03 setembro 2013

Educação, Etiqueta e Boas Maneiras ao Conversar

  1. O olhar e a atenção distribuídos entre todos os presentes "acalenta" a conversa porque demonstra consideração, interesse e desejo de integrar a todos. 
  2. Em sociedade, cabe a todos o dever de manter a conversa viva e animada. Os assuntos dos noticiários, o tempo e o trânsito (sem queixas), assuntos relacionados à moda para as mulheres e tecnologias para os homens são temas que agradam. Além disso, o esporte e cultura podem ser assuntos tratados no início de uma conversa desde que sirvam para entreter, instruir ou divertir, nunca para reclamar, ou demonstrar erudição, etc.
  3. Se o se interlocutor disse algo bom não deixe de cumprimentá-lo. "– Sabe aquela casa que estava construindo? Consegui terminá-la." Ou ainda, " – Meu filho passou no vestibular." Responda sempre com " – Que ótimo, meus parabéns, qualquer coisa. Mas deixar de felicitar é ignorar proposta de compartilhar uma alegria que nos está sendo comunicada. 
  4. Na dor também manifeste seu pesar, ao lhe contarem uma dificuldade ofereça-se para ajudar ou console como puder. Não se ignoram temas importantes. 
  5. Converse com as pessoas de sua casa, de verdade, sobre o que interessa a você e a eles.
  6. Procure compreender quando as coisas não são do jeito que você queria. Não sai criticando e alimentando animosidades e diferenças familiares a partir de um diálogo tenso. 
  7. Filhos: Às vezes os pais negam coisas aos seus filhos para o bem deles. Procure agir com a certeza de que seus pais lhe amam e mesmo que não concorde com eles disseram não deve agir como se eles fossem seus inimigos.
  8. Pais: Os pais que respeitam os filhos e dialogam verdadeiramente com eles, não usam de sua autoridade para impor suas idéias ou atender às próprias conveniências de modo arbitrário e às custas dos interesses dos filhos. Não há boa conversa que mude o ressentimento por uma situação permanentemente injusta. As pessoas passam por várias fases na vida e tem estilos pessoais diferentes. O bom diálogo permite que as diferenças não sejam motivo de isolamento. Ou que, em substituição ao verdadeiro diálogo, se iniciassem esses verdadeiros mecanismos de dor, presentes em tantas famílias, dos comportamentos automáticos de ação e reação repetidos infalivelmente por falta de diálogo e superação: o filho quis sair começa a ladainha da necessidade de estudar, então o filho reclama de volta e toda vez " é esse inferno".etc.
  9. Seja educado durante o ato de conversar: integre pessoas isoladas, ajude a mudar a conversa para "salvar" alguém que deu um fora que deu, ceda o lugar, passe a bebida ou a comida à sua volta, proponha a troca de assunto para integrar alguém ou para conseguir sair de situações como falar de morte quando alguém ali na roda de bate-papo acabou de perder um ente, querido.
  10. Ajude a quebrar o ânimo de quem se excedeu e se for o caso, não deixe um mal entendido qualquer assumir proporções exageradas, perdoe.
  11. Não faça do diálogo uma disputa de quem vence. Se for um assunto fundamental, como um direito, ou um engano sério, expresse com clareza que esta é a sua posição, não é preciso deixar de se manifestar, mas não é necessário insistir para convencer. A clareza e a coerência da própria posição, somadas ao respeito pela liberdade de expressão do seu interlocutor mais cedo ou mais tarde vão fazer o seu interlocutor o compreender mais. Respeito puxa respeito. Mas se o assunto não é fundamental não insista só para ter razão.
  12. Não se pode fugir do fato de que para conversar bem, com desenvoltura é preciso enriquecer o vocabulário e o conhecimento geral. 
  13. Devemos falar com naturalidade, sem afetações e exibicionismos. Dicção, gesto, olhar, bom gosto na escolha de temas, retas intenções e nobre motivações moldam a boa conversa. Um pouco de cultura é fundamental. 
  14. Desenvolva a sua conversa com os temas que lhe agradam de verdade e não com clichês que o façam parecer culto ou "politicamente correto" conforme uma determinada tribo.
  15. Perceba o que interessa à outra pessoa e procure falar sobre isso com ela. Não esqueça então de retornar a conversa para o interesse do outro interlocutor depois de já ter comentado sobre os assuntos que lhe agradam.
  16. SAIBA DISTINGUIR TEMAS, E OS DIFERENTES GRAUS DE INTIMIDADE, POSIÇÃO SOCIAL, A SITUAÇÃO SOCIAL OU HIERÁRQUICA QUE EXISTEM. Você nunca vai propor numa conversa temas como " – "Peraí" gente, que eu tenho que ir fazer.....no banheiro e já volto." Não, já fez ali mesmo. Ou comentar com um chefe, ou pessoa de idade uma intimidade. Ou comentar com um estranho, problemas pessoais íntimos. Aliás, não se fala mal da família em hipótese alguma. Nem da ex-mulher ou ex-marido. O que é de casa fica em casa. É claro que você pode desabafar com um amigo íntimo um problema. Mas as dificuldades pessoais e familiares não são "aperitivos" servidos nas conversas sociais para que todos comentem. Muito menos se sai falando mal para todo mundo de suas mazelas com os filhos adolescentes por exemplo. Por fim vão acabar percebendo que o problema é com você que não sabe lidar adequadamente com seus problemas. Saber ter uma conversa apropriada conforme o interlocutor é respeitá-lo. A entrevista de trabalho não é a hora de você falar mal do antigo emprego.
  17. Ignorar tudo, concordar com tudo, ou reagir criticando tudo é falta de educação. É característica das pessoas vulgares e mal educadas o agredir a pessoa, efeito mortal sobre a qualidade da conversa e do encontro.
  18. Não se intimide com assédios, pessoas de mais recursos, posição social, ou prestígio. Somos todos iguais e irmãos em Cristo. Não podemos confundir respeito devido a uma posição hierárquica, por exemplo, com aceitar intimidação, humilhação, assédio ou esnobação. Muitas moças novas não sabem como reagir contra o assédio velado como "brincadeirinha" de chefes ou colegas num emprego novo por exemplo. Conversar não quer dizer aceitar tudo. Diga que não gostou daquela atitude, que semelhante comportamento não está de acordo com a posição da pessoa e saia. Se insistirem reclame aos superiores.
  19. Saiba ver quando a conversa já acabou.
  20. Não seja aquele tipo de pessoa que não concorda com nada, que tem sempre uma objeção a tudo. Ou as que fazem questão de mostrar sua indignação excelsa para distinguir-se dos demais, ou os tipos que invariavelmente conversam como se estivessem ofendidos, ou os que "definem" a verdade sobre tudo, ou ainda os que sabem como devem ser todas as coisas.
  21. Pessoas sem opinião sobre nada e sem assunto matam qualquer reunião. Evite fechar a conversa em temas específicos demais quando há pessoas que não são do seu meio no mesmo bate-papo. Como médicos que se entretém por horas a fio numa festa falando de procedimentos médicos e fatos ocorridos em situações de emergência com presentes não acostumados com essa realidade. Ou pessoas que só falam de seus filhos, de seus problemas, de seu trabalho, de seu hobby como se a todos interessasse o tema que naturalmente lhes é caro. É preciso ligar o "semancol".
  22. Tenha alguns assuntos em mente para iniciar as conversas como atualidades, tempo, etc. Antes de ir a uma reunião, talvez você devesse dar uma olhada no jornal ou outro noticiário para estar a par de assuntos que possam surgir na festa.
  23. Pense antes de falar para evitar dizer bobagens ou coisas que magoam. Se você não costuma recolher-se em oração para ter uns minutos por dia só para você, só para ouvir-se, chances há de você se deixar levar pelas provocações, estados de ânimo, antipatias e defeitos mais facilmente. Pensar é bom, mas em oração é melhor.
  24. Preste especial atenção quando fizer perguntas pessoais. Como você sabe deve levar em consideração sempre com quem está falando: se é um jovem, um vendedor, um sacerdote em confissão, ou o esposo/esposa. Nestes últimos, por exemplo, não perguntar como foi o exame médico é descaso, com um estranho uma invasão.
  25. Aceite os cumprimentos e homenagens que lhe prestarem com alegria e agradeça-os. Não fazê-los ou tê-los como devidos é muito antipático.
  26. Não seja monossilábico em suas participações nas conversas. Equivale ao que não responde nada: a desprezar a companhia do outro.
  27. Lembre-se: tudo que não vai para frente, que não cresce, morre. Se de um coleguismo não surgiu uma amizade que poderia ter nascido se a conversa tivesse semeado um processo progressivo de encontro e amizade, isto se perdeu para sempre. Por isso se as suas possíveis amizades não se desenvolvem por falta de uma boa conversa, cotidiana e sincera ela vai morrer. Tenha certeza de que são dons, talentos, chances de amar e servir que se desperdiçam. É vida que não se realiza. Por isso tenha paciência e empenhe-se em ser cordialmente solícito em todas as suas conversas. (Isso não se refere a pessoas más, inconvenientes ou que por qualquer motivo justo não devem frequentar o nosso relacionamento mais íntimo que convém aos amigos.) Amizades, amores, descobertas, realizações pessoais não se encontram quando se quer, mas são fruto de longa paciência e de escolhas cotidianas e diminutas de amor e serviço onde a conversa tem o papel de semear a vida que escolhemos viver sem sociedade. Por isso esses chats de Internet podem não ser bons: se levam a vícios, a unir-se a futilidades, se são baseados em mentiras de toda sorte, são inúteis e criam uma espécie de vida inútil. Mas se confirmam e ampliam as amizades, se viabilizam outras e sedimentam outras, então é uma potência de bênçãos. Mais uma vez não está na máquina em si, mas no uso que o homem faz dela o seu verdadeiro valor. Creio que se o próprio computador ganhasse vida, ao ver que os seres humanos, que tem alma, os utilizassem - tão potentes que são - para fraudar o tempo e a vida chorariam de dor.
  28. Veja no Vida em Sociedade virtudes correlatas como afabilidade e amabilidade. Veja como você pode colocar mais um pouco de amabilidade em suas conversas e pratique o que decidiu por toda esta semana.
  29. Como se pode ver a maior virtude da conversa não está num receituário de fórmulas mágicas para uma boa conversação, mas em ter a qualidade humana da qual a conversa é apenas o reflexo.
  30. Emprega-se sempre a melhor forma de tratamento.
  31. Quando tiver que passar por pessoas que estão conversando peça licença a quem está falando. Se possível evite a interrupção esperando que a pessoa termine de falar. Se perceber que alguém quer passar interrompa o que está dizendo e a faça passar.
"Boa parte da nossa vida está composta de pequenos encontros com pessoas que vemos no elevador, na fila do ônibus, na sala de espera do médico, no meio do trânsito da cidade grande ou na única farmácia da cidadezinha onde vivemos... e ainda que sejam momentos esporádicos e fugazes, são muitos por dia e incontáveis ao longo de uma vida. Para um cristão, são importantes, porque são ocasiões que Deus lhe dá para rezar por essas pessoas e mostrar-lhes o seu apreço, tal como deve suceder entre os que são filhos de um mesmo Pai. Fazemos isso normalmente através desses pormenores de educação e de cortesia que temos habitualmente com qualquer pessoa, e que se transformam facilmente em veículos da virtude sobrenatural da caridade." Fernández-Carvajal, Coleção Falar com Deus" volume 3,Tempo Comum(1) Semanas I a XII, pag. 33. "