28 fevereiro 2013

Boas Maneiras e os Vários Modos de Servir à Mesa


À Inglesa

As guarnições vêm servidas individualmente nos pratos e somente o prato principal é passado entre os convidados.

À Inglesa Direto

O alimento é apresentado pelo garçom em travessas pelo lado esquerdo, o garçom serve diretamente o convidado, procurando distribuir harmoniosamente as guarnições e o prato principal no centro do prato. As senhoras são servidas em primeiro lugar e em seguida os cavalheiros.

À Inglesa Indireto


Para este serviço a arrumação da mesa pode se limitar aos talheres, copos, guardanapos e sousplat. O prato principal fica na mesinha auxiliar ao lado da mesa do convidado onde é preparado o prato. Este serviço exige dois garçons e o prato é colocado pela direita do convidado.

Serviço Diplomata

Todos ficam sentados, enquanto a comida é trazida por garçons, em pratos que chegam prontos da cozinha (copos e talheres são dispostos na mesa).

Serviço Americano


A comida e os talheres são colocados em bufê numa mesa principal para que todos se sirvam. Cada um se serve e come apoiando o prato no colo. Apesar de sua natureza informal, um jantar americano pode ser tão elegante quanto um jantar formal. A disposição dos pratos deve ser feita de modo a oferecer aos convidados o máximo conforto na hora de se servirem. 

Muitas vezes é possível colocar uma mesa para cada grupo: mesa de sobremesas, café, talheres, separadas da mesa do prato principal. Para evitar "filas" nas travessas coloque duas travessas de arroz, de carne, etc. porque repetindo as várias travessas os convidados se servem mais confortavelmente sem formar fila como bandejão. 

O cardápio deve ser prático com carnes previamente cortadas, frangos desossados e pratos servidos em terrinas e mantidos quentes sobre o réchaud. Os convidados sentam-se onde lhes convier. Como muitos comerão no colo, não é possível servir carnes que precisem ser cortadas. Talvez tenha sido por isso que o estrogonofe se popularizou.


Serviço Franco-americano

A refeição é servida no bufê, como tipo americano, mas os convidados têm lugares sentados à mesa.

"Bandejão", Praças de Alimentação, Lanchonetes e "A quilo"


O característico dessas formas de servir é que o cliente serve-se no bufê e se acomoda nas instalações pagando após pesar o prato. Outras vezes um preço fixo é cobrado ora na entrada, ora na saída. Depois de comer, todos os serviços "self-service" exigem que o cliente devolva a travessa para o balcão. Sempre que não se foi servido por um garçon é o cliente quem devolve a bandeja para o local apropriado.

As boas maneiras também exigem que se coloque a cadeira no lugar e não se deixe detritos sobre a mesa e no chão. Também não se revolve a comida nos balcões nem se serve exageradamente de balas e chás oferecidos "gratuitamente" ao final da refeição. 

Não se deixam rastros de nossa passagem pelo local que possam indicar desleixo, sujeira e abuso de qualquer tipo, como falar alto, falar ao celular impondo aos outros o seu assunto pessoal, incomodar com muitos embrulhos e pacotes risadas e confraternizações estridentes. Esses são locais de um consumo massificado ou "racionalizado" que praticamente impõe um ritmo acelerado e pouco humanizado não sendo portanto muitas vezes compatível com necessidades de descontração com a qual deveriam combinar todas as refeições. Por isso não incomode os outros nesses locais ignorando a realidade acelerada e incomodando os outros com demoras e exigências "fora do padrão" da massificação ali proposta.

Lembre-se também de que uma pessoa encarregada da praça de alimentação não é uma garçonete. A sua presença não significa que você não deva levar sua bandeja para o local indicado ou colocar a cadeira no lugar. Um garçon serve em geral quatro mesas, essas atendentes estão para limpar e arrumar todo o salão, por isso faça a sua parte, elas não são garçonetes.

Se almoça regularmente num mesmo restaurante e uma atendente sempre lhe presta algum serviço ou lhe atende em algum pedido, como mais sal ou outro guardanapo deixe gorjeta. Caso contrário não é preciso.
"Boa parte da nossa vida está composta de pequenos encontros com pessoas que vemos no elevador, na fila do ônibus, na sala de espera do médico, no meio do trânsito da cidade grande ou na única farmácia da cidadezinha onde vivemos... e ainda que sejam momentos esporádicos e fugazes, são muitos por dia e incontáveis ao longo de uma vida. Para um cristão, são importantes, porque são ocasiões que Deus lhe dá para rezar por essas pessoas e mostrar-lhes o seu apreço, tal como deve suceder entre os que são filhos de um mesmo Pai. Fazemos isso normalmente através desses pormenores de educação e de cortesia que temos habitualmente com qualquer pessoa, e que se transformam facilmente em veículos da virtude sobrenatural da caridade." Fernández-Carvajal, Coleção Falar com Deus" volume 3,Tempo Comum(1) Semanas I a XII, pag. 33. "