04 setembro 2013

Boas Maneiras e o Lanche da Tarde

Shop Cafe BrittO lanche da tarde, o “lanchinho”, como é chamado aqui no Brasil, talvez o equivalente ao chá, em outros países, é uma reunião mais em conta, mas não por isto menos caprichada, e que serve para atender a vários propósitos.

Por exemplo, entreter várias amigas, apresentar uma nova amiga às nossas, ou festejar um parente recém-chegado, comemorar um aniversário, festejar alguma data, honrar alguém por qualquer motivo: promoção, passar numa prova etc. 

  1. Assim, a família pode muito bem proporcionar um lanche para todos os amigos do waterpolo que participaram do time do seu filho para festejar uma vitória, por exemplo.
  2. Ou o lanche pode ser o acompanhamento ideal para desembrulhar os presentes do “chá de cozinha” ou de bebe, etc. Isso promove a integração familiar e social e dá imensas alegrias cotidianas. Vejamos então algumas dicas de boas maneiras para os lanches.
  3. Os chás mais formais podem receber convites em cartões impressos personalizados e mais bem decorados. Pense no convite como um utilitário que facilita o agendamento, a ter a informação correta, etc. Use meios eletrônicos, mas prefira os convites escritos. Veja a postagem sobre Convites e respostas. 
  4. Moças que já passaram dos 15 anos ficam por uma hora com a mãe na porta ajudando-a a receber os convidados. Se o chá for para a debutante ela será apresentada a todos que entram. Do mesmo modo o convidado de honra também é apresentado a todos os convidados. 
  5. Abaixo de 18 anos não sirva bebida alcoólica em hipótese alguma. 
  6. Não permita acesso aos quartos durante a festa. 
  7. Um bom anfitrião não se envolve com os detalhes da cozinha a ponto de descuidar dos convidados. Ele tem um papel ativo em integrar as pessoas e em garantir o cumprimento da "agenda" da festa.É preciso portanto apresentar o máximo de pessoas possíveis umas às outras no período considerado inicial, de apresentação porque isso ajuda a "esquentar a festa". Porque os convidados também tem um papel importante de manter a festa "acontecendo". Não podem se sentar e esperar ser "entretidos".
  8. Shop TheBabyBunch.com Today!

    Dicas de Educação e Boas Maneiras para o Lanche 


  9. Ensine nessas ocasiões tudo o que sabe sobre receber às suas filhas: modos de decorar, cardápios, etiqueta. Isso dá muita desenvoltura social às meninas.
  10. Tenha detalhes especiais na decoração, pode ser só da mesa, faça um cartão especial para todos assinarem, tire fotos, faça “discursos” para homenagear alguém, promova um momento cultural ou beneficente a partir da sua reunião. São esses detalhes que fazem a vida saborosa.
  11. É preciso ter uma programação mínima prevista para todo o evento. Ao contrário do que pode parecer, a festa não é espontânea, ela é sim planejada. Deve ter um começo, meio e fim. O anfitrião não programa só o cardápio, mas também o entretenimento, a agenda da festa, o que vai fazer para receber bem, quem vai apresentar a quem, etc. A festa é uma atividade pró-ativa até que termine.
  12. Depois é preciso assegurar que o jantar, ou o lanche seja servido no tempo previsto, sem atrasos, do mesmo modo o “entretenimento” do encontro: passar o filme,  promover a dança, a apresentação do recital, do filme, das fotos das férias, o jogo de cartas o que for. Festa não é jogar um monte de gente numa sala e servir comida, tem sempre começo meio e fim. Você pode colocar no convite a hora em que a festa se encerra sim, isto é muito prático.
"Boa parte da nossa vida está composta de pequenos encontros com pessoas que vemos no elevador, na fila do ônibus, na sala de espera do médico, no meio do trânsito da cidade grande ou na única farmácia da cidadezinha onde vivemos... e ainda que sejam momentos esporádicos e fugazes, são muitos por dia e incontáveis ao longo de uma vida. Para um cristão, são importantes, porque são ocasiões que Deus lhe dá para rezar por essas pessoas e mostrar-lhes o seu apreço, tal como deve suceder entre os que são filhos de um mesmo Pai. Fazemos isso normalmente através desses pormenores de educação e de cortesia que temos habitualmente com qualquer pessoa, e que se transformam facilmente em veículos da virtude sobrenatural da caridade." Fernández-Carvajal, Coleção Falar com Deus" volume 3,Tempo Comum(1) Semanas I a XII, pag. 33. "