05 setembro 2014

Boas Maneiras: Quando Indicar

Se você indica um amigo a outro, como no caso daquele amigo que vai viajar justamente para a cidade
onde você tem um tia e daí você resolve mandar um presente para sua tia com o seu amigo e espera que ela o atenda pela cidade, deve tomar alguns cuidados. 

Mesmo uma simples indicação de conhecimento entre profissionais as boas maneiras exigem que consideremos se a apresentação de um ao outro é interessante para AMBOS. Considere então o seguinte:

  1. Estamos impondo ao nosso amigo daquela cidade, no nosso exemplo aquela tia, um custo em tempo e de gasto que seriam inconvenientes? E também ao nosso amigo viajante que tem pouco tempo na sua primeira visita a Paris estaria perdendo um tempo que já é curto com atenções e programas com pessoas com as quais não tem afinidade? Estou sendo egoísta e "empurrando" um problema para outros? 
  2. Haverá vantagem para ambos se eles se conhecerem?
  3. O anfitrião terá satisfação em receber o seu visitante? 
  4. O prazer de receber a pessoa que você está indicando vai compensar o gasto que se tem quando se atender a pessoa que você indicou? Uma pessoa de boas maneiras deve considerar este pontos antes de indicar visitantes a outras pessoas. 
  5. Seu anfitrião dispõe das condições mínimas para receber sua indicação? Se ele está doente, sem dinheiro, separando-se, etc. não será uma boa ideia enviar-lhe uma visita forçada.  
  6. Será que sua visita é compatível com o visitado? Ou seja, eles tem interesses comuns, hábitos, nível cultural, etário e de temperamento compatíveis? 
  7. Se você impingir a seu amigo uma visita desagradável é você que ficará em dívida com esse seu amigo. 
  8. Como visitante, nunca imponha sua presença: ligue antes de aparecer para entregar o presentinho ou mostrar suas necessidades de apoio. Espere a resposta ou oportunidade de ser atendido pelo seu anfitrião. Se você for pessoalmente vai esperar como um empregado para saber se pode ser
    atendido ou não. 
  9. Se você receber a carta ou a indicação de alguém responda o mais rapidamente possível e cumpra o máximo de atenções e delicadezas que puder oferecer sem se obrigar a maiores sacrifícios. 
  10. Como pessoa que recebeu a indicação, a primeira providência é convidar o indicado para jantar. Se isso não for possível leve o visitante para alguma exposição ou ponto turístico que interesse ao visitante. Não vá impor a ele o seu programa habitual no seu clube, associação ou bairro. 
  11. Se a visitante for uma mulher e você um homem melhor que esse convite não seja um jantar tete à tete, mas convide outros amigos em comum. Ao apresentar outras pessoas ao visitante você já estará bem atendendo não só a ela, mas correspondendo à amizade do amigo que a indicou. Tome cuidado para convidar pessoas com as quais a sua visitante estaria à vontade. 
  12. A regra é mostrar o máximo de delicadeza e atenção com o visitante. Por isso é tão importante considerar se devemos ou não impor alguém a outra pessoa só para que ela entregue à sua Tia presentes velhos ou inexpressivos que você poderia mandar pelo Correio. 
"Boa parte da nossa vida está composta de pequenos encontros com pessoas que vemos no elevador, na fila do ônibus, na sala de espera do médico, no meio do trânsito da cidade grande ou na única farmácia da cidadezinha onde vivemos... e ainda que sejam momentos esporádicos e fugazes, são muitos por dia e incontáveis ao longo de uma vida. Para um cristão, são importantes, porque são ocasiões que Deus lhe dá para rezar por essas pessoas e mostrar-lhes o seu apreço, tal como deve suceder entre os que são filhos de um mesmo Pai. Fazemos isso normalmente através desses pormenores de educação e de cortesia que temos habitualmente com qualquer pessoa, e que se transformam facilmente em veículos da virtude sobrenatural da caridade." Fernández-Carvajal, Coleção Falar com Deus" volume 3,Tempo Comum(1) Semanas I a XII, pag. 33. "