10 julho 2014

O que se Espera da Pessoa Educada? 16 Dicas

Várias culturas, em diferentes épocas, expressaram seus valores quanto ao bom comportamento social para ensinar e promover modos que facilitem o convívio humano. Para nós cristãos, as boas maneiras são a primeira expressão da nossa caridade na vida diária. Veja abaixo 16 dicas do que se espera da pessoa educada. 

Espera-se que a Pessoa Educada tenha:

  1. Espera-se que a pessoa educada tem uma boa natureza como pessoa: prefere coisas boas e santas, é nobre nas suas eleições, preferências e lazer. 
  2. Uma pessoa educada tem sempre uma boa disposição para atender aos demais, para cumprir suas obrigações, para melhorar como pessoa. 
  3. Que seja gentil e amável com todos.
  4. Espera-e também que a pessoa educada demonstre respeito por instituições, pessoas, locais.
  5. Jamais fale mal dos outros.
  6. Que seja indulgente,
  7. Que seja considerada.
  8. Prestativa.
  9. Humana. 
  10. Que seja clemente e afetuosa. 
  11. Seus valores e suas ações são coerentes: o que faz está de acordo com o que pensa.
  12. A pessoa educada faz de tudo para não magoar os sentimentos alheios. 
  13. Espera-se que a pessoa educada tenha uma boa escolaridade, formação humana e cultural e que desenvolva  uma boa formação profissional.
  14. A pessoa educada não pode ser obtusa, mas espera-se que seja aberta para manifestações culturais diferentes da sua. 
  15. A pessoa educada também é prestativa e ativa no auxílio a ações beneficentes ou os grandes problemas públicos.
  16. E, é claro, espera-se que a pessoa educada tenha boas maneiras e aja com civilidade.


    "Boa parte da nossa vida está composta de pequenos encontros com pessoas que vemos no elevador, na fila do ônibus, na sala de espera do médico, no meio do trânsito da cidade grande ou na única farmácia da cidadezinha onde vivemos... e ainda que sejam momentos esporádicos e fugazes, são muitos por dia e incontáveis ao longo de uma vida. Para um cristão, são importantes, porque são ocasiões que Deus lhe dá para rezar por essas pessoas e mostrar-lhes o seu apreço, tal como deve suceder entre os que são filhos de um mesmo Pai. Fazemos isso normalmente através desses pormenores de educação e de cortesia que temos habitualmente com qualquer pessoa, e que se transformam facilmente em veículos da virtude sobrenatural da caridade." Fernández-Carvajal, Coleção Falar com Deus" volume 3,Tempo Comum(1) Semanas I a XII, pag. 33. "