Devemos ter portanto cuidado com o que pedimos ao Maître d´hotel: só informações importantes, opiniões sobre pratos e bebidas ou reclamações. Solicitações de serviço devem ser feitas ao garçom.

O sommelier é o segundo na escala hierárquica de um restaurante de categoria. Ele é um especialista em vinhos, champanhes e bebidas e em como o cliente deve ser servido e atendido.

O garçom serve à mesa. Usa geralmente paletó branco, calça preta e gravata borboleta preta. Deve estar atendo às solicitações e às necessidades dos clientes. Os melhores garçons chegam a adivinhar o que o cliente vai pedir a seguir. Devemos evitar usar a palavra “não” na hora de servir. Preferir ao invés de “ – O senhor não gostaria de um cafezinho?”, usar “ – O senhor deseja um cafezinho?”. Aliás o termo “não” e tudo que seja negativo devem ser evitados como construtores de frases. Se for preciso fazer alguma crítica, é preferível dizer “ – A comida podia esta mais quente.” em vez de dizer que a comida não estava quente. Utilizar sempre frases positivas porque são mais construtivas e menos destruidoras.

O comin é o auxiliar do garçom, só é diferente na vestimenta do garçom porque sua gravata é branca. A este pedimos coisas simples como mais um talher, guardanapo, outro prato. É função deste é levar à mesa o couvert, bebidas, retirar vasilhames usados, limpar e arrumar a mesa.

Os trajes aqui mencionados são só uma referência clássica já que a informalidade tem alterado o uniforme dos atendes de mesa das mais variadas formas embora seja sempre possível identificar a hierarquia no salão dos restaurantes. Hoje em dia é comum também a figura das recepcionistas à porta de entrada dos restaurantes quer só dando as boas vindas e procurando indicar o salão correspondente ao interesse do cliente se fumante ou não fumante, se na varanda ou no salão, quer entregando a comanda do para o peso de comida a quilo. Muitas vezes o dono do restaurante ou um representante deste vestido de forma social às vezes recebe também à porta do restaurante.



Ao fazer o pedido não alugue demais o maître ou garçom. Só o chamamos o maître ou garçom quando já tivermos decidido o que queremos. É educado interromper todas as conversas ao se fazer o pedido. Faça perguntas sobre os pratos, você não é obrigado a conhecer como é feio ou o que vem no prato, mas não desconheça demais, um frango a molho pardo, ou bife Oswaldo Aranha deve são quase o mesmo em todo lugar e também não faça perguntas vagas ou inconvenientes como: "o peixe está bom hoje?"

Nada de chamar o garçom de “chefe”, “amigo”, “gente boa”, etc. E jamais usar de assobios, gritos ou estalar os dedos. Um gesto discreto com as mãos deveria bastar. Senão quando ele passar perto, o máximo que dá para se dizer ao chamá-lo é um "por favor" sem espalhafato.

Pode-se levantar para cumprimentar amigos ou conhecidos? Não. Também é único caso onde não é preciso levantar para cumprimentar. Basta um aceno de cabeça. Se alguém parar na sua mesa para conversar, tente cortar logo: diga que assim que terminar passa na mesa dele para tomar um café ou se for o caso convide-o para sentar-se à sua mesa.

Desligue o celular ou coloque no "vibracall". Não há nada mais deselegante do que uma pessoa - homem ou mulher - à mesa falando ao celular enquanto o outro, com cara de tonto, fingindo que não está ouvindo.

Pedir vinho em taça já não é pão durismo. É um sinal de bom senso. É melhor pedir uma taça de um vinho melhor do que uma garrafa de vinho de má qualidade. Quando você sabe que não vai beber mais que uma ou duas taças, não faz sentido pedir uma garrafa.



A mulher pode dividir a conta, sim. Embora na primeira vez, quem convidou deve tomar a iniciativa e o outro se oferecer para rachar. Depois, cada casal tem uma forma de agir, mas o certo, se os dois trabalham, seria dividir. Entre amigos a regra é dividir, mas se ele insistir, ela deve ficar na dela e deixá-lo pagar sem muita onda.
"Boa parte da nossa vida está composta de pequenos encontros com pessoas que vemos no elevador, na fila do ônibus, na sala de espera do médico, no meio do trânsito da cidade grande ou na única farmácia da cidadezinha onde vivemos... e ainda que sejam momentos esporádicos e fugazes, são muitos por dia e incontáveis ao longo de uma vida. Para um cristão, são importantes, porque são ocasiões que Deus lhe dá para rezar por essas pessoas e mostrar-lhes o seu apreço, tal como deve suceder entre os que são filhos de um mesmo Pai. Fazemos isso normalmente através desses pormenores de educação e de cortesia que temos habitualmente com qualquer pessoa, e que se transformam facilmente em veículos da virtude sobrenatural da caridade." Fernández-Carvajal, Coleção Falar com Deus" volume 3,Tempo Comum(1) Semanas I a XII, pag. 33. "