28 julho 2014

Boas Maneiras das Crianças na Missa

Administrando o Barulho Natural das Crianças na Missa

O barulho normal das crianças na Missa é a música da vida e por isso é sempre muito bem vindo. 

Não deixe de ir à Missa ou de levar as crianças à Missa por receio de incomodar pelo barulho natural que elas fazem. 

Ao contrário, ensine-as, anime-as, dê exemplo e torne o momento da Missa igualmente importante para elas. Se uma criança se comporta com educação e boas maneiras na Missa tenha certeza de que ela será mais bem sucedida na vida. 

O ponto chave aqui é  não permitir os excessos, as birras descontrolas. Por exemplo não permita que as crianças chutem os lugares ou façam barulhos excessivos como corridas às gargalhadas durante a Missa. Os pais em geral estão mais acostumados com o barulho dos filhos, mas para outras pessoas esse mesmo ruido pode provocar muita distração e isso seria desrespeitar os outros. 

Se considerarmos que algumas dessas pessoas que estão na Missa podem estar passando por dificuldades sérias, e que devemos respeitar-lhes a necessidade de recolhimento e oração, encontraremos modos de explicar isso às crianças.

Podemos é claro utilizar ideias apropriadas para a idade como explicar-lhes que papai do Céu está ali, que as pessoas estão conversando com Deus sobre seus problemas e que vão ganhar muitas graças do céu, etc. e que por isso não devemos fazer muito barulho, etc. Não tenha dúvidas, as crianças podem sim compreender e cooperar. E serão elas, e também os pais os que "lucrarão" por serem cidadãos que sabem comportar-se apropriadamente nos diversos ambientes da vida em sociedade. 

Algumas vezes será especialmente difícil controlar o barulho das crianças e nessas horas será melhor sair um pouco do lugar e dar uma volta com elas. Mas volte em seguida, não deixe que a criança determine quando e quantos minutos  e quem vai assistir à Missa na sua família. Não use a criança para deixar de assistir à Missa. 

Talvez seja prático que casais com crianças muito pequenas se sentem perto da porta de saída da Igreja ou de salas laterais para eventualmente sair com elas para distraí-las. Mas se as crianças são maiores e já acompanham a Missa, e se estão na catequese, o melhor é que sentem bem na frente para acompanhar melhor o que está acontecendo. 

Para crianças mais velhas seria bom para elas envolve-las na participação da Missa, levando oferendas ao altar e mais velhas fazendo leituras, etc. Cuide bem da educação cristã dos seus filhos não só por ensinar-lhes a fé, as virtudes cristãs, mas também por incentivá-lo a participar da vida comunitária da paróquia. 

    Como Fazer seus filhos a Prestarem Atenção na Missa

    Encoraje seus filhos a prestar atenção na Missa por ensinar-lhes o que está acontecendo. Pode por exemplo fazer perguntas para as crianças. Faça-os presta atenção em detalhes menores como na letra da música, na imagem do santo do qual contará a história mais tarde ou passará um filme mais tarde. 


    Com crianças pequenas é melhor começar por coisas pequenas antes de levá-las às maiores como comentar o Evangelho o que deve ser feito sem falta com os filhos adolescentes e maiores.

    Você pode, por exemplo, fazer perguntas como quantas vezes o padre beija o altar e que depois vai lhe explicar porque ele faz isso. A criança ficará prestando atenção enquanto conta. 

    Ou quantas vezes a campainha toca, qual é sua música favorita, se são sempre as mesmas músicas e porque elas mudam, porque daquelas cores no altar, porque as pessoas se ajoelham e quando, a Missa tem sempre as mesmas partes? Quando muda, o que muda? Sempre temos o Glória?, etc. 

    Mas não force a barra com as crianças: que seus ensinamentos e estímulos para que prestem atenção na Missa sejam proporcionais à idade da criança, sem irritação nem cobranças. Deus é amor e a experiência da Missa deve ser de comunhão, alegria, amor. Uma pequena ilustração vinda de pais amorosos pode frutificar mil vezes mais num coração que se sabe amado do que mil aulas.

    Saiba preparar o fim de semana da família não só com boa diversão mas também incluindo a Santa Missa como parte do descanso e da renovação espiritual da família. Almoços alegres em  família depois da Santa Missa são inesquecíveis e fundadores de encontro e caráter. Quando essas confraternizações englobam bons grupos de convívios paroquiais as alegrias só aumentam. 

    Estimulando a Compreensão e a Participação dos Jovens na Missa

    1. Faça seu filho mais velho prestar atenção na homilia ou no Evangelho e converse com ele no almoço que se segue à Missa sobre o que ele entendeu ou não do evangelho. 
    2. Jamais incentive ou multiplique impressões negativas, crítica, maledicências, comentários sobre as pessoas na Missa, fofocas, gozações sobre as pessoas ou sobre os padres e a Igreja. Seu filho vai à Missa para ser uma pessoa melhor, não estrague tudo incentivando a competitividade e a maledicência. Antes ensine-o a ter misericórdia. 
    3. Dê livros sobre religião para seus filhos, em especial para os adolescentes. A formação do caráter dos seus filhos vem no bojo da fé. Não espere demais para incentivar a leitura espiritual. Essa educação não deve ser só da catequista.  

    Boas Maneiras das Crianças na Missa

    1. Não deixe as crianças mascarem chicletes ou comer e beber dentro da igreja por pura comilança. 
    2. Ensine-lhes os gestos básicos, incentive-os a fazer silencio e faça-os ajoelhar e seguir as orações como se deve. DÊ EXEMPLO DE REVERÊNCIA E SILENCIO. Não se esqueça de que o sinônimo de educação é repetição. 
    3. Incentive-as a vestirem-se bem para irem à Missa
    Site consultado: http://www.fisheaters.com/
    "Boa parte da nossa vida está composta de pequenos encontros com pessoas que vemos no elevador, na fila do ônibus, na sala de espera do médico, no meio do trânsito da cidade grande ou na única farmácia da cidadezinha onde vivemos... e ainda que sejam momentos esporádicos e fugazes, são muitos por dia e incontáveis ao longo de uma vida. Para um cristão, são importantes, porque são ocasiões que Deus lhe dá para rezar por essas pessoas e mostrar-lhes o seu apreço, tal como deve suceder entre os que são filhos de um mesmo Pai. Fazemos isso normalmente através desses pormenores de educação e de cortesia que temos habitualmente com qualquer pessoa, e que se transformam facilmente em veículos da virtude sobrenatural da caridade." Fernández-Carvajal, Coleção Falar com Deus" volume 3,Tempo Comum(1) Semanas I a XII, pag. 33. "