24 fevereiro 2013

Boas Maneiras com Deus

Deus é o Criador de tudo que existe. Merece portanto, nosso respeito e adoração. Por isso a pessoa educada consagra a Deus os seus melhores afetos. E faz isso quando:

  1. Reza todos os dias, procura cumprir os mandamentos de Deus e teme ofendê-lo como se teme magoar qualquer pessoa com a qual a gente realmente se importa. "Pensa no Senhor todos os dias e guarda-te de pecar contra Ele e de transgredir os seus mandamentos". Além disso, devemos conhecer a nossa fé para darmos um testemunho que evite os equívocos que causam más impressões aos demais por nossa falta de conhecimento das coisas de Deus. Assim como conhecemos as regras de boas maneiras, devemos procurar saber sobre nossa religião e também nos empenhar em dar a conhecer aos nossos filhos os seus princípios. 
  2. Pela mesma razão de amor, respeitamos a Igreja, os seus ministros, as devoções e tudo o que se refira a Deus.
  3. E não apenas as relativas ao nosso credo. Mesmo sabendo que algumas religiões não poderiam receber realmente esse nome, respeitamos, nestes casos, a expressão pessoal da religiosidade de cada um evitando toda forma de crítica ou censura. Mas o fato de respeitarmos por educação uma expressão religiosa, não significa que estejamos fazendo uma adesão ao relativismo atual que transforma tudo numa questão de "consumo" onde tudo seria válido ou permitido, porque culturalmente construído. A maior prova de amor a Deus é conhecê-lo de fato, amá-lo e viver com Ele como se deseja conhecer a pessoa amada. E por isso não cabem as superficialidades no conhecimento e na vivência cotidiana do que cremos.
  4. Toda pessoa educada evita falar mal de quem quer que seja. Das coisas de Deus não se fala mal e não se passam adiante maledicências.
  5. As boas maneiras exigem que se evitem todas as discussões inúteis sobre Religião, bem como os maus testemunhos pessoais.
  6. A pessoa que ama não nega o seu amor. Do mesmo modo quem tem uma fé não deve ter vergonha de professá-la mesmo em ambientes onde possa ser criticado por isso. Ter vergonha de um filho ou uma mãe é hediondo, mais ainda do Deus que criou todas as coisas, inclusive você e a quem você ama.
  7. As boas maneiras exigem que não se use os nomes santos em vão, como expressões de linguagem corrente, muito menos usar o nome de Deus em vão. Jurar é ter a Deus como testemunha e não se faz isso senão quando efetivamente é disso que se trata e não para assegurar a veracidade de uma fofoca.
"Boa parte da nossa vida está composta de pequenos encontros com pessoas que vemos no elevador, na fila do ônibus, na sala de espera do médico, no meio do trânsito da cidade grande ou na única farmácia da cidadezinha onde vivemos... e ainda que sejam momentos esporádicos e fugazes, são muitos por dia e incontáveis ao longo de uma vida. Para um cristão, são importantes, porque são ocasiões que Deus lhe dá para rezar por essas pessoas e mostrar-lhes o seu apreço, tal como deve suceder entre os que são filhos de um mesmo Pai. Fazemos isso normalmente através desses pormenores de educação e de cortesia que temos habitualmente com qualquer pessoa, e que se transformam facilmente em veículos da virtude sobrenatural da caridade." Fernández-Carvajal, Coleção Falar com Deus" volume 3,Tempo Comum(1) Semanas I a XII, pag. 33. "