05 dezembro 2013

Dicas de Boas Maneiras Cartões de Natal


Dicas de Boas Maneiras sobre Cartões de Natal
  1. Jamais deixe de enviar seus votos de Feliz Natal. Este é um meio certo de fazer as pessoas felizes.
  2. Prepare com antecedência uma lista de pessoas a quem você vai enviar seus votos para  não esquecer ninguém.
  3. Para familiares e amigos próximos e queridos prefira os cartões em papel enviados pelo correio. Aos colegas você pode enviar cartões virtuais mas jamais envie um cartão virtual ou um "animated gift" sem uma palavra pessoal. Um bom meio de fazer isto é criando você mesmo o seu cartão visual ou utilizando cartões de Natal de site colocar umas palavras bem escolhidas. Evite também os e-mails só de texto, o Natal é a festa maior e a sua alegria e os seus votos pedem um mínimo de elaboração. Jamais agradeça de volta um e-mail ou cartão sem mencionar o recebimento dos votos que você enviou. 
  4. Não envie cartões ou envelopes rasurados. Enderece o envelope como solicita os correios: de forma centralizada sendo o cep a última informação, a última linha. 
  5. Para assinar os cartões de Natal de famílias para famílias é habitual que o nome do marido venha antes da esposa, mas esta é uma questão de escolha pessoal. Jamais Sr. e Sra. Luiz da Silva mas sim Luiz e Josefina da Silva.
  6. Para assinar os cartões de Natal de famílias para famílias é habitual que o nome do marido venha antes da esposa, mas esta é uma questão de escolha pessoal. Jamais Sr. e Sra. Luiz da Silva mas sim Luiz e Josefina da Silva.
  7. Algumas pessoas fazem uma grande confusão: Sugerem que a pessoas de outras religiões não se enviem cartões de Natal ou com "motivos" como Presépios, mas que prefiram cartões de "Happy Holidays". Ora, não se ganham presentes de férias, nem se faz uma ceia a meia-noite porque se saiu de férias nem se arma e decora um pinheiro no meio da sala porque vai mudar a folhinha do calendário para um novo ano em breve. No Natal é comemorado o nascimento de Cristo. O que se comemora no Natal é o amor. O que se compartilha são os votos de uma renovação da vida pelo amor. Ora isto pode ser desejado a todas as pessoas de todos os credos, se não fosse assim não poderíamos ir a um aniversário de alguém que não é da nossa família. Podemos sim da alegria alheia e colher bons frutos mesmo não estando diretamente ligados a eles. Na verdade este pensamento está ligado a uma tentativa de desmonte da importância da Igreja Católica por razões de pensamento único à esquerda que dominou as universidades, pelas novas religiões e ideologias New Age e pagãs que querem assumir o lugar de "ópio do povo" na atual corrente relativista. Como se você precisasse abdicar de comemorar o seu aniversário para que o outro pudesse comemorar o seu. 
  8. Envie com pelo menos três semanas de antecedência os seus cartões de Natal que vão pelo correio. Aos parentes e amigos distantes você pode acrescentar uma pequena cartinha contendo novidades, de preferência mencione apenas coisas boas. Não é de bom tom junto com os cartões de Natal o envio de muitas reclamações e longas descrições de tudo que aconteceu.
  9. O envio de cartões deve ser ser por espírito de Natal e não como um meio de auto-promoção.

Em Meios Virtuais

Não deixe de colocar seus votos de Feliz Natal no seu blog, Facebook, Hi5, etc. Não apenas mandar os votos, mas enfeitar as suas páginas com motivos Natalinos.

Veja mais sobre o Natal aqui.

"Boa parte da nossa vida está composta de pequenos encontros com pessoas que vemos no elevador, na fila do ônibus, na sala de espera do médico, no meio do trânsito da cidade grande ou na única farmácia da cidadezinha onde vivemos... e ainda que sejam momentos esporádicos e fugazes, são muitos por dia e incontáveis ao longo de uma vida. Para um cristão, são importantes, porque são ocasiões que Deus lhe dá para rezar por essas pessoas e mostrar-lhes o seu apreço, tal como deve suceder entre os que são filhos de um mesmo Pai. Fazemos isso normalmente através desses pormenores de educação e de cortesia que temos habitualmente com qualquer pessoa, e que se transformam facilmente em veículos da virtude sobrenatural da caridade." Fernández-Carvajal, Coleção Falar com Deus" volume 3,Tempo Comum(1) Semanas I a XII, pag. 33. "