20 março 2012

Suas Crianças tem Boas Maneiras à Mesa?

  1. As crianças não devem provocar umas às outras. 
  2. Não interrompa rudemente quem está falando nem monopolize a conversa com seus interesses. 
  3. Se você é criança e seus pais convidaram amigos para jantar em casa não corra para ocupar seu lugar habitual na mesa. Espere que seus pais indiquem para fazê-lo. 
  4. Uma criança de sete anos pode segurar os talheres e comer corretamente à mesa. 
  5. Nas refeições caseiras e cotidianas as crianças devem estar bem apresentados, sem caras de sono, descabelados, ou desgrenhados. Os pais devem dar exemplo de como se apresentar à mesa. Deste modo os filhos aprendem em casa os diferentes "momentos" da vida em sociedade. Há hora para brincar dando vazão aos seus interesses e há hora para participar do grupo. Exigir boas maneiras e apresentação à mesa faz com que as crianças aprendam a respeita e valorizar a vida em família. 
  6. De preferência, ensine seu filho a se apresentar, já no café da manhã o mais "pronto" possível: dentes escovados, banho tomado, oração feita, cama arrumada e vestido como se deve. Se isso não for o hábito da família que não aprendam a impor aos demais suas preguiças, maus humores matutinos e odores.
Quando as crianças não são educadas, cotidianamente, a fazer esses pequenos "esforços" da vida diária como apresentar-se bem à mesa, com o devido asseio pessoal já para o café da manhã, e a ser capaz de se interessar pelos demais e pela vida em família, perde-se uma repetida ocasião de educar os filhos em importantes qualidades humanas como pontualidade, cordialidade, ordem, asseio, consideração, respeito, etc.

E aos poucos essa "preguicinha" vai se tornando cada vez mais frequente e quando se vai ver portar-se à mesa corretamente, não se atrasar para as refeições, valorizar o que se tem se tornam como que sonhos impossíveis. E na verdade não são. Se explicarmos o valor da família, das refeições, se as tornamos agradáveis, estaremos incentivando a vida em família no que ela tem de mais humano. 

Sem exigir nem a correta participação das crianças nas refeições, aos poucos, quase qualquer outro ato cotidiano como estudar, respeitar os mais velhos ou as obrigações se tornarão um um "verdadeiro fardo", tal a dificuldade que tem de executar tarefas simples. O que é sempre uma fraqueza. Não tenha medo de exibir um pouco mais dos seus filhos no comportamento à mesa. Você os estará ajudando muito. Lembre-se nas coisas simples não podemos ser medíocres.
"Boa parte da nossa vida está composta de pequenos encontros com pessoas que vemos no elevador, na fila do ônibus, na sala de espera do médico, no meio do trânsito da cidade grande ou na única farmácia da cidadezinha onde vivemos... e ainda que sejam momentos esporádicos e fugazes, são muitos por dia e incontáveis ao longo de uma vida. Para um cristão, são importantes, porque são ocasiões que Deus lhe dá para rezar por essas pessoas e mostrar-lhes o seu apreço, tal como deve suceder entre os que são filhos de um mesmo Pai. Fazemos isso normalmente através desses pormenores de educação e de cortesia que temos habitualmente com qualquer pessoa, e que se transformam facilmente em veículos da virtude sobrenatural da caridade." Fernández-Carvajal, Coleção Falar com Deus" volume 3,Tempo Comum(1) Semanas I a XII, pag. 33. "