04 setembro 2013

7 Lembretes de Boas Maneiras em Festas e Reuniões

120 x 240
  1. Estar alegre numa festa não nos autoriza a sermos escandalosos.
  2. Não se demore muito para ir embora de uma festa. Aquele grupinho que fica até quatro horas da manhã quando a festa acabou à meia-noite é inconveniente e não é nada simpático. Não tenha dúvida. 
  3. Apresente seus amigos para seus pais quando eles forem à sua casa. Na sua festa procure que todos se sintam bem. Procure não deixar nenhum amigo só ou aborrecido. Faça com que todos tenham uma boa lembrança da sua festa. 
  4. O velho, o jovem, o feio, todos devem receber igual atenção dos anfitriões e todos os esforços devem ser feitos por todos e não apenas pelos donos da casa - para que ninguém se sinta excluído.
  5. Cuidado para não ocupar o lugar de alguém ao chegar num recinto se todos vieram atendê-lo na chegada. Aliás, também à mesa, entre amigos, na pizzaria, mesmo na informalidade mais camarada, não nos sentamos imediatamente ao chegarmos, na frente dos outros. Mas antes procuramos acomodar a todos vendo se alguém tem alguma preferência de lugar, companhia, etc. 
  6. A comunhão, pressuposto básico das refeições, não deve estar limitada ao bolo do aniversário partilhado entre todos. A comunhão é das almas, das pessoas e, portanto, a cortesia e a consideração pelo outro é o meio natural de expressar e promover a verdadeira comunhão. 
  7. Elogie os pratos especialmente se tiverem sido preparados onde você estiver comendo.
"Boa parte da nossa vida está composta de pequenos encontros com pessoas que vemos no elevador, na fila do ônibus, na sala de espera do médico, no meio do trânsito da cidade grande ou na única farmácia da cidadezinha onde vivemos... e ainda que sejam momentos esporádicos e fugazes, são muitos por dia e incontáveis ao longo de uma vida. Para um cristão, são importantes, porque são ocasiões que Deus lhe dá para rezar por essas pessoas e mostrar-lhes o seu apreço, tal como deve suceder entre os que são filhos de um mesmo Pai. Fazemos isso normalmente através desses pormenores de educação e de cortesia que temos habitualmente com qualquer pessoa, e que se transformam facilmente em veículos da virtude sobrenatural da caridade." Fernández-Carvajal, Coleção Falar com Deus" volume 3,Tempo Comum(1) Semanas I a XII, pag. 33. "