08 dezembro 2013

Boas Maneiras e o Natal: Lembrando Detalhes Importantes

Agradecemos sempre todos, todos os presentes. Ninguém tem "obrigação" de dar presentes. Por isso faça seus filhos agradecerem todos os presentes recebidos. Ligue para agradecer quem enviou algum presente. Ou mande cartão de agradecimento. É uma boa atividade para as crianças fazê-las escrever ou desenhar cartões de agradecimento para os avós. Agradeça a sogra, retorne ligações de votos recebidas por recado porque você não estava, etc. 
Ligamos para desejar Feliz Natal a quem não pudemos alcançar com um cartãozinho.

O maior presente de Natal que podemos dar em família é o amor. E isso se traduz realmente, em 

  1. um sorriso, 
  2. em ajudar objetiva e concretamente, 
  3. em não reclamar de nada, nada mesmo. 
  4. Não faça críticas gratuitas, não saia distribuindo pareceres sobre os outros, sobre seus comportamentos, seus gostos, etc. 
  5. Em não falar quanto as coisas lhe custam ou custaram. 
  6. Não falar de si o tempo todo. 
  7. Não se fazer daquele que tem que ser servido porque paga as contas. 
  8. Não esmolar atenção com auto-comiserações e auto-piedades. 
  9. Em ajudar a lavar a louça. 
  10. Em cooperar com todos seja indo à Missa, seja visitando pessoas chatas da família.

Algumas Ideias para o Natal

    1. Mesmo após passada a data do dia 25 de dezembro, ainda dá tempo de fazer alguma caridade: mande coca-colas para um orfanato, ajude na sua paróquia, dê dinheiro na caixinha da igreja. Não sabe a quem mandar? Recebeu um sapato que não gostou? Envie para o Arcebispo do Rio de Janeiro. Tudo que chega a ele é dividido com sacerdotes e freiras muito pobres que trabalham em áreas carentes. Mande uma torta para um congregação que trabalhe com pessoas carentes ou dê alimentos na sua paróquia. 
    2. Cumprimente o seu pároco.
    3. Vá à Missa. A Missa do Galo não substitui a Missa de Natal, nem a Missa de domingo.
    4. Jamais permita, nunca consinta em qualquer piada, deboche, gozação com assuntos religiosos. Nem nos assuntos católicos nem nos de qualquer outra denominação. Nem em família, nem como assunto social ou para "fazer graça" e muito menos na Igreja.  Nem pessoalmente e nem pela Internet. É no mínimo prova de mau caratismo. Se você considera ser politicamente correto ou se considera possuidor de conhecimento cientificamente superior, prove isso e respeite os demais por respeitar um dos princípios mais elementares dos direitos humanos que é a liberdade religiosa e não faça piadas a respeito das crenças alheias só para deleite da sua vaidade ou soberba. Esse criticar ou desfazer do catolicismo ou das religiões em geral por pura presunção cientificista é apenas soberba. Quem não tem bons sentimentos que afinal vem da relação com Deus,  deve ao menos manter a compostura de respeitar os sentimentos dos outros e não debochar, escarnecer, denegrir ou fazer piadas ou "gracinhas" com os temas religiosos. E lembre-se grosseria jamais é graça. Nem neste tema nem em nenhum outro. Mesmo que aparentemente os presentes estejam concordando com você, saiba que não vão respeitá-lo. Por não respeitar a crença alheia é você que se rebaixa ao invés de rebaixar o que tenta com suas "piadinhas" denegrir. E isto inclui não reclamar da demora da Missa, comentários desnecessariamente negativos sobre as instalações da Igreja, a música, sobre os demais colaboradores, etc. Você ajuda a sua paróquia? Sabia que tudo é feito voluntariamente? Que os padres fazem votos de pobreza? Ajude sua paróquia e aos seus párocos e padres ao invés de criticá-los gratuitamente.
    5. Inclua em seus cumprimentos ou visitas do dia 25 alguém da sua família que possa estar muito isolado, ou que tenha ficado viúvo, viúva recentemente, ou que tenha perdido um parente próximo a pouco tempo. 
    6. Não se esqueça de visitar os seus doentes no Natal.
    7. Mande celebrar Missa pelos seus falecidos, é uma sensação boa de que estamos com eles, na Igreja, no Natal. 
    8. O Natal se celebra é com a Santa Missa e não no shopping. Não falte. E leve a família. 
    9. O maior presente que se pode dar ao aniversariante do Natal é amor. E amor se vive na vida cotidiana como nos lembra sempre São Josemaria Escrivá, o santo da Vida Cotidiana.
    "Boa parte da nossa vida está composta de pequenos encontros com pessoas que vemos no elevador, na fila do ônibus, na sala de espera do médico, no meio do trânsito da cidade grande ou na única farmácia da cidadezinha onde vivemos... e ainda que sejam momentos esporádicos e fugazes, são muitos por dia e incontáveis ao longo de uma vida. Para um cristão, são importantes, porque são ocasiões que Deus lhe dá para rezar por essas pessoas e mostrar-lhes o seu apreço, tal como deve suceder entre os que são filhos de um mesmo Pai. Fazemos isso normalmente através desses pormenores de educação e de cortesia que temos habitualmente com qualquer pessoa, e que se transformam facilmente em veículos da virtude sobrenatural da caridade." Fernández-Carvajal, Coleção Falar com Deus" volume 3,Tempo Comum(1) Semanas I a XII, pag. 33. "