12 dezembro 2013

Você Conhece Estas Regras de Boas Maneiras?

  1. Nunca seja rude com ninguém. Tenha especial consideração por quem carrega pesos, é mais frágil ou vulnerável. 
  2. Jamais se valha da sua posição para tomar vantagem. Antes ao contrário, se é doutor, rico, especialmente culto, seja mais discreto, preste melhor serviço, dê maior exemplo. Afinal: (São Lucas 12,48)(...) Portanto, todo aquele a quem muito foi dado, muito lhe será pedido; a quem muito foi confiado, dele será exigido muito mais! 
  3. Sempre limpe bem os pés raspando o sapato no capacho da porta antes de entrar. 
  4. Lembre-se de - sempre - pedir as coisas por favor, de agradecer, saudar ao chegar e despedir-se ao sair de forma correta, e com o título apropriado. " _ Obrigado e até amanhã, professora." Isso também vale para as crianças, os parentes próximos e amigos e não somente em situações formais, 
  5. Se encontrar uma porta fechada, bata antes, espere a resposta para entrar e feche a porta atrás de si de forma suave. Do mesmo modo sempre reconheça onde está: não pise na grama, não sente nas mesas, etc. 
  6. Do mesmo modo que com as circunstâncias físicas é preciso reconhecer as circunstâncias emocionais: não seja carrancudo numa festa, aguarde a sua vez na fila sem ser pesado aos demais com queixas inúteis, não seja excessivamente sensível tomando tudo como pessoal e por tudo se ofendendo ou reagindo. Nem seja vulgar, voluntarioso, guloso, dependente de consolações de todo tipo, omisso, preguiçoso, egoísta de estar pendente somente de seus interesses. Lembre-se os outros tem direito à própria vida e opinião e não existem para servi-lo. 
  7. Do mesmo modo veja as circunstâncias em que está inserido para agir corretamente: a sala de aula não é local de brincadeiras, o trabalho não é local de conquistas sexuais, o almoço de trabalho ou com colegas de profissão não é local para contar intimidades ou falar mal da empresa ou do chefe, o almoço em família não é para ignorar pessoas, não se falam tragédias nem grosserias à mesa em hipótese alguma, num casamento não queira brilhar mais do que a noiva, não dispute nem crie climas de competição inutilmente, não fale mal dos outros, os idosos tem limitações de força física, de nervos, não os exija demais. Etc. 
  8. Sempre demonstre consideração com os recém-chegados, abrindo-lhes a porta, vendo se tem lugar para eles. Se são idosos ceda o seu lugar para eles. ( Mas não se presuma anfitrião, faça isso quando o dono da casa não está próximo ou está ocupado e você mais perto.) A idéia é de sempre acolher os outros: as pessoas com um olhar para incluí-las na conversa, ao apresentar quem está isolado, ao acolher bem quem lhe dirige uma atenção social sabendo retribuí-la propriamente, ao responder a uma conversa social com uma frase que FALE SOBRE O QUE FOI COMENTADO, DITO ANTERIORMENTE, e não sobre algo que lhe interessa, etc. 
  9. Retribua as cortesias e os convites sociais. 
  10. Nunca interrompa quem está falando. 
  11. Evite interromper quem está estudando, lendo, pensando, dormindo. 
  12. Veja se o que você quer falar precisa ser dito agora que a pessoa está ocupada ou se pode ser dito noutra hora. 
  13. Não seja omisso: cumpra seus compromissos e seus horários. Na verdade exceda-se em qualidade humana. É preciso não só não cometer erros mas crescer em categoria humana. 
  14. Pontual, Organizado, e cumpridor de suas obrigações são qualidades humanas básicas que todos devemos ter. 
  15. Não se envolve na vida dos outros na forma de: maledicências, fofocas, críticas, palpites, julgamentos, "análises", "gozações e brincadeirinhas". 
  16. Tenha palavra: "que seu sim signifique sim e seu não não." Desde um simples telefonema que prometeu dar, 
  17. Sejamos responsáveis pelos nossos atos: devemos ressarcir os danos que causamos aos demais, o que tomamos emprestado. 
  18. Não minta. Nunca. Do mesmo modo não exagere, não faça drama inúteis para não viver num mundo mentiroso. Procure resolver seus problemas afetivos de forma eficiente para não viver remoendo mágoas e ressentimentos. Perdoe sempre. 
  19. Não se "espalhe" sobre os demais (frenéticos contadores de vantagem, de tragédia, de casos, de piadas, de lamúrias). Seja comedido e humilde. 
  20. Saiba respeitar a propriedade dos outros como gostaria de ter a sua respeitada: não fique com o troco das compras devido à sua mãe, não trate mal seus bens, não trate mal jardins, sua cidade com seus monumentos, telefones públicos, praças, sujando ou pixando. Não abuse do meio ambiente gastando água inutilmente, consumindo demais ou preferindo produtos que destroem o meio ambiente. 
  21. Não ridicularize nem despreze ninguém sob hipótese alguma. 
  22. Seja sempre muito amável com todos: prestadores de serviços, família, humildes, poderosos e isso inclui não fazer "escândalos" às suas custas revelando seus segredos. Eles tem direito à própria intimidade que não deve ser revelada por ninguém, você deve guardar o segredo que lhe confiaram e não devemos divulgar seus erros ou defeitos apenas para termos o que falar ou para "julgá-los". 
  23. Não sacuda, grite, invada, sobrecarregue os demais. 
  24. A ignorância é a mãe do demônio. Evite-a com boas doses de informação e formação. Procure os bons cursos de formação da sua paróquia e continue aprendendo sempre através de leituras, cursos, revistas, boas conversas, boas viagens. 
  25. Ouvir. Aqui isto quer dizer considerar o que está sendo dito sem colocar uma barreira prévia para nem saber a respeito. Preferir considerar o que é dito para só depois adotar ou descartar. 
  26. Aprender não só com cursos e não só para alcançar metas de interesse unicamente profissionais ou utilitários. Mas aprender também para amar, para ajudar os outros, para desfrutar e para desenvolver uma habilidade. Aprender com a observação, os livros, as conversas, as viagens, com a oração. Procurar pessoas com as quais se possa aprender e melhorar nossas próprias qualidades. A abertura para aprender é sinal da grandeza de coração.. 
  27. Dar-se é mais importante que dar. 
  28. Não se inventar tarefas desnecessárias preferindo ter conteúdo e profundidade a excesso de atividades. Igualmente preferir ser pessoa que escolhe bem os rumos da vida e os alcança. Não ficar remoendo problemas do caminho e acabar esquecendo da própria felicidade. 
  29. O falta de engajamento social ou de interesses além do estritamente pessoal pode demonstrar egoísmo excessivo o que limita muito tudo o que se poderia ser como pessoa. Por isso devemos receber, dar, retribuir, agradecer, participar. Tem gente que só faz uma gentileza, ou o que deveria fazer quando tem algum “motivo”: estudar só para a prova e só de véspera, enviar um cartão ou dar telefonema porque depois vai pedir o carro emprestado, etc. 
  30. Faça uma boa ação sem esperar retribuição. Participe com assiduidade de ações beneficentes de forma eficiente e desinteressadamente. Isto alarga o coração e a nossa capacidade de ser. 
  31. Importa mais a intensidade da amizade ou a qualidade do contato entre os amigos do que a extensão e variedade com que ocorre. A extensão pode – em alguns casos – pode ser prova de superficialidade. 
  32. Prudência no trato com os outros: considerar também as intenções para desculpar ou precaver-se se for o caso. Procure ser cordial e solícito, respeitador e interessado com seus colegas e amigos e não apenas voltado para seus interesses. A pessoa educada o é sempre e com todos. Devemos criar o hábito do trato cordial e atencioso mesmo quando as situações não são especialmente fáceis ou agradáveis. Não esqueça de oferecer um sorriso, mesmo quando for preciso se negar a um pedido inoportuno. 
  33. Aprenda a divertir-se sem tomar álcool, fazer brincadeiras de mau gosto, dizer grosserias e piadas vulgares, desenvolver interesses mórbidos ou de vulgaridade sexual, palavras trejeitos e modas agressivos porque são expressão da falta de segurança e autodomínio. 
  34. Acostume-se a recolher você mesmo tudo que é subproduto do que você faz: Tomou banho? Seque o que tiver molhado, recolha roupa suja, etc. A próxima pessoa que entrar no banheiro não deve nem pensar que alguém já esteve ali. Recolha seu prato após comer, leve seu lixo para fora, recolha suas roupas do quarto, guarde os livros e os jornais que leu no lugar apropriado, etc. 
  35. Seja um bom companheiro: apague as luzes caso seu colega de quarto ou no futuro sua esposa ou esposo já tenham ido dormir. Não acredite que a luz não está incomodando. 
  36. Nosso maior exemplo deve ser sempre a Família de Nazaré. 
  37. A pessoa educada nunca é petulante, debochada, escrachada, exagerada e jamais é vulgar. 
  38. A pessoa educada não oscila sua opinião para agradar as pessoas presentes ou aos poderosos. 
  39. A pessoa educada não coloca nos títulos, cargos, dinheiro, classe, posição, escolarização, cargo, motivo para se sentir superior a quem quer que seja. 
  40. A pessoa realmente fina sabe que seus bons modos não são herdados, nem comprados mas permanentemente cultivados. 
  41. A pessoa de boas maneiras não se deixa arrastar pelos impulsos momentâneos e não desenvolve vícios. Não demonstra impaciência, irritação, esnobismos, tédios e egoísmos. Não importa quão excitante seja a situação ou quão ansioso esteja consegue controlar os seus impulsos. 
  42. A pessoa educada evita demonstrar esses excessos de intimidade, de liberdade, esses descontroles emotivos, esses deslumbres, esse falar de si mesmo em tudo e para todos. Qualquer abuso é essencialmente vulgar. Todo servilismo ou elitismo é falta de valores e de educação. Talvez isto seja o mais difícil e o mais característico de uma pessoa educada: o saber controlar-se. 
  43. A pessoa educada também evita ignorar as circunstâncias e a necessidade dos demais. Jamais se nega ao cumprimento de um conhecido. 
  44. Só uma pessoa muito baixa deseja magoar ou provocar quem acabou de conhecer gerando desconfortos com críticas, intimidações, acusações gratuitas, gritarias, desconsiderações de toda sorte, "brincadeiras" desagradáveis, ridicularizações mais ou menos dissimuladas, ou ainda com fofocas e invejas. Todos tem direito a respeito e à sua boa fama. 
  45. Existem ainda os que vivem em mundos imaginários onde tudo é intriga, fofoca, perseguição ou competição. Quando relacionam-se com os demais são um peso de tormentos sem fim vendo perseguições, desagrado, maus tratos e fermentam ressentimentos como "pensamento crítico". A pessoa mal educada é sempre pesada aos demais. A pessoa educada é simples. Em sociedade há uma tendência a atrairmos pessoas semelhantes a nós mesmos.
"Boa parte da nossa vida está composta de pequenos encontros com pessoas que vemos no elevador, na fila do ônibus, na sala de espera do médico, no meio do trânsito da cidade grande ou na única farmácia da cidadezinha onde vivemos... e ainda que sejam momentos esporádicos e fugazes, são muitos por dia e incontáveis ao longo de uma vida. Para um cristão, são importantes, porque são ocasiões que Deus lhe dá para rezar por essas pessoas e mostrar-lhes o seu apreço, tal como deve suceder entre os que são filhos de um mesmo Pai. Fazemos isso normalmente através desses pormenores de educação e de cortesia que temos habitualmente com qualquer pessoa, e que se transformam facilmente em veículos da virtude sobrenatural da caridade." Fernández-Carvajal, Coleção Falar com Deus" volume 3,Tempo Comum(1) Semanas I a XII, pag. 33. "