29 agosto 2014

Boas Maneiras: Segredinhos de Anfitriã


Alguns detalhes sobre as Festas e Reuniões que Valem a Pena Lembrar


Podemos nos reunir para pequenas festas onde o entretenimento é mais específico como trocar informações sobre certos temas, ler poesia, ouvir música ao vivo, leituras dramáticas, conhecer novos brinquedinhos eletrônicos, receber alguém que esteve viajando para saber suas notícias, festejar uma vitória, diploma, viagem, recém-chegados, jogar algum jogo, dançar, etc.

Não se esqueça do objetivo da festa. Há muitas festas infantis, por exemplo, com muitos recursos onde o simples consumo de tudo que é oferecido acaba colocando o aniversariante esquecido. 

As pessoas são o mais importante numa festa, tudo o mais é para a satisfação e congraçamento das pessoas, não se pode por exemplo desrespeitar uma anfitriã com bebedeiras ou glutonerias, por exemplo. 

Não deixe que uma coisa material tenha mais importância que as pessoas. Uma festinha infantil em volta da mesa da cozinha pode ser muito mais feliz se a criança é realmente festejada que muita festa em que se privilegia a ostentação e o consumismo. 

Outros Segredinhos da Boa Anfitriã

  1. Nessas festas pequenas, dizer o objetivo da reunião e o número de convidados ajuda as pessoas a saberem como devem vestir-se.
  2. Os convites devem ser feitos sempre na terceira pessoa. 
  3. Os ambientes tem que estar muito agradáveis, bem iluminados, decorados e com boa temperatura ambiente. Ou seja, com aquecedores se o tempo é frio ou ar condicionado se estamos num calor muito grande.
  4. Cuidado especial é preciso ter com o banheiro: nada de uso pessoal, bastante toalhas e sabonetes, aerosóis desodorizadores, e alguns itens que possam ser úteis a seus convidados numa emergência como absorventes, fraldas, prendedores de cabelo, etc. O ideal é que o banheiro tenha um espelho pequeno e outro grande.
  5. Ao receber os convidados, os guarda-chuvas, casacos e outros embrulhos devem ser colocados à parte, num local onde o convidado possam pegá-los depois, facilmente.
  6. Esteja sempre pronto e vestido para receber os convidados. Será um constrangimento muito grande para os convidados se você não estiver pronto para recebê-los. 
  7. Fique perto da porta para receber seus convidados. Não é preciso ficar a noite toda nessa parte do salão, mas até a chegada da maior parte dos seus convidados. Os retardatários compreendem que os anfitriões já estarão atendendo aos convidados no meio da festa a partir de uma certa hora. 
  8. A cada convidado que chegar avance na direção dele alguns passos para encontrá-lo, fale primeiro com a mulher e se forem várias mulheres com a mais velha primeiro e depois com as mais jovens e finalmente com os homens.
  9. Se os convidados recém-chegados já conhecem outras pessoas da festa eles deixarão a anfitriã que está recebendo na porta e se dirigirão aos seus conhecidos. 
  10. Mas se o convidado recém-chegado é novo na cidade ou na sua casa,  apresente-o à uma pessoa bem conhecida do seu círculo, que irá entretê-la até que você tenha acabado de receber os seus convidados na entrada do salão e venha para apresentar o convidado a outros amigos.
  11. Não fique pendente das providências da festa durante a festa. Tenha tudo bem preparado de modo a que possa se dedicar durante à festa somente aos seus convidados. 
  12. A melhor prova de boa educação da anfitriã é uma naturalidade e uma certa tranquilidade de quem não tem nada mais para fazer ou se preocupar do que entreter e desfrutar da alegria dos seus convidados. Há de convir que anfitriãs estressadas, reclamando das circunstâncias e ou dos serviços não é nada agradável para o convidado que fica se sentindo o causador de todo aquele desconforto.
  13. Nunca tente superar os seus convidados na roupa que vai usar na sua própria festa. É muito vulgar querer aparecer especialmente se já tem um certo destaque pela posição de "anfitriã". A anfitriã deve se vestir de modo simples e consistente com a ocasião usando um bonito vestido, mas evitando excessos de jóias e outros enfeites a mais. 
  14. A regra de ouro: desde a chegada do primeiro convidado, a anfitriã deve esquecer-se de todas as suas preocupações e dela mesma para fazer com que a festa seja o mais agradável possível para os outros. Sua obrigação é visitar um grupo após o outro cuidando para que nenhum convidado fique isolado. Note que a preocupação com "o copo cheio" e bem servido é do GARÇOM, conforme a instrução da anfitriã. Mas esta mesma, estará pendente das pessoas, e não tanto do que elas comem. Nenhum convidado deve ficar mofando sozinho num canto sem ser apresentado a outro convidado, ninguém pode ficar monopolizando uma platéia com o mesmo assunto, etc. A anfitriã vai apresentar homens para mulheres, homens para homens e mulheres para mulheres o tempo todo. Propondo assuntos, conduzindo os convidados para outro entretenimento, etc. Festas em que só há praticamente conversas a anfitriã é que vai manter o sucesso da festa conversando com muito tato e propriedade com seus convidados. 
  15. Devemos convidar somente aquelas pessoas que se dão bem mutuamente. 
  16. Devemos ter muito cuidado com as apresentações. 
  17. Devemos ter muito cuidado na composição dos convidados evitando convidar uma única celebridade para evitar que se concentrem nela todas as atenções. Ou evitar de convidar só médicos, ou qualquer outro grupo que termine por isolar outros convidados com suas conversas especializadas, etc. (Convide várias celebridades, e outros convidados além dos médicos.)
  18. Quando perceber algum convidado entediando, conversando de modo lento ou distraído e dando sinais de cansaço  ou aborrecimento, diga algumas palavras que animem a situação ou mudem o rumo da conversa. Há ainda o recurso de introduzir uma outra pessoa àquela conversa. Pode aumentar o número de convidados nessa conversa em que se quer evitar a monotonia ou pode-se substituir um dos participantes. 
  19. Nunca interrompa uma conversa animada ou onde haja sincero interesse entre as partes. 
    "Boa parte da nossa vida está composta de pequenos encontros com pessoas que vemos no elevador, na fila do ônibus, na sala de espera do médico, no meio do trânsito da cidade grande ou na única farmácia da cidadezinha onde vivemos... e ainda que sejam momentos esporádicos e fugazes, são muitos por dia e incontáveis ao longo de uma vida. Para um cristão, são importantes, porque são ocasiões que Deus lhe dá para rezar por essas pessoas e mostrar-lhes o seu apreço, tal como deve suceder entre os que são filhos de um mesmo Pai. Fazemos isso normalmente através desses pormenores de educação e de cortesia que temos habitualmente com qualquer pessoa, e que se transformam facilmente em veículos da virtude sobrenatural da caridade." Fernández-Carvajal, Coleção Falar com Deus" volume 3,Tempo Comum(1) Semanas I a XII, pag. 33. "