09 novembro 2012

Boas Maneiras à Mesa: Sobre a Conversa à Mesa


Pontos Práticos de Boas Maneiras à Mesa: Sobre a Conversa à Mesa

  1. Não interrompa uma conversa. Se for muito necessário interromper peça licença e justifique sua urgência, não sua opção de interromper que essa não tem desculpa. (" – Desculpe interromper, mas vou ter que sair porque meu avião sai daqui a pouco. O contrário seria " – Desculpe interromper, interrompendo, mas eu acho...").
  2. Não atenda o celular à mesa. Se possível não atenda também o telefone fixo. Deixe na secretária eletrônica e se alguém que não está almoçando pode atender que anote o recado explique que estão todos almoçando. Retorne sem falta a ligação recebida
  3. Dê sua atenção a quem está próximo de você. Não queira conversar com pessoas de outras mesas ou de uma conversa que está ocorrendo na outra extremidade da mesa que lhe exija elevar o tom de voz demasiado.
  4. Quando conversar faça-o em tom moderado, sem exclamações exageradas.
  5. Elogie os pratos especialmente se tiverem sido preparados onde você estiver comendo.
  6. Fale baixo, mas não inaudível.
  7. Não é de boa educação recusar pratos, fazer comentários de desagrado ou de nojo. Também é uma indelicadeza comer como um glutão, por mais que insistam ou que você goste do prato servido.
  8. Faça tudo para manter o bom nível da conversa à mesa: jamais, jamais mesmo fale tragédias, palavrão, nem faça reclamações, ou indiretas desagradáveis. Evite todo comentário que colocam as pessoas, inclusive as crianças na "berlinda". Não deboche, nem desdenhe não critique. Não fale assuntos pesados nunca. Evite os desprezos e os desdém a todo custo. O bom convívio familiar deve prevalecer, resolva os problemas de desentendimento, fora da hora das refeições. Manter um bom nível na conversação durante as refeições aproxima a família. Deixe os assuntos sérios para conversas particulares. Uma pessoa que não tem coisas boas para dizer precisa encontrá-las.  Não seja engraçadinho demais, confiado demais, não faça essas gracinhas pelas quais se quer projetar. Discrição, ouvir, trazer assuntos agradáveis é a melhor forma de compartilhar a refeição.
"Boa parte da nossa vida está composta de pequenos encontros com pessoas que vemos no elevador, na fila do ônibus, na sala de espera do médico, no meio do trânsito da cidade grande ou na única farmácia da cidadezinha onde vivemos... e ainda que sejam momentos esporádicos e fugazes, são muitos por dia e incontáveis ao longo de uma vida. Para um cristão, são importantes, porque são ocasiões que Deus lhe dá para rezar por essas pessoas e mostrar-lhes o seu apreço, tal como deve suceder entre os que são filhos de um mesmo Pai. Fazemos isso normalmente através desses pormenores de educação e de cortesia que temos habitualmente com qualquer pessoa, e que se transformam facilmente em veículos da virtude sobrenatural da caridade." Fernández-Carvajal, Coleção Falar com Deus" volume 3,Tempo Comum(1) Semanas I a XII, pag. 33. "