10 dezembro 2013

Boas Maneiras Consigo Mesmo

  1. Nunca tenha maus modos só porque está sozinho. Sua classe e sua categoria são expressão de você mesmo. Se permitir que em alguns momentos ou em certos ambientes você se libere ou se expanda em vulgaridades, sujeiras e modos ríspidos logo estará fazendo isso regularmente. 
  2. Trate bem suas coisas e sua apresentação pessoal cuidando esmeradamente de sua higiene e elegância. Pessoas mal vestidas ou relaxadas declaram que podem ser tratadas com descaso. 
  3. Jamais se reconheça inferior a nenhum outro homem. Nunca. Somos inferiores a Deus. Talvez na presença da beleza,  e da  cultura tenhamos que reconhecer nossas limitações, mas não a outro homem o qual deveremos tratar tão bem quanto a nós mesmos. Jamais acima de nós. Respeitar os outros não é inferiorizar-se. É perfeitamente possível o mais humilde estar ao lado do mais douto com respeito sem que para isso seja necessário desfazer de si mesmo, inferiorizar-se. Na verdade são os orgulhosos e os inseguros os que fazem esta confusão. Uns por se fazer "íntimos" ou iguais para não dar crédito a situação hierárquica que martiriza seu orgulho, outros por terem-se sempre por muito menos do que são, reduzem-se às sua vênias e adulações. Frente aos outros homens devemos ser sempre cônscios da nossa dignidade. Se somos honestos, temos honra, não fazemos mal a ninguém, não há porque nos inferiorizarmos a ninguém. E esta consciência ajuda em muito a combater a discriminação da nossa sociedade. (Veja esta postagem.). Não se pode confundir a virtude de ser humilde com desmerecer-se.
  4. Trate especialmente bem a sua família. Muitas pessoas negligenciam o respeito e a consideração pelos próprios familiares, mas eles são parte do que você é. Não fale mal dos seus em sociedade, seja considerado, ouça, festeje todos os seus parentes. É exigido que se respeite a todos, não que se conviva com os que abusam de você.
  5.  Evite as situações de vulgaridade e de excessos de consumo de álcool, glutoneria, frivolidades. Os alemães tem um provérbio que diz que os que ficam em muitas festas, em muito convívio fútil acabam pessoas comuns. Cuide do aprimoramento pessoal, profissional e humano antes de receber uma crítica ou começar um trabalho novo e aí precisar saber como vestir-se ou portar-se. Procure ler muito e continuar aprendendo sempre. 
  6. Seja bom amigo, bom parente, bom profissional, bom cristão. Isto é o que você realmente é. Pomos, às vezes, muita atenção em sonhos futuros, em planos profissionais e objetivos, alguns fúteis como magreza ou forma física de preocupações exageradas e reduzimos nossa vida a esse horizonte estreito que nem percebemos que o bem que podemos fazer é na vida cotidiana de hoje, aí nesse trabalho bem feito ou onde atendemos os clientes com simpatia, na nossa família, fazendo parte desta pastoral ou ação beneficente. Seja bom hoje, não amanhã. 
  7. Não alimente o seu espírito com vulgaridades. Não veja novelas tolas se pode ler um livro. E procure sempre boas leituras, boas companhias, bons programas, boa música. Não dê tudo que os instintos peçam. Não é másculo ficar submetido aos hormônios ou ao estômago, ao contrário isso é de bestas. Humano é ser nobre, bom,. belo, cavalheiro, educado semelhante a Deus. Do mesmo modo, as mulheres devem expressar a sua suprema graça e não afundarem-se em vulgaridades, preguiças, glutonerias, tristezas procuradas pelo egoísmo, etc. 
  8. Avalie regularmente seus critérios morais, éticos e religiosos, não espere por situações de crise para conhecer-se.
  9. Você tem direito à sua privacidade e ao seu bom nome. Não permita que desfaçam de você ou que invadam a sua privacidade. Dê-se valor e exija respeito. 
Como se pode ver, as boas maneiras para conosco mesmo implicam a mesma expressão de caridade que damos aos outros quando os tratamos com boas maneiras. E mesmo em relação a nos mesmos, as boas maneiras não são uma questão de mera "fórmula de formalidade", desvinculada da realidade e a ser utilizada apenas quando vigiados, mas expressão do que realmente somos e portanto exigem mais que normas, os valores humanos. 
"Boa parte da nossa vida está composta de pequenos encontros com pessoas que vemos no elevador, na fila do ônibus, na sala de espera do médico, no meio do trânsito da cidade grande ou na única farmácia da cidadezinha onde vivemos... e ainda que sejam momentos esporádicos e fugazes, são muitos por dia e incontáveis ao longo de uma vida. Para um cristão, são importantes, porque são ocasiões que Deus lhe dá para rezar por essas pessoas e mostrar-lhes o seu apreço, tal como deve suceder entre os que são filhos de um mesmo Pai. Fazemos isso normalmente através desses pormenores de educação e de cortesia que temos habitualmente com qualquer pessoa, e que se transformam facilmente em veículos da virtude sobrenatural da caridade." Fernández-Carvajal, Coleção Falar com Deus" volume 3,Tempo Comum(1) Semanas I a XII, pag. 33. "