14 agosto 2014

Segredinhos de Boas Maneiras: Resolução

A pessoa educada é resoluta
De boas intenções o inferno está cheio. Ou seja, boas intenções e tentativas só não bastam. É preciso vencer: concluir o primeiro grau se é isto que nos falta, ou o segundo, ou a universidade. Aprender de fato o inglês, etc.

E para isso é preciso ser uma pessoa resoluta. Que não fica indefinidamente na indecisão, paralisada pelo medo, pelo comodismo. Ser uma pessoa resoluta, que assume suas responsabilidades, que busca os meios para realizar o que deve e almeja, que não se deixa seduzir pelas procuras de comodidades, que não tem medo ao sacrifício é sem dúvida uma pessoa de grande categoria humana.

Além de ser resoluta, a pessoa de boas maneiras também realiza seus trabalhos sem erros. Não naturaliza dificuldades, de esconde-se em desculpas, não chama o erro de outros nomes para dissimulá-lo e tirar o trabalho por menos.

A pessoa educada realiza seus trabalhos da melhor maneira possível, revisando sempre. Ela tem consciência de que está na presença de Deus e que é para Ele que realiza qualquer coisa e que, portanto, suas tarefas tem a qualidade de um filho de Deus.

Portanto não há espaço para o enrolar, para esse se livrar da tarefa com um "chuta e manda". A pessoa fina está no que faz e seus trabalhos tem a marca da sua qualidade pessoal.

Então outro segredinho da pessoa de boas maneiras é agir com resolução: fazer o que deve e desempenhar suas tarefas sem erros evitáveis.



Outros Segredinhos de Boas Maneiras"

"Boa parte da nossa vida está composta de pequenos encontros com pessoas que vemos no elevador, na fila do ônibus, na sala de espera do médico, no meio do trânsito da cidade grande ou na única farmácia da cidadezinha onde vivemos... e ainda que sejam momentos esporádicos e fugazes, são muitos por dia e incontáveis ao longo de uma vida. Para um cristão, são importantes, porque são ocasiões que Deus lhe dá para rezar por essas pessoas e mostrar-lhes o seu apreço, tal como deve suceder entre os que são filhos de um mesmo Pai. Fazemos isso normalmente através desses pormenores de educação e de cortesia que temos habitualmente com qualquer pessoa, e que se transformam facilmente em veículos da virtude sobrenatural da caridade." Fernández-Carvajal, Coleção Falar com Deus" volume 3,Tempo Comum(1) Semanas I a XII, pag. 33. "