28 abril 2013

Boas Maneiras Garçom x Cliente e Vice-Versa

Para sermos educados precisamos reconhecer a posição das pessoas para não "destratá-las" sem querer, por não lhes reconhecer a posição hierárquica naquela situação da vida em sociedade. Nos restaurantes isto pode acontecer porque frequentemente não distinguimos os vários níveis hierárquicos entre os atendentes dos restaurantes e podemos ser descorteses ao pedir a pessoa errada algo que cabe à alguém de outra posição. Vejamos então uns pontos práticos.

Não comente nem fala mal das pessoas nunca. Nem para fazer "gracinha" em especial em público, como num restaurante. Lembre-se que seus maus modos constrangem quem almoça com você. Não tenha receio de sugerir que se deixe esse assunto de lado ao seu colega maledicente.

No restaurante, não provoque conversas com o garçom, quem está trabalhando não deve ser distraído com conversas de quem está de férias ou  relaxando. É abuso da sua posição de cliente exigir atenção, e até mesmo adulação, por conta de sua posição de cliente. O mesmo vale para vendedores de todos os tipos, mesmo que se forme uma cordialidade não exija mais tempo deles que o necessário, não os faça trabalhar inutilmente, não os obrigue a manter a loja aberta só porque você quer provar todos os pares de sapato. Não exija amostras dos produtos se não tem realmente intenção de comprar.

Pontos Práticos de Boas Maneiras: Maître, Garçon e Cia

A estrutura do staff do restaurante depende da concepção do restaurante.

  1. Trate, todas as pessoas do atendimento em restaurantes, do  mais fino, passando pelos restaurantes a quilo, até o mais simples funcionário de uma lanchonetes com muito respeito. Nada de abusar por pensar que eles estão aí para servi-los e por isso são seus "escravos" tendo que atendê-lo com tal vênia e submissão senão você não paga, se indigna, reclama, se insulta de forma despropositada. 
  2. Garçom é a palavra francesa para garoto e por isso chamar o maitre de garçom, principalmente  em alguns restaurantes mais sofisticados em que a hierarquia é mais clara e onde o maitre é alguém mais qualificado, às vezes o dono, ou o chef, ou mesmo alguém com título superior é considerado rude chamar a essas pessoas de "garçom", mesmo quando pensamos que os estamos chamando pela profissão e não de garoto.
  3. Quando em visita por outros países é preciso ver o costume local porque na França, por exemplo, chamar de monsieur or mademoiselle pode ser mais apropriado do que chamá-los de garçom, achando que os está nomeando pela profissão. 
  4. Sempre que for necessário ou estiver com um grupo maior de pessoas faça reservas antecipadas. Se não gostou da mesa peça para mudar antes de sentar-se.
  5. As mulheres devem aceitar quando os garçons se oferecem para puxar a cadeira para elas sentarem. Espere sentir a cadeira encostar nas costas dos joelhos para começar a sentar, senão irá sentar-se antes da cadeira estar no lugar e terá que puxar a cadeira para o seu lugar.
  6. Se precisar reclamar de alguma coisa faça-o de forma discreta. Indignações exageradas estragam a refeição. 
  7. Não esqueça de deixar os 10% do garçom. 

O que vai acontecer entre você e o garçon que vale a pena destacar

Depois de ajudar todos a se sentar: colocando cadeiras extras para bolsas, trazendo a cadeira do bebê, indicando onde é o banheiro e coisas assim, o garçom vai:

  1. Perguntar se querem coquetéis. Em geral as pessoas correm para dizer não mas na verdade pode ser uma boa maneira de esticar o prazer do momento: pedir uns aperitivos e um drink, mesmo não alcóolico.
  2. Em seguida o garçon apresentará o cardápio, ou os cardápios se houver um de bebidas. O ideal é que ele possa explicar o "prato do dia" ou em alguém preferindo carne, ele ter "espaço" para fazer uma sugestão. Lembre-se de escolher a comida primeiro e DEPOIS  o vinho que a irá acompanhar. Um bom garçon ( ou maître) ajuda na seleção do vinho
  3. O bom garçon irá perceber as tendências e oferecer sugestões que contribuam para uma refeição no gosto e mais agradável e não apenas empurrar pratos caros.
  4. O ideal é que o garçon volte "bem rapidinho" depois dos pratos terem sido servidos para ver se está tudo certo. Não é preciso considerar essa intervenção uma interrupção. É que se houver algum problema é melhor que o prato seja trocado antes de todos já terem avançado muito no consumo de suas comidas e o que teve o prato trocado fique esperando e depois todos tenham que esperá-lo terminar. Entre pessoas educadas ninguém vai começar a comer sem que tenha chegado o prato que foi trocado e assim a comida vai ficar esfriando. Por isso o garçon deve voltar depois de ter trazidos os pratos de forma bem rápida.
  5. Um bom serviço de garçon irá manter os copos cheios, mas sem parecer que está querendo empurrar mais bebida aos clientes. Por exemplo, a primeira garrafa de vinho jamais deve ser esvaziada na primeira rodada, deixe sempre algo na garrafa e a deposite na frente do anfitrião. 
  6. O bom serviço de garçon irá verificar se está tudo bem frequentemente, mas não como quem está interferindo, mandando embora, ou querendo empurrar mais coisas. E isto se faz basicamente por verificar sem se fazer notar, por estar disponível e visível. Restaurantes que mantém os garçons muito ocupados cuidando de muitas mesas ao mesmo tempo em geral não podem oferecer um bom serviço neste sentido do atendimento. O bom garçon nunca se nega ao olhar ou à procura que o cliente está fazendo por ele como quem não viu. Isto é o pior que se pode fazer com o cliente, fingir que não viu. Essa atitude é a que leva muitos clientes a gritar, levantar as latinhas de Coca-Cola para indicar que quer outra etc. Um gesto ruim leva a outros também mal educados e a um serviço que torna o almoço quase uma luta para ser atendido. 
  7. À saída, depois de tudo pago, o garçon pode agradecer a presença e dizer que espera recebê-los de novo no restaurante. Mas isto sem dar-se de íntimo dos clientes. Em alguns países é comum nesta hora o garçon dar o seu nome para que o cliente ao voltar procure por ele o que é um sinal de distinção dele para com o patrão que verá nele uma pessoa que traz de volta os clientes pelo bom atendimento. 

Alguma coisa sobre as hierarquias num restaurante

O Maître 

  1. É o que nos recebe e indica a mesa e parece coordenar o restaurante todo.  ( nem sempre é assim, se o restaurante é grande também eles serão divididos e coordenam várias praças.)
  2. É o chefe dos garçons. 
  3. Devemos tratá-lo com o respeito devido ao posto de coordenador geral. 
  4. Em alguns restaurantes exatamente para fazer uma boa acolhida, é o Maître que toma o pedido e o repassa ao garçon. 
  5. Mas não será ele que nos estará atendendo diretamente por isso não é a ele que temos que pedir outra bebida.
  6. É ao maître que podemos pedir para chamar para resolver um problema. Em restaurantes mais finos é melhor pedir ao garçon  que nos está servindo para chamar o maître e só a este reportar o problema.
  7. O maître está em geral de "tuxido", casaca preta. (paletó preto sem fendas nas laterais.) 
  8. Alguns pratos finos, feitos próximo à mesa do cliente podem vir a ser preparados pelo maître o que deve ser visto como uma sofisticação no atendimento.

O Garçon

  1. O garçon em geral está com uma casaca branca. Mas todos esses restaurantes modernos criaram uniformes novos como aventais longo para quem está naquela posição. Mas há de ver-se uma diferença de formalidade sempre que não se apresentarem em casacas. 
  2. Muitas vezes é o garçon, e não o maître que anota o pedido e verifica que esteja bem preparado e servido conforme exigências particulares por exemplo. ATENÇÃO: Em muitos restaurantes finos é ainda uma terceira pessoa que efetivamente traz o prato para a mesa, mas ele não fala com os clientes. Qualquer dúvida será preciso chamar o seu garçon. 
  3. Em restaurantes que não tem maître, são os garçons que fazem tudo o que maître deveria fazer.

O Comin

As hierarquias muitas vezes não são claras em restaurantes menos sofisticados, mas o comin, que nos restaurantes elegantes é quem limpa a mesa e faz o leva e traz da cozinha para a mesa do que é secundário geralmente, e jamais fala com os clientes é o terceiro personagem desta hierarquia. Atendentes de lanchonetes, de bares, pessoas que limpam e arrumam as áreas de alimentação dos shoppings estão nesta categoria. Devem ser tratados com todo respeito e chamados pela profissão preferencialmente como atendente, moço, moça, ou mesmo garçom. Lembre-se, se você se serviu no self-service, ou na bandeja não há garçon. 


Você deve levar sua bandeja para o local apropriado. A atendente está ali para limpar de um modo geral o espaço e não para servi-lo. Não esqueça de colocar também a sua cadeira no lugar e não deixar nenhuma sujeira na mesa. Nas praças de alimentação não há garçons e na verdade nem comins porque os que há não estão ali para atender aos clientes mas para atender ao dono do restaurante que precisa ter o salão limpo para o próximo cliente. Por isso não é apropriado chamar esse atendente como a um garçon. Às vezes existem alguns para tomar o pedido da bebida, mas ainda assim a assistência que ele pode prestar é muito pequena porque sua "praça" é enorme para dar o atendimento de um garçon. 

O que é pouco Profissional

  1. Roupas sujas e garçons cheirando mal. (Antes de começar a atender as mesas muitos desses garçons estavam realizando trabalho pesado e não é incomum vê-los mal vestidos ou suados.)
  2. Garçons muito faladeiros e que forçam familiaridade com os clientes.
  3. Garçons que falam alto, contradizem e insistem com os clientes que eles estão errados.
  4. Garçons que atendem mal, de má vontade, que insinuam-se por mais gorjeta, que deixam claro que estão ali para "tomar algum dinheiro porque o chefe é já muito rico".
  5. Que falam mal do trabalho, do estabelecimento, dos patrões ou de outros clientes. 
  6. É uma grande descortesia do garçon ficar retirando os pratos e os temperos como azeites muito rapidamente como quem está expulsando o cliente. Alguns clientes roubam essas coisas nos restaurantes e por isso eles são instruídos a tirar tudo muito rapidamente. Isso é muito desagradável assim como é muito desagradável ver clientes abusando das balas, licores, café servidos ao final da refeição, ou esses que roubam para fazer "graça". Tudo muito desagradável. Se não usou todos os sachês de ketchup não os leve para casa!
  7. O garçon nunca força um aumento da gorjeta perguntando se quer troco.Sempre traga o troco certo por menor que seja. Deve ser espontâneo do cliente dizer  "- Guarde o troco."
Obs.: Uma regra que nunca falha: restaurantes vazios na hora do pique, a comida não é boa. 
"Boa parte da nossa vida está composta de pequenos encontros com pessoas que vemos no elevador, na fila do ônibus, na sala de espera do médico, no meio do trânsito da cidade grande ou na única farmácia da cidadezinha onde vivemos... e ainda que sejam momentos esporádicos e fugazes, são muitos por dia e incontáveis ao longo de uma vida. Para um cristão, são importantes, porque são ocasiões que Deus lhe dá para rezar por essas pessoas e mostrar-lhes o seu apreço, tal como deve suceder entre os que são filhos de um mesmo Pai. Fazemos isso normalmente através desses pormenores de educação e de cortesia que temos habitualmente com qualquer pessoa, e que se transformam facilmente em veículos da virtude sobrenatural da caridade." Fernández-Carvajal, Coleção Falar com Deus" volume 3,Tempo Comum(1) Semanas I a XII, pag. 33. "