06 setembro 2014

Você tem Boas Maneiras ao Telefone? E ao Celular?


  1. Desligue o celular logo que chegar a cerimônias religiosas, teatros, aulas, palestras e onde possa incomodar. Mude o sinal para vibrar e não tocar. Mas lembre-se de que interferir numa conversa, ou numa reunião agradável com a interrupção do celular é sempre desagradável. Tenha bom senso.
  2. Jamais atenda o celular em uma mesa de jantar, num encontro romântico ou numa reunião de trabalho. 
  3. Não fique verificando o celular nem fique digitando SMS quando em companhia de alguém. A dependência do aparelho é muito feia.
  4. Essa agitação em torno do aparelho que faz com que se mantenha a conversa de pessoas presentes em torno do aparelho é um verdadeiro absurdo. Não faça todos verem as fotos que tirou, nem mande todos falarem com quem você estava falando. Converse com quem está com você como se ela fosse a pessoa mais importante do mundo. Isto fazem as pessoas educadas, valorizam as pessoas e não o brinquedinho eletrônico ou a si mesmos através deles chegando a ser descortês com os outros e a ter um comportamento descontrolado e deselegante. 
  5. Não telefone em horários em que se sabe que a pessoa para a qual está ligando está ocupada seja almoçando ou vendo um programa favorito ou atendendo a um doente ou a um bebê por exemplo.
  6. Atenda ao telefone fixo  o mais rápido que puder: é uma cortesia para quem chama e consideração para com quem está na casa ouvindo o telefone tocar sem parar. Mas o telefone celular não atenda onde não for apropriado. E se for mesmo muito urgente - e não é urgente o vício por novidades via telefone - peça licença e saia da mesa ou do recinto. Jamais faça os outros viverem os seus problemas por escutarem as suas conversas, nem interrompa as conversas dos outros com o seu exibicionismo infantil. 
  7. Se outra pessoa atender ao telefone não deixe de cumprimenta-la antes de pedir para chamar seu colega. Do mesmo modo quem atendeu responde amavelmente antes de chamar quem é solicitado ao telefone.
  8. Ensine seus filhos a atender com cortesia ao telefone e a anotar o recado com responsabilidade. Isso é consideração para com quem ligou e para com os membros da família. Tenha caneta funcionando e papel de recado propriamente instalados.
  9. Se a ligação for para alguém que você sabe que está ocupada, não à solicite ao telefone. Deixe um recado com quem atendeu.
  10. Se ao atender o telefone a chamada for para alguém que não pode atender no momento porque por exemplo está no banheiro não informe isto. Anote o recado simplesmente.
  11. Anote o recado por escrito sempre. Para isso peça a pessoa para se identificar caso ela tenha esquecido de fazê-lo, e não tenha medo de perguntar o que não entendeu para poder dar bem o recado.
  12. Só deixe recado específico se tiver confiança que a pessoa receberá seu recado. É muito desagradável deixar um recado e porque foi esquecido ficar esperando, imaginando se a pessoa zangou-se etc., quando na verdade apenas não recebeu o recado que deveria. Faça tudo para que na sua casa todos os recados sejam passados.
  13. Quando receber uma ligação em que a pessoa errou o número não se aproveito do anonimato para ser grosseiro, irritado ou indiferente. Seja amável, mesmo na insistência do engano.
  14. Tenha a amabilidade de estar ao telefone quando quem foi chamado lhe atender. Evite deixar quem quer que seja esperando ao telefone. Em especial à avó ao neto, o chefe ao subordinado, etc.
  15. Numa ligação de trabalho é melhor ser preciso e a breve o que não quer dizer desatencioso nem ríspido.
  16. Quando se dá o nome não é necessário usar os títulos profissionais, acadêmicos ou nobiliárquicos. Isto só será necessário se por questões de trabalho a identificação completa for necessária.
  17. Quando se está na casa dos outros, ou numa reunião mesmo que se ligue do próprio celular pedimos licença e nos retiramos para fazer a ligação onde não incomodemos os outros.
  18. Não deixe ninguém esperando muito tempo você terminar de falar ao telefone. O melhor é escolher a quem vai atender: se for o caso peça para não transferirem mais ligações. A prioridade é de quem está presente. A ligação é em geral uma interrupção. Claro que se for uma ligação inter-urbana ou sobre uma emergência ela é a sua prioridade. Mas se está recebendo uma visita em casa e toca o telefone deve dizer a quem está no telefone que liga depois e dar prioridade à visita.
  19. Afaste-se educadamente de quem atendeu um telefone para deixar a pessoa mais à vontade para falar.
  20. Se o seu celular tocou afaste-se para atender de modo que sua conversa não se imponha às demais pessoas presentes. Se seu celular tocar num ônibus ou restaurante, seja muito, muito breve.
  21. Não prolongue a conversa se o chamado for para fazer um convite. A pessoa que convida deve ter muitos telefonemas ainda por fazer.
  22. Não prolongue um telefonema interurbano. Se for o caso pergunte em que telefone ele está e ligue para dividir a despesa da ligação.
  23. Quando estiver em casa de um amigo, só use o telefone em caso de real necessidade e bem rapidinho. Seja breve no telefone dos outros e peça primeiro licença para usá-lo, sempre. Não devemos dispor do que não é nosso. Nunca.
  24. Cabe a quem ligou a iniciativa de desligar. Por mais interessante que o assunto lhe pareça não canse o interlocutor. O telefone foi feito para mensagens curtas e urgentes. Se for absolutamente necessário avise que precisa desligar de forma muito polida.
  25. Quando prometer que vai retornar depois porque não pode atender agora, não deixe de ligar. Nunca deixe um telefonema sem resposta, à menos que não queira mais aquela amizade, ou ela seja por qualquer motivo inconveniente.
  26. Chamadas inter-urbanas feitas em casas de terceiros, sejam parentes ou amigos, devemos nos oferecer para pagá-las. Não quando chegar a conta, mas imediatamente após o telefonema: estime o valor e pague após o telefonema. A menos que a pessoa não queira receber é que você não paga, ao menor titubear insista.
  27. Se alguém receber uma chamada em sua casa, não fique ouvindo o que estão conversando. O ideal é que deixemos quem recebeu a ligação à sós.
  28. Não demore desnecessariamente na ligação em telefone público com fila.
  29. Não estrague os orelhões, nem nenhum patrimônio público, você paga por ele e terá que pagar de novo se ele for danificado.
  30. Se você é uma recepcionista e está ao telefone quando alguém chega para lhe falar não ignore por muito tempo quem chegou. Assim que for possível faça um sinal pedindo, para quem chegou, para aguardar um momento até você terminar a ligação. As pessoas quando ligam para locais de trabalho devem procurar ser bastante objetivas, estar munidas das informações básicas necessárias, como números de identificação, etc. para que a sua solicitação de serviço seja o mais rápido possível. E jamais agir com rompantes gratuitos de soberba e impaciência.
  31. Não fique olhando, manuseando seu telefone durante uma reunião.Isto é desprezar as pessoas presentes. Se REALMENTE está esperando uma ligação urgente, avise antes da reunião começar que você está esperando essa ligação e que por isso terá que deixar o celular à vista, mas ainda assim não o fique manuseando ou olhando para ele o tempo todo. 
  32. Se vai sair da sua mesa sem o seu telefone, desligue ao menos o tom do celular para que ele não obrigue as outras pessoas a procurá-lo ou atendê-lo para você.  
  33. Quando ligar para alguém, procure um lugar calmo para evitar chamá-la com muito barulho de fundo como carros, buzinas etc. 
"Boa parte da nossa vida está composta de pequenos encontros com pessoas que vemos no elevador, na fila do ônibus, na sala de espera do médico, no meio do trânsito da cidade grande ou na única farmácia da cidadezinha onde vivemos... e ainda que sejam momentos esporádicos e fugazes, são muitos por dia e incontáveis ao longo de uma vida. Para um cristão, são importantes, porque são ocasiões que Deus lhe dá para rezar por essas pessoas e mostrar-lhes o seu apreço, tal como deve suceder entre os que são filhos de um mesmo Pai. Fazemos isso normalmente através desses pormenores de educação e de cortesia que temos habitualmente com qualquer pessoa, e que se transformam facilmente em veículos da virtude sobrenatural da caridade." Fernández-Carvajal, Coleção Falar com Deus" volume 3,Tempo Comum(1) Semanas I a XII, pag. 33. "