21 abril 2012

Boas Maneiras e as Festas de Trabalho


O coquetel profissional não deve ter duração superior a três horas. Os diretores devem ir para a recepção receber e ao final para se despedir dos convidados. Isto mesmo que o coquetel seja num restaurante.

As festas de trabalho não devem ser vistas como uma ocasião de liberação geral. Muito ao contrário devemos manter a elegância e uma polida descontração. Avise logo todos os colegas tão logo esteja tudo acertado, assegure-se que ninguém foi esquecido.

Não fale demais nem de menos. Faça uma lista prévia de assuntos que possa abordar. Não responda a perguntas que tentam entabular uma conversa com um simples sim ou não. Perguntas como “ – O que você vai fazer nas férias?” Podem gerar respostas enormes, prefira perguntas mais restringidas como aonde vai nas férias.

Após responder pergunte algo para o seu interlocutor que estabeleça diálogo. Não tenha receio de introduzir-se e caso isso aconteça responda apresentando-se também e recebendo bem a iniciativa de começar uma conversa.

As mulheres não devem incentivar a excessiva proximidade e são de muito mau gosto essas “brincadeiras” que denotam um estilo de vida execrado e vulgar. Limite sua bebida para estar sempre sob controle e não são bem vistos ou prudentes os “casos” em locais de trabalho, especialmente os que começam por um excesso de bebida nas festas de fim de ano.

Não deixe de agradecer e cumprimentar quem organizou o evento ou promoveu a festa. Fale com o maior número de pessoas possíveis os seus votos de boas festas, não fique só com o pessoal mais chegado quando de oferecer a ocasião de desejar boas festas.

No trabalho um e-mail de boas festas e o aperto de mão nas festas de confraternização são suficientes. Cartões pelo correio podem ser vistos como forma de querer aparecer, a menos é claro que se trate de um colega de trabalho que se tornou amigo próximo.

Não se deve dar presentes de Natal ao chefe a menos que seja um presente simples em nome de todo o setor, ou diretoria. No Natal promova aproximações e confraternizações entre os colegas de trabalho, mas prefira dar presentes aos que você é mais chegado noutra ocasião.



Compartilhe esta postagem na sua Rede Social
"Boa parte da nossa vida está composta de pequenos encontros com pessoas que vemos no elevador, na fila do ônibus, na sala de espera do médico, no meio do trânsito da cidade grande ou na única farmácia da cidadezinha onde vivemos... e ainda que sejam momentos esporádicos e fugazes, são muitos por dia e incontáveis ao longo de uma vida. Para um cristão, são importantes, porque são ocasiões que Deus lhe dá para rezar por essas pessoas e mostrar-lhes o seu apreço, tal como deve suceder entre os que são filhos de um mesmo Pai. Fazemos isso normalmente através desses pormenores de educação e de cortesia que temos habitualmente com qualquer pessoa, e que se transformam facilmente em veículos da virtude sobrenatural da caridade." Fernández-Carvajal, Coleção Falar com Deus" volume 3,Tempo Comum(1) Semanas I a XII, pag. 33. "