09 janeiro 2013

Boas Maneiras e os Apaixonados

Dicas de boas maneiras para os casais apaixonados.

Boas Maneiras do Casal Apaixonado em Público e em Festas
  1. Um casal educado não faz demonstrações de intimidade em público.
  2. Se está numa festa é natural que fiquem mais tempo juntos, mas isso não significa ignorar os demais convidados.
  3. Se o evento é feito em homenagem ao casal eles são diretamente responsáveis sucesso e atenção dada aos convidados. Por exemplo: Nas festas de casamento os noivos devem atender os convidados indo de mesa em mesa e não ficar pendentes apenas de suas fotos ou dos seus amigos de mesma idade. É preciso dar atenção aos amigos dos pais e dos sogros com solicitude e atenção sincera e não apenas pró-forma.

Boas Maneiras do Casal Apaixonado com os Amigos

  1. O casal deve ser especialmente amável e simpático com os amigos do seu namorado, namorada. Falar mal do amigo do outro é um mal início. Se for preciso, por motivo grave, denunciar algum desvio do amigo do namorado então podê-se fazê-lo buscando de forma prudente e visando o  esclarecimento do problema. Isto não é o mesmo que reclamar com o namorado de um de seus amigos se for por uma questão de antipatia pessoal. Evite projetar sua opinião de desagrado sobre seu noivo gratuitamente e a todo instante, respeite a amizade deles. 
  2. Também é preciso manter uma certa formalidade e não oferecer intimidade de imediato aos amigos do seu namorado(a). Isto previne muitos mal entendidos. Se tiver que sair com os amigos do seu namorado(a) avise seu  namorado(a) e tenha certeza de que ele(a) não se opõe a isto. Isto vale para homens e mulheres. 
"Boa parte da nossa vida está composta de pequenos encontros com pessoas que vemos no elevador, na fila do ônibus, na sala de espera do médico, no meio do trânsito da cidade grande ou na única farmácia da cidadezinha onde vivemos... e ainda que sejam momentos esporádicos e fugazes, são muitos por dia e incontáveis ao longo de uma vida. Para um cristão, são importantes, porque são ocasiões que Deus lhe dá para rezar por essas pessoas e mostrar-lhes o seu apreço, tal como deve suceder entre os que são filhos de um mesmo Pai. Fazemos isso normalmente através desses pormenores de educação e de cortesia que temos habitualmente com qualquer pessoa, e que se transformam facilmente em veículos da virtude sobrenatural da caridade." Fernández-Carvajal, Coleção Falar com Deus" volume 3,Tempo Comum(1) Semanas I a XII, pag. 33. "