17 julho 2014

Boa Educação: 5 Atitudes Básicas


Certos comportamentos pessoais beiram a grosseria ainda que não tenham essa intenção. Assim como no sentido oposto, atitudes de boas maneiras podem esbanjar não só cortesia, mas caridade mesmo.

5 Atitudes de Boas Maneiras que Revelam a Virtude da Caridade

  1. Uma inteligência superior, ou um coração mais nobre, sabe não zombar e suporta toda a zombaria sem se permitir se deixar levar por ímpetos de malcriação ou deboche em resposta às zombarias sofridas. Antes prefere responder com cortesia para afogar o mal em abundância de bem. A pessoa educada tem domínio sobre si mesma e escolhe como age ao invés de se deixar levar pelas provocações. Antes procura, já por ocasião do deboche, entender como se sente a outra pessoa buscando compreender o que o levou a atitudes de deboche. 
  2. Perdoa o tolo e sabe não se irritar com o que é medíocre ou limitado. E faz isto porque conhece as próprias limitações e sabe como precisa da compreensão alheia para suas debilidades.
  3. A pessoa de boas maneiras que tem a virtude da caridade não é vingativa em hipótese alguma. Antes procura evitar que o veneno do ódio tome conta dela procurando perdoar imediatamente após receber uma afronta. E faz isso não como quem tem capacidade de apagar sentimentos negativos de imediato, mas como quem elege não se envolver com o mal, não dar pasto ao mal.
  4. A pessoa de boas maneiras sabe manter a serenidade "orgulhosa" de filho de Deus que torna a sua alma serena, mesmo nas dificuldades e provocações. 

Ninguém consegue fazer nada disto sem orar regularmente e vigiar seus próprios passos com exame e reflexão regular. Conte com a ajuda de um bom orientador espiritual e um bom amigo.  
"Boa parte da nossa vida está composta de pequenos encontros com pessoas que vemos no elevador, na fila do ônibus, na sala de espera do médico, no meio do trânsito da cidade grande ou na única farmácia da cidadezinha onde vivemos... e ainda que sejam momentos esporádicos e fugazes, são muitos por dia e incontáveis ao longo de uma vida. Para um cristão, são importantes, porque são ocasiões que Deus lhe dá para rezar por essas pessoas e mostrar-lhes o seu apreço, tal como deve suceder entre os que são filhos de um mesmo Pai. Fazemos isso normalmente através desses pormenores de educação e de cortesia que temos habitualmente com qualquer pessoa, e que se transformam facilmente em veículos da virtude sobrenatural da caridade." Fernández-Carvajal, Coleção Falar com Deus" volume 3,Tempo Comum(1) Semanas I a XII, pag. 33. "