02 setembro 2012

Dicas de Boas Maneiras no Trabalho

Boas Maneiras no Trabalho
Procure lembrar-se conscientemente de tratar  bem a todos no seu trabalho. Seja sempre atencioso, cordial e gentil.

Quando um funcionário novo chegar receba-o bem e colabore para integrá-lo na empresa.

Seja limpo, ordenado e trabalhe com afinco.

Respeite a hierarquia evitando agir com intimidade com o poder ou dispondo com desdém das pessoas dos níveis hierárquicos que lhe são subordinados.

Cumprimente todas as pessoas que encontrar, na chegada e na saída.

Não fale de problemas pessoais ou profissionais diante do cliente.

 "Por favor", "Com licença", "Obrigado(a)" e "Desculpe-me" não devem ser esquecidas com a rotina e o convívio diários.




                      

Maus Modos no Trabalho

Evite, no trato habitual, expressões ou modismos como: "meu bem", "querida", "meu amor", "minha flor", "gata" ou "gato". Pergunte às pessoas como elas querem ser tratadas: "senhor", "senhora", "senhorita" ou, simplesmente, você.

Hoje em dia todas as pessoas estão “matando um leão por dia”, por isso não sobrecarregue os outros com “suspeitas”, acusações e antipatias gratuitas.

Não faça nem promova nenhuma discriminação seja por raça, credo ou qualquer outro motivo.

Não promova “climas” sejam de histeria sexual, de consumo de bebidas, de conversas vulgares sobre pessoas do outro sexo.

Jamais seja desonesto, em nada.

Não leve nem um clips, lápis ou papel para casa “como material escolar” para os filhos, nem tire Xerox ou abuse do telefone para assuntos particulares.Nunca. Não é preciso que se escreva uma norma na empresa para fazer o que é certo. 
"Boa parte da nossa vida está composta de pequenos encontros com pessoas que vemos no elevador, na fila do ônibus, na sala de espera do médico, no meio do trânsito da cidade grande ou na única farmácia da cidadezinha onde vivemos... e ainda que sejam momentos esporádicos e fugazes, são muitos por dia e incontáveis ao longo de uma vida. Para um cristão, são importantes, porque são ocasiões que Deus lhe dá para rezar por essas pessoas e mostrar-lhes o seu apreço, tal como deve suceder entre os que são filhos de um mesmo Pai. Fazemos isso normalmente através desses pormenores de educação e de cortesia que temos habitualmente com qualquer pessoa, e que se transformam facilmente em veículos da virtude sobrenatural da caridade." Fernández-Carvajal, Coleção Falar com Deus" volume 3,Tempo Comum(1) Semanas I a XII, pag. 33. "