03 julho 2012

Boas Maneiras e a Graça ao Escrever

Boas Maneiras e a Nossa Correspondência

O Sentido de Cortesia em Toda Correspondência

Tudo o que escrevemos, produzimos, trabalhamos leva um pouco do que somos.  Por isso devemos incentivar os nossos filhos a ter esmero em suas correspondências e em todas as formas da sua expressão pessoal. Ao entregar um trabalho escolar, entregar uma prova, estamos demonstrando o que somos. E não podemos ser excelentes sem praticar cotidianamente.Também nas nossas correspondência devemos colocar o esmero e os valores que defendemos. 

O que "todo mundo faz" não é necessariamente correto. Numa cracolândia todo mundo se droga podendo chegar a níveis de degradação muito tristes. E não é porque todo mundo faz que a droga vai deixar de ser uma droga. Do mesmo modo, se todo mundo escreve abreviado, fala palavrão, divulga grosserias e mau gosto na Internet isso não quer dizer que agora isso não é palavrão, grosseria e mau gosto. Escreva sempre corretamente e mantenha a elegância em todas as suas expressões pessoais. No mínimo você vai estar sendo coerente com os valores que diz admirar e pautar-se. 

As correspondências pessoais merecem resposta. Cartas ou e-mails. Ou seja, as comunicações circulares, os scraps, e spam não necessitam de resposta pessoal. Claro que podemos responder à essas correspondências gerais, enviadas para todo um grupo se o assunto nos interessa. Mas não há a obrigação de cortesia que a carta pessoal exige. Não responder a uma carta pessoal ou a um convite ou agradecer um presente é o mesmo que recusar a mão estendida de um amigo.

O Tom da Correspondência

O tom da correspondência deve levar em conta:
  • Se a correspondência é pessoal ou profissional.
  • O grau de proximidade, de amizade ou formalidade entre quem escreve e quem lê a correspondência.
  • O propósito da carta: se é pedido, recusa, exigência de reparação, relato pessoal, solicitação de serviço, cumprimento, pêsames, etc.
  • A idade, o grau de instrução, o grau de interesse pelo assunto por parte do leitor.

Detalhes de Cortesia que devem estar Presentes em Todas as Correspondências

Boas Maneiras e a Aparência

  • Correspondência sem rasuras, abreviações que transformem um e-mail num telegrama. 
  • Prefira papéis timbrados, e-mails personalizados, cartões caprichados e se for Natal, por exemplo, escolha selos da época.
  • Tenha o seu kit de correspondência completo: cartões, papéis de carta, envelopes do mesmo jogo.
  • Diz o formalismo que os convites formais e o a manifestação de condolências não devem ser respondidos senão com papel de carta personalizado por um sistema de impressão mais elegante como relêvo. Mas não deixe que a falta de um papel personalizado o faça desistir de responder a um convite ou de enviar suas condolências. Compre um papel especial ou um cartão-bilhete em papel-linho e escreva de próprio punho sua mensagem. Não deixe para a hora que você precisar escrever a definição do seu papel e cartões pessoais. Considere a personalização uma opção também para os seus e-mails.

Boas Maneiras e o Conteúdo

O respeito pelo leitor, pela relação entre leitor e escritor e o respeito por si mesmo se demonstram nos pequenos detalhes de qualquer correspondência quem englobam os itens abaixo. 

As primeiras coisas primeiro: 
  • Sempre comece uma correspondência por uma saudação inicial.
  • Em seguida pergunte pela família. Se não é próximo para tando pergunte  pelos interesses do seu interlocutor que possam ter em comum como o trabalho, as férias da qual seu interlocutor chegou.
Só então entre com os assuntos do seu interesse.
  • Se tiver alguma crítica para fazer lembre-se primeiro de elogiar alguma coisa.
  • Ser claro, conciso e objetivo além de clareza é uma grande forma de cortesia. Correspondências longas demais, curtas demais ou mal escritas além de falta de competência podem ser formas de desrespeito por descaso, superficialidade ou prepotência.
  • Não se esqueça de apontar as razões pelas quais o leitor se beneficiará de atender o seu pedido feito em sua carta: se oferece um produto, as vantagens para ele, se faz pedido de reparação de dano as vantagens para a imagem e de economia, e se relato de férias para a avó que tem saudades e sempre a lembra e reza por ela.
  • Conter-se dos excessos de: lamúrias, queixas, etc. Clareza e ênfase não são conseguidos com listas longas, mas com qualidade de expressão.
  • Lembre-se de ao encerrar a carta despedir-se apropriadamente. 
  • Neste tempos em que mais podemos caprichar numa correspondência podendo colocar até vídeos, parece que a pressa e a informalidade retiram o que sempre foi prova de cortesia: citar o nome corretamente, agradecer apropriadamente.
  • Quem sabe cabe algum encerramento mais afetuoso. 

Tenha as venturas que lhe deseja o seu amigo,




Vida em Sociedade


(envie esta postagem para seus amigos clicando num dos botões abaixo)
"Boa parte da nossa vida está composta de pequenos encontros com pessoas que vemos no elevador, na fila do ônibus, na sala de espera do médico, no meio do trânsito da cidade grande ou na única farmácia da cidadezinha onde vivemos... e ainda que sejam momentos esporádicos e fugazes, são muitos por dia e incontáveis ao longo de uma vida. Para um cristão, são importantes, porque são ocasiões que Deus lhe dá para rezar por essas pessoas e mostrar-lhes o seu apreço, tal como deve suceder entre os que são filhos de um mesmo Pai. Fazemos isso normalmente através desses pormenores de educação e de cortesia que temos habitualmente com qualquer pessoa, e que se transformam facilmente em veículos da virtude sobrenatural da caridade." Fernández-Carvajal, Coleção Falar com Deus" volume 3,Tempo Comum(1) Semanas I a XII, pag. 33. "